ENTRETENIMENTO
18/06/2020 04:00 -03 | Atualizado 18/06/2020 12:42 -03

Made in Japan: 9 filmes japoneses disponíveis em streaming no Brasil

Clássicos, cults, premiados, influentes... produções para celebrar os 112 anos de imigração japonesa no Brasil.

Desde que o navio Kasato Maru aportou na cidade de Santos (SP), no dia 18 de junho de 1908, com 781 lavradores japoneses para` trabalhar em fazendas no interior paulista, o Japão se ligou ao Brasil para sempre. Tanto que o País possui a maior população japonesa fora do próprio Japão. 

Há décadas, a cultura japonesa faz parte do nosso dia a dia. A comida, os quadrinhos, animes... Consumimos o Japão de diversas formas. Assim como o cinema, que pode não ser tão popular no Brasil como sushis e mangás, mas que está presente por aqui principalmente nos festivais de cinema.

Mas como, infelizmente, não temos nenhum acontecendo no momento para celebrar os 112 anos de imigração japonesa no Brasil, selecionamos 9 filmes nipônicos que você encontra em streaming por aqui. 

Veja nossa lista aqui:

Assunto de Família (2019)

Divulgação

Vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes em 2018, esse belíssimo filme de Hirokazu Koreeda, curiosamente, tem muito em comum com a temática do filme premiado no ano seguinte, o sul-coreano Parasita. Porém, aqui, as dificuldades das classes mais baixas da sociedade japonesa são enxergadas pelo viés do amor. A trama conta a história de uma família bem pobre, mas unida, que sobrevive de pequenos roubos, e que acaba adotando uma menina negligenciada pelos pais. 
Onde ver: Netflix.

Contos da Lua Vaga (1953)

Divulgação

Um dos filmes mais celebrados do mestre do melodrama japonês, Kenji Mizoguchi. Em Contos da Lua Vaga, ele consegue misturar com naturalidade elementos de extremo realismo com o fantástico em um drama moral sobre a história de dois amigos que seguem caminhos distintos em meio a uma guerra civil no Japão do século 16. Um belo conto sobre conflito, ganância e destino.
Onde ver: Belas Artes À La Carte.

Dersu Uzala (1975)

Divulgação

Atualmente, Dersu Usala pode não ser uma das obras mais lembradas de Akira Kurosawa (o cineasta japonês mais famoso no ocidente), mas é, certamente, uma de suas mais tocantes. A história de amizade entre o geógrafo soviético Arsenev (Yuriy Solomin) e seu guia Dersu Uzala (Maksim Munzuk) é linda. Assim como as tomadas com luz natural filmadas por Kurosawa, que são absolutamente estonteantes. 
Onde ver: Belas Artes À La Carte.

A Balada de Narayama (1983)

Divulgação

Outra Palma de Ouro da lista, A Balada de Narayama é a grande obra-prima do cineasta Shôhei Imamura. Duro por fora, mas extremamente delicado na alma, o filme nos mostra um pequeno vilarejo em uma área montanhosa do Japão no século 19 em que quem completa 70 anos, tem de deixar seus familiares para trás, subir uma montanha e morrer. 
Onde ver: Belas Artes À La Carte.

Trono Manchado de Sangue (1957)

Divulgação

Akira Kurosawa amava William Shakespeare. Tanto que dirigiu algumas adaptações da obra do bardo inglês, geralmente situando-as no Japão feudal. É o caso de Trono Manchado de Sangue, versão do cineasta para o clássico sombrio MacBeth.
Onde ver: Belas Artes À La Carte.

Para o Outro Lado (2015)

Divulgação

Kiyoshi Kurosawa, que não tem nenhum parentesco com Akira Kurosawa, é mais conhecido por filmes sombrios e estranhamente fascinantes, como A Cura (1997) e Pulse (2001), mas aqui ele leva seu estilo para um outro lado. Sem, claro, deixar o lado aspectos sobrenaturais que ele tanto gosta. O filme conta a história de Mizuki (Eri Fukatsu), que após três anos da morte de seu marido Yusuke (Tadanobu Asano), o recebe de volta como se fosse a coisa mais natural do mundo.
Onde ver: Telecine Play / Google Play e Apple TV (para alugar).

Juventude Nua (1960)

Divulgação

Já em seu segundo longa-metragem, o diretor Nagisa Oshima mostrava que ele tinha a provocação correndo nas veias. Muito antes do famoso (e maldito) O Império dos Sentidos (1976), o cineasta já causava furor na conservadora sociedade japonesa com essa história de amor bandido entre um casal que estava destinada à tragédia. 
Onde ver: Belas Artes À La Carte.

Ring - O Chamado (1998)

Divulgação

Hideo Nakata reinventou o gênero terror no Japão, além de transformar esse estilo em um influente produto de exportação. E tudo começou com O Chamado, filme que virou uma febre no início dos anos 2000 e gerou uma série de continuações e adaptações hollywoodianas.
Onde ver: Amazon Prime, Looke e NetMovies / Google Play (para alugar).

O Pacto (2001)

Divulgação

Um dos grandes expoentes do cinema japonês moderno entre os cineastas “malditos”, como o não menos “doidão” Takashi Miike, Sion Sono gosta de histórias bizarras cheias de estranhezas, gore e violência. O impactante O Pacto foi o filme dele que primeiro chamou atenção no ocidente, ao contar a história de um detetive que investiga um tipo de epidemia de suicídios coletivos.
Onde ver: Google Play (para alugar).

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost