LGBT
16/12/2019 16:34 -03 | Atualizado 16/12/2019 23:36 -03

Glamour Garcia é a 1ª atriz trans a ganhar troféu 'Melhores do Ano', no programa Domingão do Faustão

Atriz desbancou Nany People e Carol Garcia ao ser escolhida pelo público como "atriz revelação" de 2019 no último domingo (15).

Divulgação
Glamour Garcia com o troféu de atriz revelação no "Troféu Domingão - Melhores do Ano".

“Infelizmente a estatística de vida das pessoas trans ainda é muito curta”, disse a atriz Glamour Garcia, de 31 anos, ao receber o troféu de atriz revelação no prêmio “Melhores do Ano”, no Domingão do Faustão, da TV Globo, no último domingo (15). Desde 1995, o programa exibe a premiação que reconhece talentos que se destacam em produções da emissora ao longo do ano.

Garcia, que interpretou a personagem Britney na trama de A Dona do Pedaço, escrita por Walcyr Carrasco, disputou o prêmio na noite de ontem com as também atrizes Nany People e Carol Garcia. Escolhida pela votação popular, ela agora ostenta o título de ser a primeira mulher trans a vencer a premiação.

Em seu discurso, além de destacar a baixa expectativa de vida das pessoas trans, que é de 35 anos ― já a média nacional, segundo dados do IBGE é de 75,5 anos ― Garcia afirmou que ser premiada e estar no horário nobre da televisão ao lado de Nany People prova que uma outra narrativa é possível.

“Justamente por causa disso [preconceito e baixa expectativa de vida], as pessoas trans são violentadas e assassinadas ainda. Estar aqui hoje junto com a Nany [People] é uma prova de que nós não somos só capazes, nós também somos felizes, acreditamos, ocupamos nosso espaço. E eu tenho muito orgulho de ser atriz e estar aqui hoje”, celebrou.

Garcia ainda falou sobre religiosidade e o quanto sua fé a ajudou na profissão. “Eu queria honestamente agradecer a Nossa Senhora Aparecida, eu sempre tive muita fé e eu acho que foi essa luz que me trouxe ate aqui hoje; me trouxe a alegria de estar aqui com as minhas amigas, com você [Fausto]”, disse.

Ao final, também agradeceu a Marco Nanini, Ary Fontoura, Sueli Franco, Betty Faria e Rosi Campos, seus colegas de núcleo em A Dona do Pedaço. “Pessoas que realmente... eu não tenho o que dizer sobre elas. Eu aprendi, acima de tudo, a sorrir e a ser feliz, mais uma vez, fazendo o que eu faço. Obrigada!”. 

A visibilidade de Glamour como “Britney”

Reprodução/TV Globo
Britney (Glamour Garcia) e Abel (Pedro Carvalho), em cena de "A Dona do Pedaço".

Entre os muitos assuntos do universo LGBT abordados em novelas, séries de TV e cinema, histórias que dão destaque a personagens transexuais são as mais raras — quando não são praticamente inexistentes ou interpretadas por atores cisgênero (de acordo com o gênero designado no nascimento).

Diante desta invisibilidade, soma-se o dado de que Brasil ainda é o País que mais mata pessoas trans no mundo, segundo a ONG Transgender Europe. De acordo com levantamento da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), em conjunto com o Instituto Brasileiro Trans de Educação (IBTE), 163 pessoas trans foram assassinadas no País em 2018.

Criticada por não abordar com profundidade questões que atingem diretamente a população trans com responsabilidade, a personagem Britney, interpretada por Glamour Garcia em A Dona do Pedaço, teve um momento de protagonismo no final da novela ao se casar com Abel, personagem interpretado por Pedro Carvalho: após o “sim” na cerimônia, personagem de Garcia protagonizou o 1º beijo entre uma atriz trans e um ator cisgênero em uma novela da TV Globo.

Na trama, Walcyr Carrasco trouxe a história de Britney, uma jovem que se reapresentou como mulher trans após anos longe da família. Tímida e humilde, ela trabalhou na fábrica de bolos de Maria da Paz, interpretada por Juliana Paes). Lá, conheceu Abel, um confeiteiro de origem portuguesa, que se apaixonou perdidamente por ela.

Entre todos os personagens que convivem com Britney, Abel foi o único incapaz de perceber que ela é trans ― além de, mesmo sendo namorados, os dois não protagonizarem cenas de contato físico, diferente de outros casais heterossexuais presentes na trama e interpretados por atores e atrizes cis.

Em determinado momento da trama, Britney conversa com Abel sobre sua identidade de gênero. Na cena, ele reage de forma violenta e a rejeita de forma imediata. Momentos antes, ele havia declarado todo seu amor à jovem e a pedido em casamento. Mas um detalhe foi capaz de mudar tudo.

Segundo o site Notícias da TV, a pedido do diretor de dramaturgia da Globo, Silvio de Abreu, o autor Walcyr Carrasco foi obrigado a reescrever a cena. Originalmente, Abel diria que Britney é um “frankenstein” e ameaçaria dar uma surra nela. Por considerar o conteúdo pesado e com potencial transfóbico, Carrasco precisou deixar a cena mais respeitosa e, por isso, foi regravada.

⁠Na época, telespectadores apontaram um erro na narrativa construída por Carrasco que destacou a necessidade de Britney contar a Abel que é uma mulher trans. “Britney é mulher, não precisava contar ‘pro’ Abel. Ele não foi enganado”, pontuou um dos telespectadores nas redes sociais.

O momento que mais emocionou o público foi quando, no mesmo capítulo, Britney chega em casa aos prantos após ser humilhada por Abel no meio da rua e é acolhida pela família em especial por Roque, personagem de Caio Castro ― construído como “irresponsável” e “mulherengo” na trama.

Poucos conflitos x visibilidade no horário nobre

Divulgação/TV GLobo
Britney, que é interpretada pela atriz Glamour Garcia, na cena em que conta para Abel (Pedro Carvalho) que é uma mulher trans em 'A Dona do Pedaço'.

Após o momento da rejeição de Abel, a história de Britney se desenvolveu com poucos conflitos e destaques, a não ser as cenas com Fabiana (personagem de Nathalia Dill) marcadas por transfobia contra a personagem ― nesse contexto, Garcia conseguiu falar sobre respeito, nome social e empregabilidade no horário nobre da TV Globo. Porém, assim como heroínas românticas, a narrativa e resumiu ao sofrimento frente a reconquista de seu grande amor.

Após meses, houve uma breve reconciliação e Britney aceita se casar com Abel. “Eu conheci a Britney e me apaixonei no primeiro olhar... Hesitei quando soube... Mas estava a fugir da minha felicidade... porque meu coração sempre foi dela. Nunca poderia amar outra pessoa”, disse o Abel na cena em que o casamento acontece. O casal só se beijou na trama após dizer “sim” no altar.⁠

Garcia comemorou o desfecho de sua personagem publicando um vídeo em seu Instagram em que aparece vestida de noiva. “Um sonho que jamais vai terminar”, escreveu. Pedro Carvalho, o Abel, escreveu nos comentários: “Te amo, minha irmã, que ficará para a vida.”

Além de Glamour, outras artistas trans ganharam destaque em novelas e séries da TV Globo recentemente. Nany People ― que concorreu na mesma categoria que ela no “Melhores do Ano” ― e contracenou com Lilian Cabral em O Sétimo Guardião, e Linn da Quebrada, que atualmente está na série Segunda Chamada no papel da estudante Natasha.