NOTÍCIAS
30/07/2019 20:45 -03 | Atualizado 31/07/2019 10:20 -03

Oi, Doria. Vi que você não está mais 'alinhado' a Bolsonaro. Tá tudo bem?

"Nós nunca tivemos alinhamento com o governo Bolsonaro", disse o governador. Na campanha eleitoral, Doria endossou o #BolsoDoria.

Montagem/Reprodução/Twitter/Instagram
Em maio, Doria chegou a defender o presidente em Nova York de críticas feitas pelo prefeito Bill de Blasio. 

O alinhamento do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não se sustentou ao longo dos primeiros meses do novo governo. Aquele entusiasmo de Doria no segundo turno da campanha presidencial — vale destacar o #BolsoDoria — e as constantes mensagens de apoio foram praticamente enterrados nos últimos dias.

A pá de cal veio nesta terça-feira (30) quando Doria afirmou à CBN que “nós nunca tivemos um alinhamento com o governo Bolsonaro”. No dia anterior, o tucano havia considerado “inaceitáveis” os ataques de Bolsonaro ao pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, morto na ditadura militar.

A declaração desta terça foi uma resposta à âncora da rádio, Fabíola Cidral, que perguntou o que havia mudado na percepção do governador das eleições para cá.

Doria então disparou:

Eu já havia dito isso logo ao assumir que nunca tivemos alinhamento com o governo Bolsonaro. E nunca foi preciso. Se todas as medidas do governo Boslonaro forem boas para o Brasil e para os brasileiros, nós apoiamos e apoiaremos. Nossa posição não mudou.João Doria, governador de São Paulo

Em seguida, o governador — que é forte candidato à Presidência em 2022 —  tentou amenizar. Disse que já havia feito a afirmação de que não teria alinhamento político com o presidente desde janeiro. Destacou que o PSDB não tem cargo no governo.

“Mas isto não nos desobriga de termos um alinhamento com o Brasil e com todas as boas posições que o governo Bolsonaro tem em relação ao Brasil, como também nos dá liberdade de termos posições críticas em relação a determinadas posições que não representam majoritariamente a nossa visão sobre o Brasil.”

O governador ressaltou que não joga no time que joga contra o País. Afirmou ainda que continua a manter “boas relações com o presidente”.

A postura é diferente da adotada pelo então candidato ao governo de São Paulo na campanha presidencial. Na época, ele se descolou do partido para declarar apoio ao então candidato à Presidência.

“Sendo bastante claro, não sou presidente do partido, sou João Doria, e como João Doria apresento meu apoio a Jair Bolsonaro. Posições que possam ser externadas e inadequadas não terão nosso apoio”, disse em outubro do ano passado.

Até o fim do primeiro turno das eleições, Doria apoiou o candidato do seu partido, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. 

A relação entre os dois até recente, entretanto, aparentava ser excelente. Pelo menos é o que indicam as fotos publicadas no Instagram do governador e posts no Twitter.

Em maio, Doria chegou a defender o presidente em Nova York de críticas feitas pelo prefeito Bill de Blasio. Em terras nova-iorquinas, Doria pediu respeito ao presidente.

“Na próxima vez, Bill de Blasio seja gentil com o presidente do Brasil. Seja gentil com os brasileiros que visitam sua cidade. Seja quem for. (…) Apesar de você, Bill de Blasio, nós amamos Nova York, nós amamos a América.”

A sequência de fotos do Instagram a seguir também indica parceria entre os dois.

Para fechar a sequência, vale acrescentar outra passagem de cooperação entre os dois: as flexões feitas em junho.