NOTÍCIAS
09/08/2019 07:41 -03 | Atualizado 09/08/2019 13:36 -03

EUA dão sinal positivo à indicação de Eduardo para embaixada em Washington

Com aprovação dos EUA em mãos, o presidente Jair Bolsonaro está apto a fazer a indicação formal do filho para o cargo.

Agencia Makro via Getty Images
Além de filho do presidente, Eduardo Bolsonaro é deputado federal e preside a Comissão de Relações Exteriores na Câmara.

Os Estados Unidos formalizaram a aprovação do nome de Eduardo Bolsonaro para a embaixada brasileira em Washington. O agrément, como o documento é chamado, chegou ao Brasil na quinta-feira (8), duas semanas após ter sido enviado ao governo americano.

Com o documento em mãos, o presidente Jair Bolsonaro está apto a formalizar a indicação do filho, que é deputado federal e preside a Comissão de Relações Exteriores na Câmara.

Após indicação publicada no Diário Oficial da União, a nomeação passará pelo crivo do Senado Federal. Lá, o filho do presidente será sabatinado e sua indicação será votada em plenário. É necessária maioria dos votos.

Desde que anunciou que indicaria o filho para o cargo, Bolsonaro tem feito defesas públicas de Eduardo, negado nepotismo e conversado com senadores sobre a possibilidade de aprovar a nomeação.

Em sua defesa, Eduardo afirmou que tem experiência.

“Tenho um trabalho sendo feito, sou presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, tenho uma vivência pelo mundo, já fiz intercâmbio, já fritei hambúrguer lá nos EUA, no frio do Maine, no frio do Colorado, aprimorei meu inglês, vi como é o trato receptivo do americano com os brasileiros”, disse.

No fim de julho, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou a escolha de Bolsonaro.

“Eu conheço o filho dele [Jair Bolsonaro] e considero que o filho dele é extraordinário, um jovem brilhante, incrível, estou muito feliz pela indicação. (…) Não acho que é nepotismo porque o filho ajudou muito na campanha. O filho dele é extraordinário, ele realmente é.”