LGBT
18/09/2020 12:30 -03

J.K. Rowling diz que personagem que gerou acusações de transfobia 'tem base na vida real'

Resenha de novo livro publicada no jornal Telegraph disse que a moral do livro parece ser “nunca confie em um homem de vestido”.

J.K. Rowling disse que um dos personagens de seu novo romance policial, um assassino que em uma ocasião se disfarça de mulher para sequestrar uma vítima, foi livremente inspirado em dois homicidas da vida real.

Em um debate virtual agressivo, hashtags consideradas pró e anti-Rowling foram tendência no Twitter nesta semana após a publicação do romance na última terça-feira (16). Uma resenha antecipada do jornal Telegraph disse que a moral do livro parece ser “nunca confie em um homem de vestido”.

O novo romance de 900 páginas chamado Troubled Blood (ainda sem tradução ou previsão de lançamento no Brasil) é o quinto da série “Cormoran Strike”, que Rowling publica com o pseudônimo Robert Galbraith.

No site de Galbraith, Rowling descreveu o personagem como “um assassino serial sádico ativo nos anos 1960 e 1970 que se baseou livremente nos assassinos da vida real Jerry Brudos e Russell Williams – ambos manipuladores que ficaram com lembretes de suas vítimas”.

Brudos e Williams fetichizaram e roubaram itens de vestuários de mulheres antes de serem presos, respectivamente nos Estados Unidos e no Canadá, por vários assassinatos.

Toby Melville / Reuters
Writer J.K. Rowling attends the British premiere of 'Fantastic Beasts: The Crimes of Grindelwald' movie in London, Britain, November 13, 2018. REUTERS/Toby Melville

Críticos da autora da saga Harry Pottera acusaram de revelar um transfobia, enquanto apoiadores defenderam seu direito de escrever ficção sem que as pessoas tirem conclusões precipitadas sobre suas crenças ou a ofendam.

Há tempos Rowling enfrenta acusações de transfobia, que ela rejeita, por causa de alguns de seus posicionamentos sobre o tema. Em um ensaio publicado em junho, ela defendeu seu direito de falar sobre questões de sexualidade e transgeneridade sem medo de ofensas e detalhou preocupações com o impacto do ativismo de pessoas trans nos direitos das mulheres.

Em texto, ela vincula sua experiência com violência sexual no passado à uma preocupação com o acesso de mulheres trans a espaços exclusivos para mulheres cis, o que no entendimento da escritora oferecee acobertamento a “predadores”.

O artigo foi escrito após Rowling ser acusada de transfobia nas redes sociais após publicar uma série de tuítes considerados preconceituosos em um momento em que protestos contra a discriminação acontecem globalmente.

O comentário gerou repercussão mundial. Atores como Daniel Radcliffe, famoso pelo papel do aprendiz de bruxo da saga escrita por Rowling, disse que se sentiu “compelido” a falar em apoio à comunidade de transgêneros.

Assim como ele, Eddie Redmayne, protagonista de Animais Fantásticos e Onde Habitam disse que queria deixar “absolutamente claro” que não concordava com os comentários da autora. Já Emma Watson, que interpretou Hermione na saga Harry Potter, disse que quer que seus seguidores trans “saibam que eu amo vocês por quem vocês são”.

Três autores chegaram a deixar a agência literária de Rowling devido a opiniões da escritora. Todos justificaram a saída devido a decepção com o fato de a empresa não aceitar uma oferta para debater direitos LGBT a partir do episódio ou sequer fazer declaração em apoio à comunidade.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost