ENTRETENIMENTO
13/09/2019 03:00 -03 | Atualizado 13/09/2019 09:07 -03

13 filmes de terror para curtir a sexta-feira 13

Selecionamos algumas das melhores produções que marcaram a última década, uma nova "era de ouro" do terror.

Que jeito melhor que “sextar” em uma sexta-feira 13 do que assistindo um bom filme de terror?

Por um bom tempo, o horror foi marginalizado no cinema, considerado “menor”. Mas na última década, filmes como A Bruxa, Corra! e Hereditário estão impulsionando o gênero a alcançar um inédito status.

Pensando nisso, selecionamos algumas das melhores produções de terror dos últimos dez anos para você curtir nesta sexta-feira 13.

Aqui estão:

Corrente do Mal (2014)

Divulgação

Por que ver: Parábola sinistra sobre as dores da adolescência, A Corrente do Mal merecia ser bem mais conhecida pelo público em geral. Uma abordagem original ao gênero que já nasceu cult.
Sinopse: Jay (Maika Monroe) é apenas uma garota normal de um subúrbio americano, mas sua vida muda completamente depois que ela transa com um garoto que diz para ela que fez isso apenas para passar para frente um tipo de maldição que se transmite sexualmente. Enquanto luta com sua consciência para repassar para alguém essa força maligna, Jay começa a ser perseguida por pessoas estranhas que só ela consegue ver.
Onde ver: Netflix e Telecine Play

O Babadook (2014)

Divulgação

Por que ver: Uma abordagem muito original dentro do gênero, que utiliza o horror para expressar os medos e receios da maternidade. A estreia da diretora australiana Jennifer Kent não poderia ser melhor.
Sinopse:
 Mesmo depois de seis anos da morte de seu marido, Amelia (Essie Davis) ainda sente sua perda e luta contra o sentimento de repulsa que nutre por seu filho, o rebelde Samuel (Noah Wiseman). Ele é aterrorizado pela visão de um monstro que conheceu em um livro, o Babadook.
Onde ver: Netflix

Hereditário (2018)

Divulgação

Por que ver: O terror como materialização dos dramas de uma família e seus traumas. Excelente estreia do cineasta americano Ari Aster. A atriz australiana Toni Collette dá um show.
Sinopse:
 Enquanto tenta lidar com a morte de sua mãe, uma mulher autoritária com quem não tinha um bom relacionamento, Annie (Tony Collette), uma artista especializada em dioramas, precisa lidar com outra tragédia familiar que irá desencadear estranhos acontecimentos.
Onde ver: Amazon Prime

Sob a Pele (2014)

Divulgação

Por que ver: Scarlett Johansson está ao mesmo tempo linda e aterrorizante nesse terror/ficção científica bem estranho, mas fascinante. Bem ao gosto bizarro de seu ótimo diretor Jonathan Glazer.   
Sinopse:
Um alienígena (Scarlett Johansson) disfarçado de mulher seduz homens pelas ruas de Glasgow. O que eles não sabem é que não passam de presas para ela. Porém, em uma dessas caçadas, ela se depara com sentimentos que não compreende.
Onde ver: Claro Vídeo

A Bruxa (2016)

Divulgação

Por que ver: O terror gótico de Robert Eggers apareceu do nada e conquistou plateias mundo afora. Horror tradicional com jeitão moderno. Logo será considerado um clássico do gênero.
Sinopse:
 Uma família de peregrinos é expulsa da comunidade em que vivem, na região da Nova Inglaterra, em 1630, por conta de divergências religiosas. Enquanto tentam se estabelecer em uma área à beira de um bosque sombrio, um dos filhos, um bebê recém-nascido, desaparece, e Thomasin (Anya Taylor-Joy), a filha mais velha, passa a ser acusada por seus próprios pais de bruxaria.
Onde ver: Looke, Google Play e iTunes

Invocação do Mal (2013)

Divulgação

Por que ver: Desde que surgiu com Jogos Mortais em 2004, James Wan se estabeleceu como um dos grande nomes da nova geração do terror, e o excelente Invocação do Mal tem um papel fundamental nisso.
Sinopse:
 Ao se mudar para uma casa no interior, uma família passa a presenciar estranhos fenômenos paranormais. Assustados, eles pedem ajuda ao casal de parapsicólogos Ed e Larraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga). De início eles não acreditam, mas logo percebem que a há algo muito poderoso e maligno na casa.
Onde ver: Looke, Google Play, iTunes, Microsoft e PlayStation Network

