POLÍTICA
04/02/2019 07:34 -02 | Atualizado 04/02/2019 12:25 -02

Hélio Negão pede a militares sugestões para a reforma da Previdência

Escudeiro de Bolsonaro na Câmara, deputado reclama da inércia de parlamentares militares.

Reprodução/Instagram/@heliobolsonaro
Hélio Negão é militar, assim como Bolsonaro. Ambos se aproximaram por causa da atuação do deputado no Comando Militar Leste.

Apadrinhado pelo presidente Jair Bolsonaro(PSL), o deputado Hélio Negão (PSL-RJ) está colhendo sugestões de militares para a reforma da Previdência.

A mudança no sistema de aposentadorias é o principal desafio do presidente no Legislativo. Além da impopularidade da medida, um dos setores mais resistentes à alteração é justamente o formado por militares.

Aos militares que o abordavam após a cerimônia de posse na Câmara dos Deputados, Hélio Negão anunciava que estava recebendo sugestões. Ele também reclamou da inércia dos parlamentares militares. 

“Estou sempre cobrando: ‘gente, gente, as Forças Armadas, Marinha, Exército’. Aqui tem vários parlamentares militares, em vez de eles pegarem logo a proposta, o que querem o que não querem, eles não mandam, não. Depois da votação, o que na minha consciência vai ser o certo, o povo reclama.”

O deputado, entretanto, afirmou que ainda não sabe se a categoria vai entrar na reforma. Tanto o ministro da Secretaria de Governo, general Santa Cruz, quanto o novo comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, já defenderam publicamente que os militares sejam excluídos do texto.

A expectativa, no entanto, é que o governo envie ao Congresso uma proposta que aumenta de 30 para 35 anos o tempo mínimo de serviço dos militares.

Hélio Negão, que se elegeu como Hélio Bolsonaro, mas quer ser chamado de Hélio Lopes, é militar, assim como Bolsonaro. Ambos se aproximaram por causa da atuação do deputado no Comando Militar Leste. 

O deputado, que chama Bolsonaro de irmão, diz que a amizade não mudou após a vitória na eleição presidencial.