POLÍTICA
31/12/2019 08:19 -03

As frases que Bolsonaro falou em 2019, mas poderiam ter sido ditas no século passado

Nos últimos 365 dias, Bolsonaro não perdeu a oportunidade de falar, gritar e ofender milhares de pessoas ― e, é claro, agradar seus admiradores.

Se teve uma coisa que o presidente Jair Bolsonaro fez bem neste primeiro ano de governo foi gerar polêmicas.

Nos últimos 365 dias, Bolsonaro não perdeu a oportunidade de falar, gritar e ofender milhares de pessoas ― e, é claro, agradar seus admiradores. 

Ele falou muito, mas muito. E muitas dessas frases poderiam perfeitamente ter sido ditas no século passado. Relembre algumas das declarações mais retrógradas do presidente em... veja bem... 2019:

Adriano Machado / Reuters
Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade.25 de abril de 2019

E disse ainda: 

O Brasil não pode ser um País do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias.25 de abril de 2019

Essas duas pérolas foram ditas em abril, em um café da manhã com jornalistas. Bolsonaro comentava a decisão do Museu Americano de História Natural de Nova York de não sediar um evento em homenagem a ele e afirmou que começou “a tomar pancada do mundo todo quando eu acusei o Kit Gay”. “Eu comecei a assumir essa pauta conservadora. Essa imagem de homofóbico ficou lá fora. Isso não prejudica investimentos. O pessoal quando fala em dinheiro. O Brasil não pode ser um País do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias”, afirmou, segundo o jornal Estado de S. Paulo.  

Quando um moleque de 9 ou 10 anos vai trabalhar em algum lugar, tá cheio de gente aí: 'trabalho escravo, não sei o quê, trabalho infantil...'. Agora, quando tá fumando um paralelepípedo de crack, ninguém fala nada. Então, o trabalho não atrapalha a vida de ninguém.4 de julho de 2019

A declaração foi dada durante uma live no Facebook do presidente. Nela, ele ainda criticou o excesso de direitos e os poucos deveres, que prejudicam o desenvolvimento da juventude, na sua opinião.

O Brasil é uma virgem que todo tarado de fora quer.06 de julho de 2019

A frase foi dita quando o presidente falava sobre o processo de demarcação de terras indígenas e o desmatamento na Amazônia.

 
Muitos tentam nos deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares: Nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes.10 de julho de 2019

A declaração foi dada em julho, ao participar de uma cerimônia religiosa na Câmara e mencionar que indicaria um ministro “terrivelmente evangélico” para o Supremo Tribunal Federal.

Não posso admitir que, com dinheiro público, se façam filmes como o da Bruna Surfistinha. (...) Não somos contra essa ou aquela opção, mas o ativismo não podemos permitir, em respeito às famílias.18 de julho de 2019

Presidente deu essa declaração ao transferir o Conselho Superior do Cinema (CSC) da estrutura do Ministério da Cidadania para a Casa Civil.

Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora passar fome, não. Você não vê gente pobre pelas ruas com físico esquelético como a gente vê em alguns outros países por aí pelo mundo.19 de julho de 2019.

Bolsonaro rejeitou dados sobre o aumento da pobreza e fome no País e disse que é mentira que pessoas passem fome no Brasil. Horas depois, ele voltou atrás e disse que “alguns passam fome”.

Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão [governador Flávio Dino]19 de julho de 2019

Na mesma coletiva em que afirmou que não havia fome no Brasil, Bolsonaro também deu declarações preconceituosas relacionadas aos governadores do Nordeste, principalmente o do Maranhão, Flávio Dino (PC do B). 

[A questão ambiental importa] só aos veganos que comem só vegetais.20 de julho de 2019

Também em julho, Bolsonaro disse que só veganos se importavam com o meio ambiente após reafirmar sua vontade de transformar a baía de Angra dos Reis, que hoje é uma área protegida como Estação Ecológica de Tamoios, em uma “Cancún brasileira”. 

Ela [Míriam Leitão] estava indo para a guerrilha do Araguaia quando foi presa em Vitória. E depois conta um drama todo, mentiroso, que teria sido torturada, sofreu abuso etc. Mentira. Mentira.20 de julho de 2019

Em 20 de julho, o presidente acusou erroneamente a jornalista Míriam Leitão de integrar a luta armada durante a Ditadura Militar, questionou se a colunista do jornal O Globo havia sofrido tortura durante o regime e a chamou de mentirosa.  

Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele.29 de julho de 2019

Ao reclamar da atuação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) na investigação do caso de Adélio Bispo, autor do atentado à faca do qual foi alvo durante a corrida presidencial, Bolsonaro foi para cima do presidente da entidade, Felipe Santa Cruz, cujo pai, Fernando, desapareceu durante a Ditadura Militar. A Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos destacou no atestado de óbito em julho que a morte de Fernando Santa Cruz ocorreu “de forma não natural, violenta e causada pelo Estado brasileiro”.

Você olha que as as pessoas que têm mais cultura têm menos filhos. Eu sou uma exceção à regra, tenho cinco, tá certo? Mas como regra é isso.9 de agosto de 2019

A declaração do presidente foi dada ao defender a adoção de uma política de planejamento familiar. 

 

Belas frases, não? Só perdem para o silêncio. 

 

Mas não foi só ele... 

Bolsonaro não foi o único do governo a distribuir pérolas neste ano. Seus ministros e filhos tiveram seus pontos altos na batalha contra o silêncio. 

Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, declarou, ao assumir a pasta, em 3 de janeiro que agora ”é uma nova era no Brasil: Menino veste azul e menina veste rosa”.

Já Abraham Weintraub, ministro da Educação, chegou a defender a Monarquia no dia em que celebramos a Proclamação da República.

Antes disso, em abril, Abraham afirmou que as universidades nordestinas não deveriam ensinar sociologia nem filosofia, e sim, agronomia. “Em Israel, o Jair Bolsonaro tem um monte de parcerias para trazer tecnologia aqui para o Brasil. Em vez de as universidades do Nordeste ficarem aí fazendo sociologia, fazendo filosofia no Agreste, [devem] fazer agronomia, em parceria com Israel”, disse, à época.

Por fim, o filho 03, Eduardo Bolsonaro, mandou avisar em 31 de outubro que, “se a esquerda radicalizar, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5.”

 

Que venha 2020, galera!