NOTÍCIAS
10/11/2019 17:54 -03

General pede renúncia de Evo Morales para pacificar a Bolívia

“Sugerimos que o presidente do Estado renuncie ao seu mandato presidencial, permitindo que a paz seja restaurada e a estabilidade mantida para o bem de nossa Bolívia”, disse o general Kaliman.

David Mercado / Reuters

O governo de quase 14 anos do presidente boliviano Evo Morales enfrenta uma grande crise nas últimas semanas. Neste domingo (10), a tensão atingiu o seu ápice quando o chefe das Forças Armadas, Williams Kaliman, fez um pronunciamento na televisão pedindo a renúncia de Morales.

“Sugerimos que o presidente do Estado renuncie ao seu mandato presidencial, permitindo que a paz seja restaurada e a estabilidade mantida para o bem de nossa Bolívia”, disse o general Kaliman, comandante das forças armadas da Bolívia.

“Da mesma forma, pedimos ao povo boliviano e aos setores mobilizados que abandonem atitudes de violência e desordem entre os irmãos, para não manchar nossas famílias com sangue, dor e luto”, completou.

Neste domingo, um relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA),  revelou sérias irregularidades nas eleições de outubro que reelegeram Morales. 

Segundo o OEA, a votação deveria ser anulada pois havia sido encontradas “manipulações claras” do sistema de contagem de votos, o que coloca a vitória de Morales sob suspeita de fraude.

O presidente, então, concordou em realizar novas eleições em resposta ao relatório. Ele também afirmou que substituiria dirigentes responsáveis pelo corpo eleitoral do país.

Luis Fernando Camacho, líder cívico da cidade de Santa Cruz, que se tornou um símbolo da oposição, disse que o relatório da OEA demonstra claramente fraude eleitoral. Ele reiterou o pedido de demissão de Morales.

“Hoje vencemos uma batalha”, disse Camacho a uma multidão que se manifestava na capital. “Somente quando tivermos certeza de que a democracia é sólida, voltaremos para casa”.

(Com informações da Reuters.)