NOTÍCIAS
30/03/2020 20:38 -03

Facebook deleta post de Bolsonaro por poder ‘causar danos reais às pessoas’

Depois do Twitter, Facebook e Instagram apagaram a publicação do presidente ao entender que causa “desinformação”.

Andressa Anholete via Getty Images
No domingo, Bolsonaro chegou a afirmar a jornalistas que estava com vontade de baixar um decreto para as pessoas poderem voltar a trabalhar.

Facebook e Instagram seguiram o Twitter e também apagaram post do presidente Jair Bolsonaro por entender que pode “causar  danos reais às pessoas” por criar “desinformação”. A publicação apagada traz um vídeo do presidente em um passeio por Brasília no momento em que o próprio governo pede às pessoas que fiquem em casa para conter a pandemia do novo coronavírus.

“Removemos conteúdo no Facebook e Instagram que viole nossos Padrões da Comunidade, que não permitem desinformação que possa causar danos reais às pessoas”, diz nota do Facebook. É a primeira vez que a empresa, também dona do Instagram, e o Twitter apagam posts do presidente.

Aglomeração é um dos principais ambientes transmissores do novo coronavírus. O único método conhecido eficaz de evitar a transmissão em massa do vírus é o isolamento social, exatamente o contrário do que o presidente Jair Bolsonaro vem propondo.

No domingo (29), ele fez um passeio pelo comércio de várias cidades de Brasília. No giro, o presidente voltou a dizer que as pessoas deveriam voltar à normalidade. “O que eu tenho conversado com o povo, eles querem trabalhar. É o que eu tenho falado desde o começo. Vamos tomar cuidado, a partir dos 65 fica em casa”, disse.

Ao retornar do passeio ao Palácio do Alvorada, o mandatário chegou a afirmar a jornalistas que estava com vontade de baixar um decreto para as pessoas poderem voltar a trabalhar.

Combate às fake news

Em 16 de março, Facebook, Google, YouTube, Microsoft, LinkedIn, Reddit e Twitter firmaram compromisso para combater desinformações sobre a pandemia de coronavírus.

“Estamos ajudando milhões de pessoas a permanecer conectadas enquanto combatemos em conjunto fraudes e desinformações sobre o vírus ao destacar conteúdos de autoridades em nossas plataformas e ao compartilhar atualizações críticas em coordenação com agências governamentais de saúde em todo o mundo”, diz o comunicado.