NOTÍCIAS
21/10/2019 12:44 -03

Em nova reviravolta, Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara

Ao se despedir da liderança, Delegado Waldir (PSL-GO) mandou recado ao Planalto: "Nós não rasgamos a Constituição ainda. A Constituição prevê que o Executivo não deve interferir no Parlamento em nenhuma ação".

Adriano Machado / Reuters

Em mais um capítulo da briga interna do PSL, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP) se tornou o novo líder do partido na Câmara dos Deputados. Um grupo de 29 dos 53 parlamentares do PSL assinaram uma lista em favor de Eduardo e a apresentaram à Secretaria-Geral da Câmara.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro tentou emplacar o filho no cargo, mas houve resistência dentro da legenda. Em uma guerra de listas para demonstração de força, o deputado Delegado Waldir (GO) havia ganhado sobrevida no cargo. Nesta segunda-feira, o parlamentar reconheceu a derrota e anunciou que está à disposição do novo líder.

Ao agradecer o apoio dos colegas, o deputado deixou um recado para o Planalto.

“Queria agradecer os parlamentares que confiaram nesse nosso projeto, dizer que não somos subordinados a nenhum governador, a nenhum presidente, mas sim ao meu eleitor e vou continuar defendendo todas prerrogativas do Parlamento. Nós não rasgamos a Constituição ainda. Nós não rasgamos a Constituição. A Constituição prevê que o Executivo não deve interferir no Parlamento em nenhuma ação”, disse Waldir.

O próprio presidente Jair Bolsonaro se empenhou pessoalmente na campanha para tornar o filho líder da legenda. Era necessário ter maioria das assinaturas dos 53 deputados da legenda. Embora tenha conseguido 27 assinaturas, a rubrica da deputada Bia Kicis (DF) não conferiu.

Assim que apresentaram este requerimento, parlamentares da legenda ligados ao Delegado Waldir e a Luciano Bivar (PE) —  presidente do PSL e outro alvo de troca de farpas com Bolsonaro — também apresentaram um requerimento para retornar o posto a Waldir. No fim, quatro parlamentares assinaram as duas listas e a Secretaria-Geral da Mensa da Câmara manteve Waldir na liderança.

Irritado, Bolsonaro tirou a deputada Joice Hasselmann (SP) da liderança de governo. Ela assinou a lista pela manutenção de Waldir. Até então, Eduardo era o nome do presidente para ocupar o cargo de embaixador do Brasil em Washington. Com a crise no partido, a indicação de Eduardo esfriou.

Desde o início do governo, integrantes do PSL se queixam do relacionamento da legenda com o presidente. No entanto, desde que Bolsonaro disse publicamente que Bivar estava queimado, a crise se acirrou.

Na semana passada, em meio a briga de forças entre as duas alas do partido — uma pró-Bolsonaro e outra, pró-Luciano Bivar — , o PSL havia suspendido cinco parlamentares que eram ligados a Bolsonaro. Com a troca de líder, a suspensão caiu e os deputados voltaram a ter seus direitos restabelecidos dentro da legenda.