OPINIÃO
18/04/2019 17:24 -03 | Atualizado 18/04/2019 17:24 -03

Festival de Cannes traz 4 filmes brasileiros na seleção oficial

Dos 47 longas que disputam o festival, 13 são assinados por mulheres, com 4 na disputa oficial.

HuffPost Brasil
Cena de Bacurau, filme do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho (Aquarius), que foi selecionado para disputar a Palma de Ouro.

Mais importante evento de cinema do mundo, o Festival de Cannes anunciou nesta quinta-feira (18) a seleção oficial de sua 72ª edição.

Depois de um ano relativamente fraco em 2018, a line-up é promissora. Há um mix maior de diretores em nacionalidades e gêneros - dos 47 longas, 13 são assinados por mulheres, com 4 na disputa oficial -, novos filmes de grandes nomes e 4 brasileiros nas duas mostras principais.

Se em 2018 o tom foi Godard e seu Demônio das Onze Horas, dessa vez, a organização homenageia a grande cineasta belga Agnès Varda, falecida em Paris no mês de março. O cartaz do festival traz cena de um filme de 1994, La Pointe Courte. Como ocorreu no ano passado, é provável que cerimônias de abertura e fechamento tenham trechos de filmes da diretora.

Os júris dos filmes em Competição e da seleção Un Certain Regard serão comandados respectivamente pelos cineastas Alejandro Gonzalez-Iñarritu - que, em 2017, apresentou sua realidade virtual Carne y Arena no contexto do festival - e Nadine Labaki, que ganhou o Prêmio do Júri em 2018 por seu lindo Cafarnaum.

O festival ocorre entre 14 e 25 de maio em Cannes, e acumula histórias e anedotas. Confira abaixo os destaques sobre a próxima edição.

 

Brasileiros em peso

Divulgação
Cena de A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz.

O pernambucano Kleber Mendonça Filho volta à cidade com Sonia Braga e o filme Bacurau para disputar a Palma de Ouro, a premiação mais importante do evento. Sua última vez no Festival tinha sido em 2016, com Aquarius, também estrelado pela atriz, quando rolou manifestação contra o impeachment de Dilma Roussef no meio do tapete vermelho.

O Traidor, coprodução ítalo-brasileira com a participação de Caio e Fabiano Gullane, também faz parte dos filmes em competição. Vale lembrar que a única vez em que o Brasil levou a Palma foi em 1962, com O Pagador de Promessas.

Na mostra Un Certain Regard, serão exibidos os filmes A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, do cearense Karim Aïnouz e com Fernanda Montenegro, e Port Authority, ambos produzidos por Rodrigo Teixeira, de Me Chame pelo Seu Nome.

 

Abertura com Zumbis

Divulgação
O cineasta americano Jim Jarmusch volta a Cannes com um elenco estrelado em The Dead Don’t Die.

No ano passado, a noite da primeira terça-feira teve Ricardo Darín, Javier Bardem e Penélope Cruz em novo longa de Asghar Farhadi, Todos Já Sabem.

Agora a abertura vai ser em clima zumbi, com elenco bem estrelado. The Dead Don’t Die, de Jim Jarmusch, traz Bill Murray, Tilda Swinton, Steve Buscemi, Adam Driver, Chole Sevigny, Danny Glover e Tom Waits, entre outros grandes atores.

 

França com Alain Delon

São muitos os diretores franceses da edição: Claude Lelouch estreia seu primeiro filme desde 2014, já Christophe Honoré participa de Cannes de novo, depois de mostrar Conquistar, Amar e Viver ao mundo no festival de 2018. Jean-Pierre e Luc Dardenne também participam da seleção oficial, mas o francês mais famoso talvez seja o homenageado com a Palma de Ouro Honorária: o ator Alain Delon.

Com grandes marcos do cinema no currículo - como os filmes O Sol Por Testemunha, O Leopardo e O Samurai -, Delon vai receber o prêmio entregue aos compatriotas Jean-Paul Belomondo, Jeanne Moreau e Jean-Pierre Léaud. Vale lembrar também que, no ano passado, Jean-Luc Godard recebeu uma Palma de Ouro Especial pela sua obra.

 

Novos filmes de grandes nomes

Divulgação
Depois de vencer a Palma de Ouro em 2016, o britânico Ken Loach retorna ao festival com Sorry We Missed You.

Temos novos filmes de grandes diretores como Dolor y Gloria, de Pedro Almodóvar - com Antonio Banderas no papel de um cineasta que avalia as escolhas feitas ao longo da vida e que pode ser um alter ego do próprio Almódovar - e A Hidden Life, de Terrence Mallick, que ganhou a Palma em 2011, com Árvore da Vida, e lança longa ambientado na Segunda Guerra.

Depois de participar com Okja, da Netflix em 2017, Bong Joon Ho volta a Cannes com o sul-coreano Parasite. Ken Loach também estreia no festival seu novo longa, Sorry We Missed You. Seu último filme, I, Daniel Blake, ganhou a Palma de Ouro em 2016.

A Netflix ficou fora do festival pelo segundo ano consecutivo. No ano passado, o diretor Thierry Frémaux disse em coletiva que sentia muito pelo fato de não mostrar Roma, de Alfonso Cuáron.

O filme acabou ganhando uma série de premiações, inclusive o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Por enquanto, os longas da plataforma de streaming não podem participar do festival, pois a indústria francesa exige que haja um intervalo de 36 meses entre a exibição em salas de cinema e a disponibilidade na plataforma.

Resta saber quem vai ganhar a disputa: a tradição ou a inovação.

Para ver a lista completa, acesse o site do festival.

 

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.