ENTRETENIMENTO
21/06/2020 02:00 -03

Como era o mundo quando 'Explode Coração' passou na TV pela primeira vez

Novela que estreou em novembro de 1995 chega ao catálogo do Globoplay nesta segunda-feira (8).

Até hoje, quando se pensa em uma atuação, digamos, tosca, lembramos do saudoso Cigano Igor. E não é que ele e aquela mesma cara para expressar qualquer tipo de sentimento está de volta? Pois é, Explode Coração, novela exibida na Globo de novembro de 1995 a maio de 1996, estreia no catálogo do Globoplay nesta segunda-feira (22).

Primeiro folhetim da emissora gravado no então novíssimo Projac, Explode Coração foi também precursora no estilo “choque de culturas” pelo qual a autora Gloria Perez ficou famosa.

Na trama, a jovem cigana Dara (Tereza Seiblitz) não está nada interessada no casamento arranjado que sua família organizou para ela com Igor (Ricardo Macchi). O que ela quer mesmo é deixar as tradições ciganas de lado, fazer faculdade e ser uma mulher independente. Para a alegria de sua irmã mais nova, Ianca (Leandra Leal), que é caidinha pelo olhar (nada) expressivo de Igor.

Nesse meio tempo, Dara conhece um crush no chat, o empresário Júlio Falcão (Edson Celulari), que  vive um casamento de fachada com Vera (Maria Luisa Mendonça). 

Esse embate entre as antigas tradições e o mundo moderno transformou a abertura da novela no primeiro episódio de Black Mirror 16 anos antes da série inglesa sequer existir!

Se liga só no Hans Donner prevendo o futuro com telas planas, touch screen, tablets e tudo mais:

(detalhe para a bailarina da abertura — Ana Furtado, que era modelo à época e se tornou atriz e apresentadora global) 

É... Os Anos 90 eram muito loucos. E, quando Explode Coração estreou, estávamos bem no meio daquela década cheia de esperança e axé. Ficamos até nostálgicos.

Tanto que fizemos um resuminho daquele ano tanto para você, que se lembra daquela época, quanto para quem acha que antes do wi-fi era tudo mato.

Foi o primeiro ano de Fernando Henrique Cardoso como presidente do Brasil.

ANTONIO SCORZA via Getty Images

Entre seus ministros tinha um tal de Edson. Entende?

ANTONIO SCORZA via Getty Images
Pelé foi ministro do Esporte de FHC de 1995 a 1998.

Mas, se você tivesse instalado um novíssimo Windows 95 no seu computador, já saberia disso. Ou ficou o tempo todo jogando um dos grandes lançamentos daquele ano: Full Throttle?


Aí você pergunta, mas o dólar? No dia em que foi televisionado o primeiro capítulo de Explode Coração, a moeda americana valia 0,96 reais.

Deagreez via Getty Images

Sérgio von Helde, bispo da Igreja Universal, chutou uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida em um programa na TV Record. Foi um bafafá... Deu até no Jornal Nacional.


Acha que é mentira? Quem disse que já não tinha fake news nos anos 1990? Ou você não lembra daquele vídeo proibidão da autópsia ultrassecreta de um ET que aconteceu 1947, mas revelado só em 95? Deu no Fantástico.


Aliás, aquele ano não foi para principiantes. O mundo ficou em choque com o atentado de 11 de setembro de 2001, mas aquele não foi o primeiro grande ato terrorista nos Estados Unidos... Em 1995, um membro de uma milícia de extrema direita chamado Timothy McVeigh usou um carro bomba para explodir um edifício federal em Oklahoma, causando 168 mortes e deixando mais de 500 pessoas feridas.

AFP via Getty Images

Enquanto isso na Inglaterra... O atacante francês Eric Cantona, do Manchester United, perdeu a cabeça e tentou arrancar a cabeça de um hooligan da torcida do Cristal Palace.


Mas chega de notícia ruim! 1995 também foi um ano de muito axé. Foi quando conhecemos Ivete Sangalo, que emplacou o hit Me Abraça (ainda na Banda Eva)...

 

Descemos na boquinha da garrafa.

Descobrimos que pau que nasce torto nunca se endireita.

E tentamos exorcizar o ano mandando um “xô, satanás”!


Porém, nem todo mundo conseguiu se livrar da zica. O maior galã das comédias românticas da época foi pego de calças curtas. Bom, quase isso. O babado do ano foi Hugh Grant preso “batendo um papinho” com Divine Brown em um carro em Los Angeles.

Get Images/Montagem

E o filme mais visto daquele ano foi... Batman de novo?! Parece que o Cavaleiro das Trevas nos persegue nessas listas. E tudo fica ainda mais grave em se falando de Batman Eternamente, uma daquelas aventuras do homem-morcego que gostaríamos de “desver”.

Divulgação
Batman
Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost