ENTRETENIMENTO
09/07/2019 02:00 -03

A nudez em 'Euphoria' é mais que apenas 'um par de peitos'

A atriz Sydney Sweeney explica por que não foi fácil encarar a nova e controversa série da HBO, que mostra a adolescência sem filtros.

Divulgação
As atrizes Hunter Schafer e Zendaya em cena do piloto da série Euphoria.

Nos primeiros 30 minutos do piloto de Euphoria, os seios nus de uma jovem aparecem na tela. Aos seis minutos do segundo episódio, 30 pênis balançam em uma cena de vestiário parecida com a de Carrie, a Estranha, mas com os gêneros invertidos.

Mas, apesar do que podem pensar os telespectadores, Sam Levinson, criador da série “crua e honesta” da HBO sobre um grupo de estudantes do Ensino Médio que lida com temas como drogas, sexo e violência, não queria que a nudez parecesse gratuita. Ele queria que ela fosse “autêntica em relação à experiência de ser jovem”.

“Acho que a série é mais comedida que nosso mundo e certamente mais comedida que a internet”, disse Levinson ao The Hollywood Reporter. “Mas sempre existe esse lado puritano nos Estados Unidos. A ideia de que haja nudez na tela sempre vai provocar reação em certas pessoas.”

A frase é ainda mais verdadeira quando se fala de nudez numa série sobre adolescentes. A maioria dos adultos dirá que é complicado assistir a uma cena de jovens de 16 anos transando. Mas o objetivo de Euphoria não é provocar, mas sim mostrar as ansiedades de quem cresce numa era dominada pela cultura da internet e das redes sociais.

Sydney Sweeney, que faz o papel da cheerleader Cassie Howard, ficou compreensivelmente nervosa na hora de filmar as cenas em que aparece nua – e teve de conversar longamente com a mãe sobre elas. Mas a atriz de 21 anos também sente orgulho por trabalhar numa série que não tem medo de correr esse risco para ser fiel à verdade da história.

“A nudez não é glamurizada na série. Não é: ‘Ah, olha lá, um par de peitos’. É tudo real”, disse Sweeney ao HuffPost num evento da série Build. “Tive de pensar na série como um todo e me apaixonei pela veracidade e pelas situações e emoções vividas pelos personagens.”

HBO
Sydney Sweeney com Algee Smith, em Euphoria.

Ela continuou: “Sempre tendo a encontrar coisas que me dão medo, e não tem uma série de TV que mostre de verdade o que é crescer hoje em dia. Queria fazer parte de algo assim”.

A HBO e Levinson, que baseou Euphoria em sua experiência de adolescência ―  vício em drogas, sexualidade e violência ―, contrataram uma profissional somente para lidar com as cenas de nudez e sexo. “Ninguém fica à vontade falando sobre as cenas de sexo antes ou durante a filmagem. Ninguém gosta”, disse Levinson ao The Hollywood Reporter.

Sweeney disse que a experiência não foi “desconfortável”, mas sim tensa e estressante. “No começo estava tímida, porque nunca tinha feito nada parecido”, afirmou ela.

Apesar de não poder revelar muito sobre a história de Cassie, a atriz afirma que o arco dramático da personagem é “muito forte” e com certeza vai emocionar as pessoas quando for exibido o sétimo episódio, no dia 28 de julho.

“Quando aceitei [o papel], estava conversando com Sam sobre minha personagem e disse: ‘O que mais acontece com Cassie? Quero saber o arco completo’. E quando ele me contou, me apaixonei na hora”, disse Sweeney. “Muita gente pode ler o roteiro e pensar numa loira estereotipada: sexual, popular, adolescente. Mas na verdade ela tem muitas camadas e passou por muita coisa.”

“Sempre procuro personagens que possam se desenvolver em um símbolo mais poderoso. Espero que, com a progressão da história de Cassie, ela se torne esse símbolo.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.