ENTRETENIMENTO
25/02/2020 05:28 -03 | Atualizado 25/02/2020 05:31 -03

Carnaval 2020: Quando o noticiário é motivo para inspirar fantasias

"ImpreCionante" a imaginação desse povo!

Em 2020, a política entrou com força no Carnaval. Nas avenidas do Rio e de São Paulo, as letras dos sambas-enredo vieram carregadas de críticas políticas e sociais. Temas como “Messias”, “Fake News” e “Intolerância” foram abordados por diversas escolas de samba.

Mas foi nas ruas, ou melhor, nos bloquinhos, que o brasileiro deu mais um show de criatividade (ou seria resiliência?) ao transformar as últimas notícias do Brasil em inspiração para fantasias.

Também pudera, quando a realidade parece mais surrealista que aquilo que nós imaginamos, só mesmo o bom humor salva.

De retroescavadeiras à terra plana, aqui estão 5 fantasias “impreCionantes” nos bloquinhos:

 

1. Oi Ministro da Educação? 

O Ministro da Educação Abraham Weintraub sempre chama a atenção dos internautas quando compartilha mensagens nas redes sociais. Após escrever paralisação com “z”, o ministro publicou um “imprecionante”. 

2. Quando um político usa uma retroescavadeira 

O senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado na tarde da última quarta-feira (19) em Sobral (CE) ao avançar, pilotando uma retroescavadeira, contra um grupo de policiais militares que fazem um motim no Ceará. Os foliões não perdoaram.

3. Militantes descansam no Carnaval? 

Quem acha que a militância precisa tirar férias no Carnaval? O tema divide opiniões nas redes sociais. Enquanto o racismo é abordado com força por algumas escolas de samba, parte dos foliões ainda acredita que a política não deveria se misturar aos festejos...

4. Fantasias ‘canceladas’

E a cultura do cancelamento, movimento que ganha cada vez mais proporções nas redes, também serviu de inspiração para as fantasias. 

5. CPF do Crivella

E quando o prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella ameaçou multar os CPFs de músicos que participassem de blocos considerados “clandestinos”, aqueles sem autorização da prefeitura para desfilar, o resultado foi o extremo oposto: Os foliões criaram o bloco “CPF do Crivella”. 

Alguma dúvida de que há espaço para a política sempre, inclusive no Carnaval?