NOTÍCIAS
17/01/2019 08:20 -02

General que deixou Funai por pressão de ruralistas volta ao cargo

Escolhido por Damares, Franklimberg Ribeiro de Freitas vai chefiar a fundação na gestão Bolsonaro.

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Franklimberg Ribeiro de Freitas já presidiu a Funai no governo Temer.

O general Franklimberg Ribeiro de Freitas voltará a presidir a Funai (Fundação Nacional do Índio). A escolha foi feita por Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, pasta a que a Funai está subordinada.

O nome de Freitas foi formalizado em edição extra do Diário Oficial da União desta quarta-feira (16).

Freitas deixou a presidência do órgão em abril de 2018, após pressão da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), conhecida como bancada ruralista.

À época, o então presidente Michel Temer recebeu uma carta assinada por 40 deputados e senadores exigindo o afastamento do general com o argumento de que ele não estava colaborando com o agronegócio.

A Funai era vinculada ao Ministério da Justiça, mas foi remanejada de pasta no governo Jair Bolsonaro (PSL).

Além disso, a demarcação de terras indígenas, que era uma das principais atribuições da Funai, não está mais com órgão e foi delegada à Secretaria de Assuntos Fundiários, vinculada ao Ministério da Agricultura.

De acordo com o jornal O Globo, após ser demitido da Funai, o general assumiu o cargo de presidente do conselho consultivo para assuntos indígenas da mineradora canadense Belo Sun, que tem projetos de exploração em locais próximos a terras indígenas no Brasil, sem cumprir quarentena.

Ele deveria ter aguardado 6 meses antes de assumir uma função relacionada às atividades na Funai, mas nem chegou a consultar a Comissão de Ética Pública da Presidência da República sobre a necessidade de afastamento.