Deixe-me Entrar (2010)

HuffPost Brasil

Por que ver: Raro caso em que um remake é tão bom quanto seu original, o sueco Deixe Ela Entrar (2008).
Sinopse:
 Vítima constante de bullying, o tímido Owen (Kodi Smit-McPhee) tem dificuldades em fazer amigos. Até que um dia chegam vizinhos novos, um pai e uma filha. Ela é Abby (Chloe Moretz), uma garota diferente, que logo faz amizade com ele. Porém, Abby possui um segredo sinistro.
Onde ver: Telecine Play

Corra! (2017)

Divulgação

Por que ver: O diretor Jordan Peele mostra que o cinema de gênero pode sim ser o veículo perfeito para discutir assuntos profundos, no caso, o racismo.
Sinopse:
Chris (Daniel Kaluuya), que é negro, está relutante em passar o fim de semana com a família de sua namorada Rose (Allison Williams), que é branca e rica. A princípio tudo corre bem, mas com o passar o tempo ele percebe que há algo muito esquisito no ar.
Onde ver: Telecine Play

Rastro de Maldade (2015)

Divulgação

Por que ver: S. Craig Zahler surge como um novo John Carpenter, o eterno outsider apaixonado por filmes B. Aqui, o velho oeste encontra Holocausto Canibal.
Sinopse:
 Xerife de Bright Rope, uma cidadezinha do velho oeste, Hunt (Kurt Russell) acaba feriando na perna um estranho forasteiro. O oficial pede ajuda à enfermeira Samantha O’Dwyer (Lili Simmons) para tratá-lo. Mas a delegacia é atacada por índios, que sequestram o forasteiro e Samantha. Para resgatá-la, Hunt monta um grupo que não faz ideia da ameaça que terão de enfrentar.
Onde ver: Netflix

Ao Cair da Noite (2017)

Divulgação

Por que ver: Tenso até a medula, o filme mostra que o gênero não precisa de monstros para ser assustador. O ser humano já é aterrorizante o suficiente.
Sinopse:
 Após uma misteriosa doença que dizima boa parte da humanidade, Paul (Joel Edgerton) mora com sua esposa e filho em uma isolada casa no campo. Ele impõe regras bem restritas a sua família para sobreviver nesse ambiente hostil, mas tudo muda quando outra família bate à sua porta pedindo ajuda.
Onde ver: HBO Go

A Visita (2015)

Divulgação

Por que ver: Um dos filmes mais subestimados de M. Night Shyamalan, A Visita é um divertidíssimo combo de sustos e risadas (de nervoso).
Sinopse: Após anos sem falar com seus pais depois que engravidou ainda muito jovem, uma mãe solteira (Kathryn Hahn) manda seus filhos Tyler (Ed Oxenbould) e Becca (Olivia DeJonge) para passar uma temporada com seus avós enquanto faz um cruzeiro. Mas as crianças logo vão sacar que os simpáticos velhinhos não são o que parecem ser.
Onde ver: Google play e iTunes

O Lamento (2016)

Divulgação

Por que ver: Como todo bom filme coreano, O Lamento traz o pacote completo. Tem tragédia, tem comédia, bruxaria, assassinato, zumbis e até o capeta. 
Sinopse:
 Estranhos assassinatos começam a acontecer em um pequeno vilarejo no interior da Coreia. Os autores são todos moradores locais que, por algum motivo desconhecido, passaram a agir de forma estranha, como se fossem zumbis. Ao investigar o caso, o atrapalhado policial Jong-Goo (Kwak Do-Won) descobre que há algo de sobrenatural acontecendo e que isso está ligado à chegada de um forasteiro japonês no povoado.
Onde ver: Google Play

Demônio de Neon (2016)

Divulgação

Por que ver: O dinamarquês Nicolas Winding Refn leva todo o seu estilo particular e cheio de neon ao gênero. O mundinho da moda nunca será mais o mesmo. 
Sinopse:
 Aspirante a modelo, a ingênua Jesse (Elle Fannng) chega a Los Angeles para tentar uma chance no mundo da moda. Linda e determinada, ela logo consegue sua oportunidade e faz amizade com a maquiadora Rudy (Jena Malone), que a apresenta a um universo novo que desperta um lado obscuro de Jesse.
Onde ver: Google Play e iTunes