ENTRETENIMENTO
05/05/2020 14:53 -03 | Atualizado 05/05/2020 17:21 -03

'Gladiador', 20 anos: 10 coisas que você não sabia sobre o épico que se tornou clássico

Em 5 de maio de 2000 estreava nos Estados Unidos um dos filmes mais icônicos do século 21.

Hoje nós sabemos que Gladiador é um dos filmes mais celebrados da primeira década dos anos 2000, mas quando foi lançado nos Estados Unidos, no dia 5 de maio de 2000, o filme tinha tudo para ser um grande fracasso.

O roteiro mal tinha sido escrito quando as filmagens começaram, no Marrocos. E elas não foram nada fáceis. Além de egos inflados e problemas técnicos e metereológicos, nem o diretor Ridley Scott tinha lá muito ideia do que sairia daquilo tudo, pois tinha um calendário dos mais apertados.

“Eu li o roteiro e achei que não era um filme. Mas Parkes [o produtor J.F. Parkes] disse: ‘Se passa em 184 d.C., você é um general romano e será dirigido por Ridley Scott’. Isso foi o suficiente para eu querer falar com Ridley”, disse Russell Crowe, a estrela do filme, à revista Variety.

Por uma série de fatores e uma boa dose de boa fortuna, a combinação de um cineasta casca grossa como Scott com atores não menos cascudos e cheios de atitude acabou, ao contrário do que se esperava, dando certo. Tanto que o fato de ter um roteiro precário foi até bom, pois foi na base da improvisação que algumas das mais icônicas frases ditas no filme nasceram.

O sucesso foi imediato. Gladiador estreou no topo da bilheteria e abocanhou nada menos que cinco estatuetas do Oscar em 12 disputadas. Venceu nas categorias Melhor Filme, Ator (para Crowe), Mixagem de Som, Efeitos Visuais e Figurino. Além de ter sido a 3ª maior bilheteria do ano de 2000, atrás apenas de O Grinch e Missão Impossível 2, o 1º e 2º lugares, respectivamente.

Gladiador conta a história de um general romano chamado Maximus Decimus Meridius (Crowe), que é traído por inimigos do imperador Marco Aurélio, vê sua família ser morta e é forçado à escravidão. Negociado como gladiador, ele se transforma uma verdadeira lenda nas arenas romanas até virar uma das grandes atrações do Coliseu. Mas sua fama atinge em cheio o ego do novo imperador, o jovem e cruel Commodus (Joaquin Phoenix). 

20 anos depois, Scott promete uma sequência, que ele afirma estar em andamento. Mas enquanto isso não aconteceu (se é que um dia vai acontecer), celebramos o aniversário desse épico que acabou se transformando em um clássico com 10 coisas que você - provavelmente - não sabe sobre Gladiador.

1 - Uma imagem vale mais que mil palavras

Reprodução

Gladiador não é um projeto pessoal de Ridley Scott. O cineasta foi convencido pelos produtores a dirigir o filme. Como? Eles Mostraram a ele uma pintura do artista francês Jean-Léon Gérôme chamada Pollice Verso. “Essa imagem me mostrou o Império Romano em toda a sua glória e crueldade. Soube naquele momento que dirigiria o filme”, disse Scott em uma entrevista na época do lançamento de Gladiador.

2 - Para cima ou para baixo?


Assim como mostra a pintura de Jean-Léon Gérôme e no próprio Gladiador, o sinal com o polegar para cima e para baixo indicava os pedidos pela misericórdia ou morte dos gladiadores nas arenas. Porém, na Roma Antiga, esses sinais significavam exatamente o contrário. O dedão para cima queria dizer “morte” e para baixo, “misericórdia”.

3 - No pain, no gain

Divulgação

Durante as filmagens de Gladiador, Russel Crowe quebrou dois ossos do quadril, dois nos pés e lesionou o músculo dos dois bíceps. Alguns ferimentos de seu personagem mostrados na tela são reais. Como um que aparece em seu rosto em uma batalha no início do filme. O ator tinha levado um coice de um cavalo.

Isso sem falar que ele teve que perder 18 quilos para o papel, pois tinha acabado de filmar O Informante, em que ele interpreta um químico que trabalhava para a indústria do tabaco, um homem bem mais velho e sedentário.

Mas o sacrifício deu resultado. Tanto que logo depois de perder o Oscar de Melhor Ator com O Informante, Crowe faturou o prêmio no ano seguinte como o gladiador Maximus.

4 - Liberdadeeeeeeee!


