ENTRETENIMENTO
15/09/2020 10:09 -03

6 joias escondidas na Netflix que você não vai acreditar que deixou passar

Acha que viu tudo que vale a pena assistir na Netflix? Achou errado!

Percorrer inúmeros filmes e séries feitos para a TV que nunca deveriam ter recebido luz verde para serem produzidos em busca de algo decente para se ver na Netflix pode parecer uma tarefa sem fim e muitas vezes infrutífera.

Mas em meio a tudo isso, existem joias escondidas a serem descobertas.

Só porque essas séries não entraram nas listas de mais assistidos, não significa que não valem o seu tempo. Pelo contrário, recomende-os a seus amigos e eles pensarão que você é um especialista em Netflix.

De nada.

Rita

 

Uma comédia dramática dinamarquesa não é das coisas mais fáceis de vender, mas tenha paciência comigo, porque você está prestes a descobrir sua nova série favorito.

A protagonista (interpretada pela carismática Mille Dienssen) é uma professora e mãe de três filhos adultos que joga muito segundo suas próprias regras - com graus variados de sucesso. As crianças a adoram na escola, por isso, nem todos os seus colegas a respeitam, mas é em sua vida pessoal que as coisas ficam realmente complicadas.

Ao longo de cinco temporadas, acompanhamos Rita conforme ela vai de um desastre a outro, tentando evitar o confronto com seus “problemas”. É tudo incrivelmente identificável, extremamente engraçado, desafia os limites e, muitas vezes, muito comoventes. Você não só vai torcer por Rita o tempo todo, mas também vai querer ser amigo dela.

Falando nisso, seu melhor amigo Hjørdis é um deleite absoluto - e provou ser tão popular que ela ganhou sua própria série spin-off. Passei por todas as cinco temporadas em uma semana e honestamente me sinto desolado porque Rita e companhia não fazem mais parte da minha vida diária. (Matt Bagwell, editor chefe de entretenimento)

The Midnight Gospel 

 

A melhor maneira de descrever The Midnight Gospel seria “uma mistura de alucinógenos com Rugrats: Os Anjinhos ou A Vida Moderna de Rocko. Os visuais e os mundos nos quais o personagem principal Clancy Gilroy visita através de seu “simulador multiverso não licenciado” são realmente o que eu imagino que seja uma viagem de ácido.

Eu originalmente assisti por capricho pensando que seria algum escapismo de desenho animado depois de um longo dia e, em vez disso, fiquei surpreso com as ponderações da série sobre a vida, existência, amor, espiritualidade e muito mais. É mais ou menos o que eu imaginaria que Rick e Morty seria se de repente se tornasse introspectivo e holístico.

Só recentemente eu olhei para os créditos de roteiro e produção e descobri que as discussões são gravações do podcast do co-criador Duncan Trussell. Entrevistas reais sobre enfrentar a morte com Anne Lamott, meditação e iluminação aprendidas na prisão com Damien Echols e legalização de drogas com Drew Pinsky - conversas intelectuais profundas envolvidas em um mundo incrível de fantasia de desenho animado. (Jayson Mansaray, produtor de vídeo)

Special

 

Special não só abre novos caminhos em termos de representação de pessoas com deficiência (seu ator principal, Ryan O’Connell, também criou o programa e escreveu toda a primeira temporada), sua atitude em relação a outros temas como sexualidade e positividade corporal também parece totalmente novo.

O que definitivamente ajuda é que também é engraçado e bem filmado - e com cada episódio com cerca de 15 minutos, você pode voar por toda a série em uma tarde. (Daniel Welsh, repórter de entretenimento)

No Ritmo da Sedução

 

No Ritmo da Sedução é exatamente o que eu não sabia que precisava de uma tarde preguiçosa de domingo e, definitivamente, uma joia escondida, talvez por causa de suas baixas classificações no site de streaming. Mas não deixe isso, ou o fato de ser um “musical moderno” te desencorajar. É corajoso, engraçado, refrescante e estrelado pela brilhante Michaela Coel (filmado entre as séries Chewing Gum e I May Destroy You) e o talentoso Arinzé Kene, que você pode reconhecer da série Youngers.

Eu amo musicais, então sou tendencioso, mas a trilha sonora era nova e edificante, a história apaixonante e envolvente e a atuação fantástica. Quer dizer, Michael Coel é incrível.

Assim como as pessoas “descobriram” Crashing depois do sucesso da segunda temporada de Fleabag, acho que deveria ser a hora de as pessoas “descobrirem” esse filme, após o boom de I May Destroy You. (Becky Barnes, editora de engajamento)

Magos da Decoração

 

Se, como eu, você ainda lamenta os desastres de Changing Rooms (eu ainda penso sobre a coleção de bules daquela pobre mulher sendo esmagada nas mãos da estante com defeito de Linda Barker regularmente), então posso apresentar Magos da Decoração?

É um reality show de competição em que geralmente designers amadores reformam vários cômodos de um apartamento, que serão julgados por um painel que jurados que inclui o ex-Changing Rooms Lawrence Llwellyn Bowen

Há apenas uma temporada disponível atualmente na Netflix, que é uma edição de celebridades que foi ao ar originalmente em 2015, mas o fato de eles não serem designers experientes - criando assim algumas salas verdadeiramente monstruosas - só aumenta a sua dependência. (Ash Percival, editor de entretenimento)

Insatiable 

 

Insatiable é sobre uma adolescente chamada Patty Bladell (Debby Ryan) que sempre foi intimidada por seu tamanho, mas depois de perder peso em um verão e se tornar miss, ela volta à escola em busca de vingança contra as pessoas que faziam bullying com ela.

A série é boa porque pega os melhores pedaços de uma comédia, suspense, drama, mistério de assassinato e romance, e os reúne em uma só história.

É uma montanha-russa emocional em que a personagem principal, Patty, se mostra imprevisível. À primeira vista, parece um daqueles dramas genéricos de colégio, mas quando você realmente assiste, definitivamente não termina onde você esperava. (Anisah Vasta, estagiária)

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.