NOTÍCIAS
05/02/2019 16:10 -02 | Atualizado 05/02/2019 16:11 -02

Justiça decide libertar funcionários da Vale presos após tragédia de Brumadinho

Ministros do STJ entenderam não haver motivos para que os acusados continuem presos preventivamente.

ASSOCIATED PRESS

Os três funcionários da Vale e dois engenheiros da empresa alemã Tüv Süd presos no último dia 29, após a tragédia de Brumadinho, serão libertados após decisão judicial desta terça-feira (5).

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceitou o pedido de liberdade dos engenheiros André Jum Yassuda e Makoto Namba - que assinaram o laudo que teria atestado a segurança da barragem-, além do gerente executivo operacional da Vale, Rodrigo Artur Gomes de Melo, do gerente de meio ambiente da Vale, Ricardo de Oliveira, e do geólogo Cesar Augusto Paulino Grandchamp.

Na decisão, por unanimidade, os ministros entenderam que não há motivos para que os acusados continuem presos preventivamente, antes do julgamento.

Seguindo voto proferido pelo ministro Nefi Cordeiro, relator do habeas corpus, o colegiado entendeu que os acusados prestaram depoimentos, as medidas de busca e apreensão foram realizadas e não há risco para o andamento das investigações. 

Em nota, no dia da prisão, a Vale informou que colabora com as autoridades. “A Vale permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas.”

Os 5 foram alvo de uma ação conjunta entre o Ministério Público de Minas Gerais, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal. De acordo com o MP, os três funcionários da Vale estão diretamente envolvidos no processo de licenciamento ambiental da barragem. 

 

* Com informações da Agência Brasil