04/07/2019 18:35 -03 | Atualizado 05/07/2019 16:00 -03

5 coisas que você não sabia sobre o judô brasileiro

O judô é o esporte individual que trouxe mais medalhas para o Brasil

Shutterstock
Rafaela Silva foi a primeira judoca brasileira a ser campeã olímpica e mundial.

O judô é o nono esporte mais popular do Brasil, com mais de 2,2 milhões de praticantes, segundo o Atlas do Esporte. Essa tradição começou no início do século passado, com a vinda de imigrantes japoneses, como Eisei Maeda. Conhecido como Conde Koma, ele foi um dos primeiros a fazer apresentações de judô e percorreu o país divulgando a modalidade, até se estabelecer em Belém, onde abriu sua academia.

Depois disso, milhares de brasileiros aderiram à arte marcial, que se tornou um dos maiores motivos de orgulho do esporte nacional. Quer saber mais? Então confira a lista de curiosidades sobre o judô brasileiro abaixo. 

 

  1. Mulheres eram proibidas de praticar judô no Brasil até 1979

Um decreto de 1941 proibia as brasileiras de praticar esportes de combate, como o judô. Em 1979, quatro judocas foram responsáveis por quebrar esse estigma. O professor Joaquim Mamede de Carvalho e Silva conseguiu inscrever suas filhas, Ana Maria de Carvalho e Silva, Cristina Maria de Carvalho e Silva, Patrícia Maria de Carvalho e Silva, além de Kasue Ueda, com nomes masculinos em uma competição sul-americana que aconteceria no Uruguai.

Com isso, as atletas obtiveram subsídios e puderam viajar para a competição, na qual conquistaram três medalhas de bronze. Essa contribuição fez com que o Brasil terminasse a competição na liderança da classificação geral. O decreto foi revogado e, em 1980, as mulheres já faziam parte da seleção brasileira de judô.

 

  1. Aurélio Miguel é o único brasileiro no Hall da Fama do Judô

O lendário judoca, primeiro brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica, é o único brasileiro a entrar para o seleto Hall da Fama do esporte, criado pela Federação Internacional de Judô. O mais curioso é que ele conquistou essa façanha sem marcar nenhum ponto: venceu as lutas por decisão do júri ou punição dos oponentes. Além do campeonato olímpico, Aurélio coleciona sete medalhas de ouro pan-americanas, duas medalhas de prata e uma de bronze no campeonato mundial, além de um bronze olímpico.

 

  1. O judô é o esporte individual que trouxe mais medalhas para o Brasil

Os judocas brasileiros participaram de todas as edições olímpicas desde a introdução do esporte na competição, em 1964, e têm tido desempenho memorável. Ao todo, são 22 medalhas, sendo quatro ouros, três pratas e 15 bronzes. O país não fica fora do pódio desde 1984.

 

  1. A maior participação do Judô em jogos aconteceu no Rio de Janeiro

Segundo dados da Federação Internacional de Judô, 390 judocas competiram na Cidade Maravilhosa em 2016, representando 136 nações. Com isso, foi estabelecido um novo recorde, superando a participação em Londres, quatro anos antes.

 

  1. Rafaela Silva foi a primeira judoca brasileira a ser campeã olímpica e mundial

Rafaela Silva é a única judoca do Brasil, entre homens e mulheres, a ter conquistado o ouro nas duas maiores competições do judô mundial. Ela foi revelada pelo Instituto Reação, iniciativa do campeão Flávio Canto apoiada pela BV.