ENTRETENIMENTO
02/09/2020 09:56 -03

Star Wars: John Boyega diz que Disney deu mais profundidade a personagens brancos

Ator revela que seu personagem foi “colocado de lado”. "Daisy Ridley sabe disso. Adam Driver sabe disso. Todo mundo sabe", desabafou.

O ator de Star Wars, John Boyega, disse que sentiu que seu personagem foi “colocado de lado” em filmes posteriores da série, particularmente em comparação com seus colegas de elenco brancos.

O ator britânico interpretou Finn na mais recente trilogia Star Wars, que terminou no ano passado com o lançamento do divisivo A Ascensão Skywalker.

Em uma nova entrevista para a revista GQ, na qual John refletiu sobre sua carreira até agora, bem como sobre o futuro, ele disse que os personagens brancos da franquia tinham mais “nuances” do que o seu.

“O que eu diria para a Disney é não trazer um personagem negro à tona, comercializá-lo para ser muito mais importante na franquia do que é e, em seguida, colocá-lo de lado”, disse ele. “Não é bom. Vou dizer isso sem rodeios.”

Jun Sato via Getty Images
John Boyega at a Star Wars fan event in 2019

Ele também observou que o mesmo acontecia com outros atores não brancos, incluindo Kelly Marie Tran e Oscar Isaac. “Tipo, vocês sabiam o que fazer com Daisy Ridley, vocês sabiam o que fazer com Adam Driver, mas quando se tratava de Kelly Marie Tran, quando se tratava de John Boyega, vocês não sabiam p... nenhuma. Então o que você quer que eu diga? O que eles querem que você diga é: ’Gostei de fazer parte disso. Foi uma ótima experiência...”

“Eles deram todas as nuances a Adam Driver, todas as nuances a Daisy Ridley. Sejamos honestos. Daisy sabe disso. Adam sabe disso. Todo mundo sabe. Eu não estou expondo nada aqui. ”

Lucasfilm/Bad Robot/Walt Disney Studios/Kobal/Shutterstock
John in a promotional poster for Star Wars: The Force Awakens

John também falou sobre o racismo que enfrentou em certas seções do fandom de Star Wars, revelando que isso o afetou mais do que ele deixou transparecer na época.

Ele relembrou: “Eu sou o único membro do elenco que teve sua própria experiência única naquela franquia com base em sua raça. Ficar com raiva de um processo como esse. Isso torna você muito mais militante; isso muda você. Porque você percebe, ‘tive essa oportunidade, mas estou em uma indústria que nem mesmo estava pronta para mim’. Ninguém mais no elenco tinha pessoas dizendo que iriam boicotar o filme porque eles estavam nele.”

“Ninguém mais recebeu ameaças de morte no seu Instagram e outras redes sociais, dizendo que ‘você não deve ser um Stormtrooper ’. Ninguém mais teve essa experiência. Mas ainda assim as pessoas estão surpresas que eu seja assim. Essa é a minha frustração.”

J Olley/Lucasfilm/Disney/Kobal/Shutterstock
John in character as Finn in Star Wars: The Rise Of Skywalker

Em junho, John recebeu muitos elogios após um discurso empolgante que fez em uma demonstração do Black Lives Matter em Londres.

Ele disse à multidão reunida no Hyde Park: “Todos os negros aqui se lembram de quando outra pessoa lembrou que vocês eram negros.”

“Todos aqueles manifestantes do outro lado, protestando contra o que queremos fazer, protestando contra o que queremos tentar e alcançar [...] eu preciso que você entenda como essa m... é dolorosa. Preciso que você entenda como é doloroso ser lembrado todos os dias de que sua raça não significa nada, e não é esse o caso.”

John acrescentou: “Estou falando com você de coração. Olha, eu não sei se terei uma carreira depois disso, mas f...-se! Hoje é sobre pessoas inocentes que estavam no meio de seu processo, não sabemos o que George Floyd poderia ter alcançado, não sabemos o que Sandra Bland poderia ter alcançado, mas hoje vamos garantir que isso não seja um pensamento estranho para nossos jovens.”

DANIEL LEAL-OLIVAS via Getty Images
John Boyega at a Black Lives Matter protest in June

Um caso de segregação muito falado sobre o filme mais recente da saga Star Wars, A Ascensão Skywalker, foi o envolvendo a atriz Kelly Marie Tran, que foi bombardeada de ofensas de fãs que criticaram seu papel de destaque em Os Últimos Jedi (2017).

Chris Terrio, que co-escreveu A Ascensão Skywalker com o diretor J.J. Abrams abordou isso logo após o lançamento do filme, insistindo: “J.J. e eu adoramos Kelly Marie Tran. Uma das razões pelas quais Rose [a personagem de Kelly] tem menos cenas do que gostaríamos tem a ver com a dificuldade de usar a filmagem de Carrie [Fisher] da maneira que gostaríamos.”

“À medida que o processo evoluiu, algumas cenas que escrevemos com Rose e Leia acabaram não atendendo ao padrão de fotorrealismo que esperávamos”, acrescentou. “Essas cenas infelizmente saíram do filme.”

“A última coisa que estávamos fazendo era tentar deliberadamente afastar Rose. Adoramos a personagem e adoramos Kelly - tanto que a ancoramos em nossa pessoa favorita nesta galáxia, o General Leia. ”

Leia a entrevista de John Boyega na íntegra na nova edição da revista GQ.

GQ
John Boyega on the cover of GQ