ENTRETENIMENTO
09/06/2020 11:03 -03

Emicida e Drik Barbosa unem vozes contra trabalho infantil em ‘Sementes'

Composição do rapper, que alerta sobre o problema no Brasil, ganha clipe às vésperas do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

Às vésperas do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, fixado no 12 de junho, Emicida lança o clipe de Sementes, single com a participação de Drik Barbosa que propõe reflexão (e ação) sobre esse problema no Brasil.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PnadC), em 2016, havia 2,4 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos em situação de trabalho infantil - cerca de 6% da população nesta faixa etária.

No Brasil, o trabalho para menores de 16 anos é proibido pela Constituição, pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, ressalvada a condição de aprendiz, a partir de 14 anos.

Em Sementes, Emicida faz uma tocante analogia entre as crianças e as sementes em desenvolvimento, destacando que ambas não devem sofrer pressão no seu processo de desenvolvimento.

 “A gente vive um momento em que é necessário falar sobre a problemática da covid-19 nas periferias. Isso é urgente”, afirma o rapper.

“A persistente falta de atenção dada ao trabalho infantil, algo que vem bem antes dessa pandemia surgir, se agrava ainda mais neste período, que deveria ser de paralisação e isolamento, mas resulta no inverso: mais crianças sendo empurradas para uma situação de trabalho desumano”, conclui.

Em sua participação, Drik Barbosa destaca que o trabalho infantil é praticado majoritariamente por crianças negras. E versa sobre uma menina que, aos 8 anos de idade, que limpa casa de família em troca de comida.

Os mesmos dados do PnadC apontam que, dos 2,4 milhões de trabalhadores infantis, 1,7 milhão exerciam também afazeres domésticos de forma concomitante ao trabalho e, provavelmente aos estudos.

O clipe, que você assiste no player abaixo, faz parte de uma campanha contra o trabalho infantil idealizada pelo MPT – Ministério Público do Trabalho, pela OIT - Organização Internacional do Trabalho e pela TST - Justiça do Trabalho e pelo FNPETI - Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil.