ENTRETENIMENTO
10/01/2019 08:48 -02 | Atualizado 10/01/2019 08:49 -02

'Homem-Aranha no Aranhaverso' é um dos melhores filmes de super-herói já feitos

Animação traduz a estética dos quadrinhos como nunca se viu antes.

Divulgação
Produção que ganhou o Globo de Ouro de Melhor Animação reúne diversas versões do Cabeça de Teia.

Fãs de quadrinhos sempre reclamaram que os filmes de seus super-heróis preferidos, por melhores que sejam, ignoram as HQs, meio em que esses personagens nasceram e se desenvolveram.

Questão que foi - ou pelo menos boa parte dela - resolvida em Homem-Aranha: No Aranhaverso, animação que estreia nesta quinta-feira (10) nos cinemas e que pode facilmente ser classificada como um dos 5 melhores filmes de super-herói já feitos até hoje.

Diferentemente de muitos de seus pares lançados nos últimos anos, a animação dirigida pela dupla Bob Persichetti e Peter Ramsey utiliza a estética dos quadrinhos de um jeito muito contemporânea, mas que nunca se esquece de suas raízes.

Sua narrativa moderniza elementos gráficos típicos das HQs, como o design das páginas e aqueles balõezinhos de “Pow!”, “Kapow!”, “Bam!”, “Sock!” que tornaram-se icônicos com o Batman da série de TV dos anos 1960.

Divulgação
"Novo" Homem-Aranha é Miles Morales, um garoto pobre do Brooklyn filho de um policial negro e de uma enfermeira porto-riquenha.

Isso sem falar no quanto o filme está em sintonia com o mundo de hoje e seu principal público, os adolescentes. A diversidade é tratada com naturalidade e seu ritmo alucinante e cheio de informações pipocando por todos os cantos da tela pode até ser estranho para o público mais velho, mas a molecada vai tirar de letra.  

Em Homem-Aranha: No Aranhaverso, Miles Morales é um típico adolescente pobre do Brooklyn (região de Nova York). Filho de um policial negro e uma enfermeira porto-riquenha, ele acaba de conseguir uma bolsa em uma escola de elite. Em uma aventura com seu tio grafiteiro, ele acaba sendo picado por uma aranha similar a que transformou Peter Parker no Homem-Aranha. Logo depois disso, ele vê Parker morrer em uma luta contra o Rei do Crime. Ao visitar o túmulo de seu herói, Morales acaba cruzando com um misterioso homem que, estranhamente, mostra ser Peter Parker. Mas ele não é o Peter Parker que ele conhecia.

Divulgação
Versões do Homem-Aranha de diferentes universos se encontram no mundo de Miles Morales.

Morales apareceu pela 1ª vez nas aventuras do Homem-Aranha em 2011, como uma versão do herói de um universo paralelo. O Aranhaverso como um todo apareceu nos quadrinhos The Amazing Spider-Man em 2014. O evento apresentou todas as versões do Homem-Aranha já retratadas em diversas mídias, incluindo quadrinhos, séries e filmes.

Essa linha do tempo que converge diversos universos com “Homens-Aranha” diferentes - onde o personagem pode ser uma mulher, um robô e até um porco - pode parecer confusa, mas é retratada com clareza e humor, sem nunca cair no didatismo.

Atual vencedor do Globo de Ouro de Melhor Animação, Homem-Aranha: No Aranhaverso é um sopro de inovação em um gênero que já parecia estagnado. Parece que, pelo menos no cinema, 2019 tem tudo para ser um ótimo ano.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost