LGBT
20/11/2019 11:31 -03 | Atualizado 20/11/2019 12:09 -03

Ouça o terceiro episódio do podcast do HuffPost com o Festival Mix Brasil

Terceiro e último episódio da 1ª temporada do "HuffPost Mix Brasil" conversa com a artista Jup do Bairro e a videomaker Mayara Efe.

DIVULGAÇÃO/JOHN HALLES
Jup do Bairro, em cena de vídeo utilizado em seu crowdfunding para realizar o álbum "Corpo Sem Juízo".

“Meus olhos cansados se abrem pra um novo dia. Engulo a saliva da minha própria rebeldia. E quem diria que um dia cê (sic) me ouviria falar? É que minhas correntes foram soltas antes d’eu me expressar.”

O texto acima é da canção Corpo sem Juízo, da artista travesti Jup do Bairro. Na música, ela faz uma ode a um corpo rebelde, “que não quer saber do paraíso, mas que sabe que mudar o destino é seu compromisso”.

No terceiro episódio do podcast “HuffPost Mix Brasil”, a multiartista e a videomaker Mayara Efe conversam com a editora do HuffPost Brasil, Andréa Martinelli, sobre feminismo, negritude e sobre como Corpo sem Juízo, single de Jup, e o documentário Beat é Protesto, dirigido por Mayara que traz a cena das mulheres no funk, dialogam entre si ao falar de corpos e liberdade.

Ouça o episódio:

 

Aqui estão todos os episódios do “HuffPost Mix Brasil”

HuffPost/Montagem/Getty Images
Segundo episódio do HuffPost Mix Brasil fala sobre produções culturais LGBT e representatividade: quando teremos mais LGBTs sendo representados como merecem?

No primeiro episódio do “HuffPost Mix Brasil”, Vanessa Bruno e Paulo Salvetti, propositores do VULCÃO [criação e pesquisa cênica], contam como está sendo o processo de transformar Orlando, livro publicado em 1928 por Virginia Woolf, em um espetáculo teatral. Batizado de “Orlanx - Work In Progress”, o trabalho foi apresentado no festival Mix Brasil no último dia 15 de novembro.

Já no segundo episódio, o diretor do longa Música Para Morrer de Amor, Rafael Gomes, e Luca Scarpelli, publicitário, ator e dono do canal “Transdiário” no YouTube, que atuou no longa Eu, Um Outro, de Silvia Godinho, conversam sobre cinema, censura nos tempos atuais e como o crescimento da representatividade LGBT em produções culturais é um caminho sem volta.

#Episódio 1:

 

#Episódio 2:

 

Todos os episódios estão distribuídos nas plataformas de streaming Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts. Siga o perfil do HuffPost Mix Brasil para acompanhar os capítulos dessa conversa sobre cultura e diversidade.

Sobre o Festival Mix Brasil

Divulgação
Tema do "Festival Mix Brasil" de 2019 é "Persistir". 

Diante de incertezas que rondam alguns festivais de cultura no Brasil ― como Anima Mundi e Festival do Rio, por exemplo ― e de ofensivas do governo federal frente a produções culturais de temática LGBT, um evento persiste em voltar toda sua programação para questões de gênero e sexualidade. Em 2019, o Festival Mix Brasil chegou à sua 27ª edição com verba limitada, mas com programação cultural vasta que trouxe produções nacionais e estrangeiras.

O Mix Brasil, que é considerado o maior festival deste tipo da América Latina e quiçá do mundo, sofreu com o corte de 40% de seu orçamento em 2019. Este valor era destinado pelo Proac, programa do governo do Estado de São Paulo que, segundo organizadores, não apoiou o festival neste ano com a justificativa de “realocação de recursos”. Por isso, o quadro de funcionários foi enxugado, assim como a duração do festival ― que de 11 dias, passou para oito.

Não por acaso, a 27ª edição do festival tem como tema a persistência de quem trabalha no setor, de quem apoia e pertence à comunidade LGBT. Este tema dá continuidade à tônica do ano passado, que foi ”(R)Existo”. Em 2018, o Mix Brasil aconteceu logo depois da eleição do presidente Jair Bolsonaro, que coleciona um histórico recente de declarações homofóbicas e cuja agenda conservadora coloca em risco conquistas e pleitos da comunidade LGBT. 

O evento, que começou no último dia 13 de novembro, terá seu encerramento nesta quarta-feira (20), no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Neste ano, o festival trouxe 110 filmes nacionais e internacionais de 26 países, além de atrações que envolvem teatro, música e literatura ― com entrada gratuita.

Festival Mix Brasil é uma realização da Associação Cultural Mix Brasil e Ministério da Cidadania, conta com a iniciativa da Lei de Incentivo à Cultura, o patrocínio do Itaú, Spcine e Secretaria Municipal de Cultura, apoio cultural de Sesc-SP e Biblioteca Mario de Andrade; além do apoio institucional do Itaú Cultural, Dot Cine, Ctav, Mistika e promoção do Canal Brasil.