ENTRETENIMENTO
26/03/2020 02:00 -03

Festival de documentários 'É Tudo Verdade' inova e faz versão online

Mostra que completa 25 anos em 2020 exibe, de graça, 30 filmes em plataformas de streaming a partir desta quinta (26).

Divulgação/Montagem
Festival exibe produções como a série documental "A Herança da Coruja" e filmes como "Carmen Miranda - Bananas is my Business" e "Maldito – O Estranho Mundo de José Mojica Marins".

Logo em sua edição de comemoração de 25 anos, o É Tudo Verdade, um dos mais prestigiados festivais de documentário no mundo, esbarrou em salas de cinemas fechadas por causa da pandemia de coronavírus. Porém, diferentemente de muitos eventos culturais adiados ou cancelados, a mostra inovou e vai fazer uma versão online, que começa nesta quinta (26).

“Realizar o É Tudo Verdade 2020 online é uma iniciativa inédita, que a equipe do festival e nossos patrocinadores e parceiros abraçaram com todo empenho como gesto de solidariedade social frente às restrições também inéditas à vida cotidiana em todo o Brasil”, afirma o crítico Amir Labaki, diretor-fundador do evento.

Entre 26 de março e 5 de abril, com alguns ciclos estendendo-se até 23 de junho, o 25º É Tudo Verdade disponibiliza de forma totalmente gratuita cerca de 50 horas de programação. São 30 filmes, entre longas-metragens, curtas e séries brasileiras e estrangeiras. A programação acontece em parceria com o site do Itaú Cultural, Spcine Play e Canal Brasil Play.

No site do Itaú Cultural, o É Tudo Verdade apresenta a série inédita e restaurada A Herança da Coruja, do cineasta francês Chris Marker, e o ciclo A Situação Cinema, com cinco longas brasileiros sobre a fruição cinematográfica. Há ainda três longas e um curta da mostra Os Primeiros Premiados, que resgata documentários premiados em edições passadas do festival, como Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos, de Marcelo Masagão, e Rocha que Voa, de Eryk Rocha.

Na Spcine Play, a mostra digital exibe o ciclo As Diretoras no É Tudo Verdade, com 10 longas dirigidos por cineastas que marcaram a história do festival. Faz parte dessa seleção o inédito O Segundo Encontro, de Veronique Ballot; três longas e seis curtas da mostra Ano 1 – A Safra Brasileira no É Tudo Verdade 1996, e ainda celebra a memória do cineasta José Mojica Marins (1936-2020), com dois documentários sobre o criador do marcante Zé do Caixão.

Já no Canal Brasil Play, serão disponibilizadas as duas temporadas da série Cineastas do Real, com 26 entrevistas com alguns dos principais documentaristas brasileiros, realizadas por Labaki.

Pelo menos por enquanto, o festival presencial está marcado para acontecer de 24 de setembro a 4 de outubro no circuito de salas de cinema e de instituições culturais, em São Paulo e no Rio de Janeiro, com projeções de títulos inéditos das mostras competitivas e programas especiais, além de debates e palestras.

Veja a programação completa da versão online do É Tudo Verdade no site do festival.