MULHERES
02/06/2020 06:00 -03

Hoje tenho mais de um coração batendo fora do meu peito: 3 filhos e 4 netos

A dona do 29º depoimento do projeto "Prazer, Sou Mãe" é a advogada Lena Fontes, que conta como a gravidez da caçula, aos 16, mexeu com a vida dela e da família.

Divulgação
Lena e os 3 filhos.

A maternidade sempre foi a coisa mais importante da minha vida, era meu maior desejo. Sempre quis ter filho e não seria uma pessoa plena e completa se não tivesse. Acho que eu só amadureci realmente quando eu tive meu primeiro filho, quando cheguei da maternidade em casa. Meu marido foi trabalhar, pararam um pouco as visitas. E pensei: “somos nós dois”. Foi assim que me senti madura, e é aquela frase célebre de que você aprende a viver com o coração fora do corpo. Ele bate fora. E é bem isso.

Hoje tenho mais de um coração batendo fora do meu peito. São 3 filhos e 4 netos. Quando minha caçula tinha 16 anos, de repente chegou mais um bebê em casa. Ela ficou grávida e foi uma coisa que, no primeiro momento, achamos que poderia ter sido um problema. E, na verdade, foi a melhor coisa do mundo. Ela namorava desde os 13 anos com o primeiro namorado e ficou grávida e me contou. Eu lembro que eu não entendia. Ela me contava e eu falava: “me explica isso direito porque eu não estou entendendo”. 

A gente fica meio burra na hora. Isso até mexeu um pouco comigo em questão de maternidade quando achei que podia ter feito alguma coisa errada. Lógico que a mãe sempre se culpa e foi isso. Mas nada muito além.

Essa minha filha é 11 anos mais nova do que o mais velho e 8 anos e meio mais nova do que a irmã do meio. Então ela era a caçula, era a bebê. Depois que meu neto nasceu, ela continuou namorando o pai dele durante 8 anos, sendo que 7 anos cada um na sua casa. Ele é ótimo pai, ela é ótima mãe, terminaram de estudar, fizeram faculdade. Nós quisemos que eles tivessem uma vida o mais perto da normalidade para a idade deles, mas as responsabilidades com a criança, de cuidar, essas tarefas todas eram dela. O acordar à noite... Mas demos tudo o suporte que podíamos. Depois de 7 anos, eles foram morar juntos e ficaram assim por um ano e separaram. São amigos, mas cada um com a sua vida. 

No começo dessa história morávamos todos juntos, mas eu nunca tive um papel de segunda mãe do meu neto. Nem dos outros, que vieram depois. Eu sou avó mesmo. Minha filha sempre foi a mãe, os tios eram tios e eu sempre fui avó. Hoje moro junto com meu neto de novo, mas nunca tive esse lugar. 

Atualmente não sinto que tenho um desafio específico… Meus filhos são ótimos, continuo sendo uma mãe bem coruja!

As coisas passaram muito rápido, mas de forma natural. Como quando você é mãe e vai ficando mais presa, isso aconteceu comigo. Como avó fui ajudando mais, sendo mais requisitada pelos filhos para ajudar com as crianças, mas foi tudo muito natural e não teve um baque. 

Meus filhos hoje têm 38, 35 e 27 anos. E os netos 10, 7, 4 e 3. Eles foram as melhores coisas da minha vida e a vontade de ser mãe foi a coisa mais importante que já existiu em mim. 

Lena Fontes é dona do 29º depoimento do projeto “Prazer, Sou Mãe”. Ela tem 64 anos, é advogada de formação. Tem 3 filhos e 4 netos e mora em São Paulo.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost