ENTRETENIMENTO
24/07/2020 00:12 -03 | Atualizado 24/07/2020 08:10 -03

Ex-Masterchef Dário Costa dá a volta por cima e vence o Mestre do Sabor 2020

Em final confusa e com pouca emoção, o chef santista se redimiu da derrota no Masterchef Profissionais de 2016.

Quem diria que em um mesmo ano, Dário Costa se redimiria da derrota no Masterchef Profissionais de 2016 - que a Band reprisou nos últimos meses - acabaria vencendo o Mestre do Sabor em 2020.

Em uma final sem muita emoção e com uma regra que confundiu os participantes, o chef santista dominou a competição e foi escolhido o grande campeão do reality gastronômico da Globo por unanimidade. Com o título, ele levou R$ 250 mil de premiação.

Provas

A final foi dividida em três partes. Ou melhor, três pratos: entrada, parto principal e sobremesa. Os ingredientes foram divididos em grupos identificados por cores, o que dificultou bastante para os participantes, que não podiam imaginar o que fariam de entrada sem saber exatamente que ingredientes poderiam usar. 

O alagoano Serginho Jucá apostou na memória afetiva em seu menu. Tanto que o chamou de “Minhas Lembranças”, e preparou uma receita da tia de seu bisavô. Ele chamou o prato de Caruru da Tia Lili. 

Já Dário sequer ligou o fogão para sua entrada. Para iniciar o menu “Sinais”, ele preparou um crudo de vermelho com leite de castanha e grapefruit queimada.

A carioca Ana Zambelli preparou o que chamou de “batidinho brasileiro”, um tartar de carne de sol com lagostim e picles de maxixe. Com seu menu, que Ana chamou de “Toda Forma de Amor”, ela queria usar só elementos da culinária brasileira.

O acreano Júnior Marinho também foi no caminho da gastronomia nacional e fez a entrada mais “pesada” entre os finalistas. Para iniciar seu menu “Brasil Brasileiro”, ele preparou um creme de cará com leite de coco e manteiga de garrafa, carne de sol, salada de maxixe, cebola e castanha de caju.

Os jurados Leo Paixão, Kátia Barbosa e Rafael Costa e Silva gostaram de todos, mas foram unânimes em escolher o prato de Dário, que entrava na próxima fase com 5 minutos de vantagem em relação a seus colegas.

Prato principal

Diferente da primeira parte da competição, a dos pratos principais foi cheia de problemas, com os participantes se confundindo com a regra das cores, o que prejudicou muito o desempenho deles.

Quem mais perdeu com essa regra foi Serginho, que pegou vários ingredientes de cor errada e teve de servir sua carne de panela com farofa de abóbora e couve sem molho. E os jurados perceberam isso.

Júnior e Ana também cometeram alguns erros. No caso do acreano, o problema de sua anchova com batatas caramelizadas foi na dureza da batata. Já no caso da carioca, seu peito bovino com purê de couve flor e farofa de banana não caiu no gosto dos jurados por conta da dureza da carne. 

Mesmo sem anunciar o vencedor da segunda prova, ficou claro que Dário, com sua anchova ao molho de camarão levou mais uma. Ou seja, sua vitória já estava garantida.

Sobremesa

Vendo que a vitória estava na mão de Dário, Serginho, Ana e Júnior iniciaram a última prova, a da sobremesa, abatidos. O fraco desempenho deles nos pratos principais somado aos erros por conta da confusa regra das cores tiraram toda a emoção da final.

Tanto que a carioca já acusava a derrota. “Dei umas deslizadas, mas só de estar na final é uma vitória”, disse Ana ao chef Claude Troisgros.

Ironicamente, todo mundo foi muito bem nos doces. O trio de jurados elogiaram todos os pratos: a rabanada de Serginho, o arroz doce de Ana, a bravoise de graviola de Júnior, e a sable com castanha de Dário.

Mas o resultado já estava garantido mesmo... Não foi surpresa para ninguém: Dário campeão do Mestre do Sabor 2020.