COMPORTAMENTO
25/09/2019 03:00 -03

Efeito Greta: 5 jovens ativistas pelo clima para você se inspirar

Atormentados pela crise climática - e pela negação dela - os ativistas ambientais cancelaram a ida à escola para fazerem suas mensagens ecoar pelo mundo.

A sueca Greta Thunberg se tornou a cara de um movimento - quiçá de uma geração. Mas ela não está sozinha.

Ao redor do mundo, jovens entre 10 e 20 anos se organizam em movimentos sociais e políticos unidos por uma causa: garantir que o mundo continue sendo mundo quando estiverem mais velhos. 

Atormentados pela crise climática - e pela negação dela - os ativistas ambientais cancelaram a ida à escola para fazerem suas mensagens ecoar pelo mundo. Processaram governos, organizaram greves e pressionam os políticos por reformas reais.

É difícil não se sentir inspirado por esses jovens. Listamos aqui cinco ativistas para você seguir no Instagram e aprender diariamente com eles.

Veja:

1. Xiuhtezcatl Martinez, 19 anos

Aos 19 anos, Martinez é um dos 20 adolescentes que estão processando o governo dos Estados Unidos por não proteger adequadamente sua geração das ameaças das mudanças climáticas.

Ele também é idealizador do projeto NOW, que tem como objetivo plantar um trilhão de árvores ao redor do mundo.

2. Sam Bencheghib, 22 anos

Nascido em Bali, o jovem se incomodou ao perceber que as praias da região estavam cada vez mais poluídas por detritos de plástico. Aos 12 anos, ele começou a realizar sessões de limpeza com sua família para diminuir o lixo na areia, mas percebeu que era insuficiente. Dez anos depois, ele se mantém no ativismo organizando palestras sobre a importância de se reduzir o uso de plástico no mundo.

3. Isra Hirsi, 16 anos

A jovem foi uma das principais lideranças a ajudar a organizar a greve geral pelo clima que aconteceu em março. Além de se preocupar com as questões ambientais, Hirsi tem consciência do seu lugar como uma jovem negra em uma pauta que ainda é predominantemente liderada por jovens brancos. 

“Ainda há racismo quando falamos de ativismo e isso é algo realmente importante”, disse ela em entrevista a organização Grist. “O movimento ambiental ainda é predominantemente branco; como mudamos essa conversa? Colocando mulheres negras na liderança.” 

4. Jamie Margolin, 17 anos

Margolin é fundadora do Zero Hour, uma plataforma para os jovens ativistas que organizam manifestações e greves nos Estados Unidos. Nos últimos dois anos, ela participou de manifestações em Washington, discursou no Congresso americano e fez parte do Youth Climate Summit em Miami. 

5. Catarina Lorenzo, 12 anos

A jovem de Salvador, ao lado de outros 15 ativistas, decidiu apresentar uma denúncia contra os países Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia no Comitê sobre os Direitos das Crianças da ONU. De acordo com o grupo, os países estão se omitindo a cumprir as resoluções do Acordo de Paris.

Lorenzo, que também é surfista, se preocupa em como os oceanos já estão sendo afetados pelas mudanças climáticas. Segundo ela, a água do mar está cada vez mais quente e isso gera consequências para todo o equilíbrio ambiental.