POLÍTICA
25/04/2019 17:25 -03 | Atualizado 25/04/2019 18:11 -03

‘Sempre acreditei na meritocracia e no valor do trabalho’, diz primo de filhos de Bolsonaro

Estudante de Administração, Léo Índio foi contratado pelo senador Chico Rodrigues (DEM-RR) para cargo de confiança com salário de R$ 22,9 mil.

Contratado para cargo de confiança no gabinete do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) com salário de mais de R$ 20 mil, o estudante de Administração Leonardo Rodrigues, 35 anos, primo de filhos do presidente Jair Bolsonaro, justificou sua qualificação para o cargo no Instagram. Segundo ele, suas “características profissionais são fruto de duas décadas de trabalho árduo e de preciosas lições aprendidas em família”.

“Sempre acreditei na meritocracia e no valor do trabalho, verdadeiro fiador das liberdades individuais. A boa política, entretanto, é indissociável de mim desde a infância.”

Visualizar esta foto no Instagram.

Há algumas semanas recebi o convite do Senador Chico Rodrigues, a quem admiro há bastante tempo, para compor sua equipe de trabalho. Nossa convivência foi estreitada desde os primórdios da campanha de Jair Bolsonaro à presidência, quando o senador pôde constatar algumas das minhas características e a convergência de nossas ideias. Pertenço à família do Presidente, como já foi veiculado algumas vezes pela imprensa, razão pela qual constantemente suporto julgamentos e diversos tipos de ataque, e farei questão de trabalhar para mostrar o quão injustos são. Sempre acreditei na meritocracia e no valor do trabalho, verdadeiro fiador das liberdades individuais. A boa política, entretanto, é indissociável de mim desde a infância. Minhas características profissionais são fruto de duas décadas de trabalho árduo e de preciosas lições aprendidas em família. Assim herdei o apreço pela honestidade e o amor pela Pátria, valores que compartilho também com quase sessenta milhões de brasileiros que confiaram seu voto em meu tio, Jair. O Senador Chico Rodrigues, assim como eu, é parte dessa multidão que confia no projeto do nosso Presidente e, a partir de hoje, juntos, não mediremos esforços para honrar a missão de servir ao País, especialmente ao Estado de Roraima. Agradeço ao Senador pela confiança em mim depositada, sentimento que quero ser digno de despertar em todos que apoiam minha família. #brasil #roraima 💪🏽🇧🇷🙏🏽❤️

Uma publicação compartilhada por Léo Índio (@leo.indio.br) em

A contratação gerou diversas críticas. 

O senador afirmou que contratou Leonardo com salário de R$ 22,9 mil por mês para o segundo cargo mais alto do gabinete pelo “feeling” que teve e “desenvoltura” do estudante, segundo a Folha de S.Paulo.

″É um garoto novo, que estuda administração, conhece muita gente na República, aqui em Brasília e vai ser uma forma de me ajudar também. Assim como eu tenho doutores em direito eleitoral, tenho doutores em economia, inclusive um funcionário que eu requisitei do Banco Central. Enfim, eu também estou pegando essa turma nova para me dar suporte. Então é uma assessoria que vai ser boa para mim”, disse o senador à Folha.

Leonardo, conhecido como Léo Índio, ficou conhecido no início do ano quando o jornal O Estado de S.Paulo noticiou que ele circulava como um “olheiro” no Palácio do Planalto. Ele esteve no Planalto 58 vezes nos 45 primeiros dias de governo. O presidente, no mesmo período, esteve 16 dias no Planalto.

Léo é próximo aos filhos de Bolsonaro, especialmente ao vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).