NOTÍCIAS
22/08/2019 17:41 -03 | Atualizado 23/08/2019 10:42 -03

As fotos de animais carbonizados e incêndios na Amazônia são verdadeiras?

Aqui está o contexto de 5 imagens que viralizaram sobre as queimadas no bioma.

Bruno Kelly / Reuters
Trecho da Floresta Amazônica em chamas enquanto é desmatado por madeireiros e agricultores em Iranduba. Foto de 20 de agosto de 2019.

As notícias sobre incêndios na Amazônia chamaram atenção do mundo inteiro. Desde a última segunda-feira (19), as redes sociais foram tomadas por mensagens de indignação em relação aos focos de incêndio na tríplice fronteira entre o Brasil, a Bolívia e o Paraguai.

Na quarta (21), a hashtag #PrayForAmazonas foi um dos termos mais comentados no Twitter e uma avalanche de fotos de fumaça, animais carbonizados e árvores destruídas se espalhou na internet.

A reação se tornou ainda mais crítica após declarações do presidente Jair Bolsonaro em que insinua, sem provas, de que ONGs teriam causado os incêndios para “jogar contra” o governo. 

Levantamento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), feito diariamente por satélite, no entanto, mostra que apenas entre o domingo (18) e a segunda-feira, apareceram 1.346 novos focos de incêndios no Brasil. Desde a última quinta-feira (15), são 9.507 novos pontos de queimada.

Revoltados, usuários passaram a publicar em seus perfis imagens chocantes do que poderia estar ocorrendo na Amazônia.

Apesar de a situação ser grave e ter consequências diretas e indiretas na sobrevivência de todo o mundo, é preciso ter cuidado ao compartilhar algumas das imagens.

Isso porque, algumas das fotos foram retiradas de contexto ou sequer são de situações que aconteceram no Brasil.

Entenda melhor o que significa cada uma das imagens virais abaixo.

1. A dor da mãe macaca e o seu filhote

É impossível não se sensibilizar com a expressão e o simbólico da imagem de um macaco adulto que carrega em seus braços um animal da mesma espécie menor. 

Por sua força, a imagem se tornou uma das mais compartilhadas nas redes sociais. No entanto, ela não remete aos incêndios que acontecem no Brasil.

Ela foi tirada pelo fotógrafo indiano Avinash Lodhi em Jabalpur, na Índia, há alguns anos. Mais especificamente, o fotógrafo publicou a imagem em seu perfil do Facebook no Dia Internacional do Macaco, em 2017.

Outra imagem que provoca desconforto é a de um coelho carbonizado. A foto também foi amplamente reproduzida. Mas o registro é de um animal que morreu durante um incêndio em Woolsey, na Califórnia, em novembro de 2018, de acordo com a AFP.

Reprodução/Shutterstock

2 - A faixa de fogo que percorre a Amazônia

Algumas imagens dispensam legendas. Essa é uma delas. Uma área preta e destruída; uma faixa vermelha de fogo pulsante engolindo o verde da floresta.

Sim, ela é real. E sim, ela foi tirada na Floresta Amazônica, mas não no contexto dos atuais incêndios florestais.

De acordo com a Reuters, a imagem é de 4 de agosto de 2017 e foi feita pelo fotógrafo Bruno Kelly, durante a “Operação Onda Verde”, do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Bruno Kelly / Reuters

A operação é uma estratégia do órgão contra o desmatamento ilegal na floresta. A equipe leva agentes do Ibama e da Polícia Militar Ambiental do Amazonas para buscar e destruir acampamentos, multar desmatadores e recolher equipamentos.

Todos os anos, a Amazônia é vítima de incêndios criminosos. Neste ano, o índice de focos de queimada no País cresceu 83% em relação ao mesmo mês no ano passado.

 3. A queimada no Maranhão

Uma outra imagem, de 2014, também repercutiu nas redes. Dessa vez, o fogo toma o solo e a fumaça cobre todo o céu. A imagem faz parte do banco da agência Getty Images e foi capturada pelo fotógrafo Mario Tama, no estado do Maranhão.

4.  A foto de mais de 1 milhão de likes compartilhada por Jaden Smith

O ator Jaden Smith, filho do ator Will Smith, compartilhou em sua conta no Instagram uma imagem de um incêndio na Amazônia. O post recebeu mais de 1 milhão de interações de seus seguidores.

A foto mostra uma vasta floresta e grandes concentrações de fumaça. Mas ela é de 1989. A imagem foi capturada por um fotógrafo da Sipa Press e publicada pelo The Guardian em 2007, em um caderno especial sobre desmatamento na Amazônia.

5. Os animais perdidos durante o fogo

A foto da floresta em chamas foi tirada pelo fotógrafo John McColgan, em 6 de agosto de 2000 em Montana, Estados Unidos. A imagem mostra dois alces tentando escapar das chamas. As espécies não existem na região amazônica.

Apesar de algumas imagens terem sido retiradas do contexto, isso não minimiza o fato de que os incêndios florestais chegaram a 70 mil novos focos desde o início de 2019 no Brasil.

De acordo com o engenheiro florestal Rubens Benini, líder da estratégia de restauração florestal da The Nature Conservancy (TNC) América Latina, o uso do fogo é algo cultural no País.

No entanto, Benini alerta que os incêndios têm ganhado outra escala.

“Em algumas regiões, o uso do fogo não é proibido, mas tem uma série de regulamentações para a sua utilização, como uso do aceiro para que o fogo não se espalhe por outras áreas. É também preciso que fiscais acompanhem o momento da queimada e é exigido uso de equipamentos para combater o incêndio caso algo saia do controle”, explica.

De acordo com ele, a falta de fiscalização e os discursos que legitimam o desmatamento colaboram para o aumento dos incêndios criminosos na região.

“Existem pessoas que fazem uso da impunidade para provocar o incêndio e grilar terra. Mas o que realmente nos preocupa são as perdas que esses incêndios geram. As milhares de espécies carbonizadas, o impacto na vida humana, a fertilidade do solo é comprometida. A degradação do solo é algo imensurável porque demora muitos anos para se recuperar e isso traz impactos econômicos significativos”, afirma.

Neste ano, o desmatamento na Amazônia alcançou 5 mil km² de floresta. Aumento de 15% nos últimos 12 meses, em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia).

Só em julho, a área desmatada foi de 1.287 km² — aumento de 66% em relação a julho do ano passado. 

Aqui estão imagens recentes dos incêndios na Amazônia

 

NASA NASA / Reuters

A Nasa publicou imagem de satélite sobre os incêndios no dia 21 de agosto de 2019.

Ueslei Marcelino / Reuters

Nuvens de fumaça durante um incêndio perto de Humaitá, no Amazonas, em 17 de agosto de 2019.

 

Ueslei Marcelino / Reuters

Fumaça durante um incêndio perto de Porto Velho, em Rondônia, no dia 21 de agosto de 2019. 

 

Bruno Kelly / Reuters

Um trecho da floresta amazônica queimada e desmatada em Novo Airão, Amazonas, Brasil, no dia 21 de agosto de 2019. 

(Com informações do Le HuffPost.)