NOTÍCIAS
26/11/2019 13:16 -03

Dólar a R$ 4,25: Guedes avisa que câmbio ficará alto e Disney se torna sonho distante

Moeda atinge maior valor nominal da história após fala do ministro da Economia sobre câmbio mais alto. Recorde anterior era de pregão de 2015.

Reprodução/Twitter/Getty Images/Montagem

Os brasileiros que esperaram ansiosos pela queda do dólar sofreram um grande golpe nesta terça-feira (26) ― vinda do ministro da Economia, Paulo Guedes, o “posto Ipiranga” das finanças do presidente Bolsonaro. 

No início do pregão desta manhã, o dólar comercial chegou a ser negociado a R$ 4,25 e, horas depois, bateu nova máxima, sendo comercializado acima dos R$ 4,26. Este é o maior valor nominal da história da moeda americana ante o Real, após recorde de um pregão em setembro de 2015, quando bateu R$ 4,24. 

‘É bom se acostumar’

O motivo para alta da moeda, que já vem ganhando força desde o início do ano, foi uma declaração de Paulo Guedes sobre a tendência de um câmbio mais alto. 

Na noite de ontem (25), em uma entrevista coletiva em Washington, nos Estados Unidos, o ministro disse que o Brasil deve se acostumar com o elevado patamar da moeda, uma vez que, na avaliação dele, a alta do dólar é reflexo de uma mudança na política brasileira, com juros mais baixos, “ainda não compreendida pela maior parte da população”.

“O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele [o dólar alto] está causando”, disse Guedes a jornalistas. “Vamos exportar um pouco mais e importar um pouco menos.”

É bom se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo.

As declarações foram um balde de água fria para quem planejava ou já tem uma viagem marcada para a terra do Tio Sam. Com o dólar comercial batendo R$ 4,25, o dólar turismo está sendo vendido por cerca de R$ 4,49 (valor conferido no início da tarde de hoje).

No final de janeiro deste ano, só para comparar, o dólar turismo era negociado por cerca de R$ 3,80, de acordo com o Banco Central. 

Agora, de acordo com o ministro, teremos que “nos acostumar” com o câmbio mais alto. Isso não agradou quem está ansioso para conhecer ao vivo Mickey, Minnie, Pluto e companhia. Paulo Guedes e a cotação do dólar estão entre os assuntos mais comentados no Twitter. E, é claro, grandes momentos da rixa política dos últimos anos foram relembradas. 

É preciso lembrar que o dólar não só impacta a viagem internacional, mas a vida de todos os brasileiros, uma vez que tende a encarecer insumos importados que são consumidos pela população, como o trigo do pãozinho francês. 

Porém, a alta do dólar foi um dos “estopins” para a queda de Dilma Rousseff, que teve impeachment aprovado pela Câmara em 17 de abril 2016. Dias antes, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o filho 03 do presidente, soltou este tuíte:

E não foi a única declaração do deputado que reforçou a ideia de que a saída da esquerda, e a retomada de uma economia mais aberta, certamente baixaria o valor do dólar diante do nosso rico dinheirinho.  

 Será que ainda dá para acreditar na retomada das viagens internacionais?

“Fora Dilma. Quero ir pra Disney de novo.”