28/10/2019 18:23 -03 | Atualizado 05/11/2019 17:40 -03

Jogos Digitais: Profissão exige mais do que amor por games

Conheça as três características que podem abrir infinitas portas nessa área.

Unsplash
Conheça as três características que podem abrir infinitas portas nessa área

Se você curte games e gostaria de seguir carreira na área, mas ainda tem dúvidas sobre as possibilidades do setor, atenção! O Brasil viu o número de empresas desenvolvedoras de jogos quase triplicar em seis anos, saltando de 133 em 2013 para 375 em 2018, de acordo com o 2º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais. Quer mais? Os e-sports são um filão e tanto no País, com 17,7 milhões de adeptos dos esportes eletrônicos em 2018. Aliás, a estimativa é que esse número chegue a 21,2 milhões até o final de 2019, de acordo como instituto de pesquisa Newzoo. Dados que tornam o Brasil a 3º maior nação de praticantes da modalidade, só atrás dos Estados Unidos e da China.

Com a tendência de mais e mais jogadores surgirem nos próximos anos, empregos não faltam. Sobram, aliás. A pontos de, em alguns casos, desenvolvedoras oferecerem estágios a estudantes de outros curtos que não são diretamente ligados ao setor. Afinal, é preciso dar conta da demanda e explorar de forma adequada um nicho que não para de crescer.

Nesse mercado em ritmo de expansão, programadores de games podem obter salários entre R$ 5 mil e R$ 10 mil. Nada mal, não é mesmo?

O profissional

Em geral, espera-se de um profissional do mundo dos games três características que, se bem resolvidas dentro de cada aluno, podem abrir infinitas portas em uma área que, só em solo brasileiro, representou um faturamento de R$ 6 bilhões ao longo de 2018, com perspectiva de quebra deste recorde em 2019.

No mundo, o mercado de games já fatura mais que os históricos segmentos do cinema e da música. Uma revolução que vem a partir da mudança de comportamento do público, ávido por novidades. Portanto, saiba o que faz a diferença no dia a dia deste profissional.

1 - Conhecimento

Saber inglês, matemática, física e 3D, além de ter facilidade para trabalhar em equipe são itens básicos para quem sonha em fazer sucesso em uma carreira ligada aos jogos virtuais.

2 - Campos

Depois de formado, pode-se trabalhar como desenvolvedor de games, designer de jogos, testador de games, na área de marketing e na produção executiva de conteúdo. A soma dessas habilidades permite que um jogo saia do papel, seja roteirizado, criado no ambiente virtual, testado, vendido e entregue ao cliente da melhor forma possível para que ele se divirta.

3 - Mente aberta

Uma área que começa a receber atenção especial do mercado é a gamificação, que leva o mundo dos jogos para outras áreas da sociedade, como a Educação, modernizando o processo de aprendizagem de determinadas disciplinas com jogos, realidade virtual e outras técnicas que deixam para trás a lousa e o giz.

Ou, ainda, a Saúde, com apps que estimulam atividades físicas e alimentação balanceada a quem precisa de cuidado constante. Também há o treinamento de mão de obra em empresas a partir de estratégias de jogos. Uma mudança até pouco tempo inimaginável no ambiente corporativo.

Serviço

O Centro Universitário Senac oferece o Bacharelado em Jogos Digitais, que dura quatro anos, e a Tecnologia em Jogos Digitais, com dois anos e meio de atividades. Ambos estão disponíveis no campus Santo Amaro, em São Paulo, e têm à disposição infraestrutura moderna e antenada com a realidade do mercado, além de professores de ponta, que entendem as necessidades de cada aluno.

Nos laboratórios, pode-se construir um projeto completo de game, indo desde a concepção e desenvolvimento do jogo em si como dos demais elementos necessários para o sucesso da empreitada, como estratégias de lançamento no mercado e publicação em loja virtual. Sem dúvida, vida universitária é no Centro Universitário Senac.