Divisórias de plástico e manequins: Será esse o futuro de comer fora?

Restaurantes do mundo inteiro estão adotando soluções criativas para garantir o distanciamento social.

Restaurantes do mundo todo estão se preparando para reabrir depois da pandemia. Como será a experiência de comer fora?

Francini Osorio, dono do Francini Cafe de Colombia, em Worcester (Inglaterra), investiu 2.000 libras em 35 cortinas de chuveiro e um purificador de ar. Ele comprou um purificador produzido na Alemanha, um modelo usado em hospitais para evitar a disseminação de vírus no ambiente.

“Não tenho como garantir que seja eficaz, mas a máquina é feita para isso”, afirma Osorio. “Achei que ter as duas opções vai fazer meus clientes sentirem mais segurança.”

Osorio está criando uma rotina para a reabertura. Quando um grupo de clientes deixar uma mesa, haverá um intervalo de 15 minutos até que ela volte a ser ocupada. Neste tempo, será feita uma limpeza minuciosa do espaço. Os funcionários também usarão máscaras e luvas.

“Vai ser difícil, desconfortável para os funcionários, mas não temos muitas alternativas”, diz ele.

Donos de cafés e restaurantes também estão avaliando as maneiras de reabrir seus negócios de maneira segura – buscando inspiração mundo afora.

Veja algumas soluções criativas:

Divisórias

Divisórias transparentes – de plástico, acrílico ou vidro ― são cada vez mais vistas em restaurantes desde o começo da pandemia.

Shaiml Thakrar, co-fundador da rede de restaurantes britânica Dishoom, disse que a empresa está considerando usar essa solução quando suas lojas reabrirem.

As fotos abaixo mostram exemplos do uso de divisórias em restaurantes de Bangkok, Milão, Hong Kong e Califórnia:

Milão
Milão
Califórnia
Califórnia
Hong Kong
Hong Kong
Tailândia
Tailândia

Manequins e monstros

O Inn at Little Washington, um restaurante americano, espalhou manequins pelo salão para que os clientes de verdade não se sintam muito sozinhos.

O Inn at Little Washington.
O Inn at Little Washington.

Nesta praça de alimentação de um shopping em Bangkok, na Tailândia, a solução foi espalhar dragões de papelão. As autoridades do país permitiram que lojas de departamento, shoppings e outros negócios reabrissem em 17 de maio, com certas restrições. Uma das funções dos dragões é evitar a superlotação dos espaços.

Monstros em praça de alimentação de shopping na Tailândia.
Monstros em praça de alimentação de shopping na Tailândia.

Chapéus de distanciamento

A dona do Cafe Rothe, em Schwerin (Alemanha), pediu que os clientes usassem chapéus com espaguetes de piscina. A ideia, disse Jaqueline Rothe ao jornal The Independent, era fazer os clientes sorrir (em vez de cobrar distanciamento social).

Ela também espera que a imagem deixe claras as complicações de manter o negócio aberto com as novas regras estabelecidas pelo governo alemão. O café costumava ter 36 mesas no salão fechado e outras 20 do lado de fora. Agora, são 12 dentro e apenas 8 na parte externa.

Estufas de quarentena

O bar e restaurante Mediamatic ETEN, da Holanda, montou “salas separadas” para cada mesa – mas a novidade logo passou a ser chamada de “estufas de quarentena”. Até 3 pessoas podem ocupar cada uma das “estufas”.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.