Até hoje há um boato de que o papel de Maximus foi originalmente escrito para Mel Gibson e que ele recusou por se achar velho demais, mesmo após apenas 5 anos depois de estrelar (e dirigir) Coração Valente. No entanto, Ridley Scott nega e já disse diversas vezes que Russell Crowe - mesmo na época não sendo um ator tão conhecido assim - sempre foi sua única escolha para o papel.

5 - Quem sabe faz ao vivo


Gladiador
acumulou dezenas de prêmios, mas nenhum deles foi para o seu roteiro, que, convenhamos, era uma bagunça. Apenas 32 páginas do script haviam sido concluídas quando as filmagens começaram. O resto foi sendo escrito durante o processo, dando muito espaço para improvisação. Tanto que  a descrição de Maximus sobre como era sua casa era, na verdade, Crowe descrevendo sua própria fazenda, na Austrália. Outra famosa frase totalmente improvisada foi a do imperador Commodus (Joaquin Phoenix) para sua irmã Lucilla (Connie Nielsen): “Am I not merciful?” (Eu não sou piedoso?). 

6 - Uma família não muito unida e também muito ouriçada

Divulgação

Commodus - que fisicamente não tinha nada a ver com Joaquin Phoenix, pois era descrito como sendo loiro, alto e musculoso - era conhecido como o “Imperador Gladiador”. Isso porque, além de treinar constantemente com gladiadores, era um habitué do Coliseu. Ele ostentava 620 vitórias nesses combates, mas a verdade é que seus oponentes não tinham coragem de derrotar o imperador. Mesmo assim, ele tinha o costume de matar seus parceiros de treino. E quando começou a mandar às arenas deficientes físicos para serem mortos, sua popularidade começou a cair. Em 182 d.C., ele sobreviveu a uma tentativa de assassinato a mando de sua própria irmã, Lucilla.

7 - Bad boys do passado

Divulgação

Tanto Russel Crowe quanto Joaquin Phoenix são conhecidos como atores de difícil convivência, acumulando vários desentendimentos e desafetos com o passar dos anos. Mas essa dupla é fichinha perto de dois outros colegas de elenco de Gladiador: Oliver Reed e Richard Harris.

O primeiro já era considerado um pária em Hollywood há décadas. Suas constantes bebedeiras eram comparáveis apenas às de Harris (que no filme interpreta o envelhecido imperador Marco Aurélio), que certa vez comprou um pequeno pub no interior da Inglaterra apenas porque o dono queria fechar e ele queria continuar bebendo com outro grande companheiro de copo: o ator Peter O’Toole.

Reed, que morreu de ataque cardíaco no meio das filmagens de Gladiador e deu um trabalhão para a finalização do filme, admitiu que só aceitou o papel do comerciante de escravos Proximo porque ganharia uma viagem de graça para Londres.  

8 - Números Maximus

Divulgação

Além de muito elogiado pela crítica, Gladiador foi um enorme sucesso de público, acumulando uma bilheteria de US$ 460 milhões. Porém, custou uma verdadeira fortuna para a época: US$103 milhões. Tudo por conta de sua grandiosidade e uma certa dose de megalomania. A produção utilizou mais de 10 mil figurinos, entre eles, armaduras feitas de aço! Apenas a réplica do Coliseu romano custou mais de U$ 1 milhão. Construído basicamente de madeira compensada e gesso, tinha 16 metros de altura. Mas apenas as duas primeiras fileiras do Coliseu eram preenchidas com pessoas reais. O resto é efeito de computador, o famoso CGI.

9 - Mitos e verdades sobre os gladiadores


Há muitos mitos sobre os gladiadores. Um deles é que eles se alimentavam basicamente de carne, o que não era verdade. A maioria tinha uma dieta vegetariana. E o motivo é o mais banal possível: porque era mais barato. Além disso, como os esportistas de hoje, alguns deles eram verdadeiras celebridades e endossavam produtos. Ou seja, tinham patrocinadores! Esse fato não foi levado em conta no filme porque os produtores achavam que o público não acreditaria que fosse algo real. 

Outro fato distorcido é que, na vida real, a maioria dos gladiadores não terminavam em morte. Claro que a função era das mais arriscadas e gladiadores não eram famosos por ter vida longa, mas combates até a morte eram raridade.

10 - Quem não tem rinoceronte, caça com tigre

Divulgação

As cenas com animais, principalmente com os tigres, ficaram famosas em Gladiador. Mas a coisa poderia até ser ainda mais louca. No roteiro original, havia uma sequência em que Maximus lutava com um rinoceronte. No entanto, o bicho mostrou-se extremamente difícil de treinar. A produção até tentou fazer uma versão em CGI, mas, na época, o resultado não ficou natural. O jeito foi se contentar com os tigres mesmo.