NOTÍCIAS
14/07/2019 15:43 -03 | Atualizado 14/07/2019 16:01 -03

Djokovic bate Federer em final épica e é campeão de Wimbledon

Em tie-break inédito, sérvio fecha jogo de 4 horas 55 minutos e conquista seu 16º Grand Slam.

ASSOCIATED PRESS
“Se essa não foi a maior, está entre as três maiores vitórias da minha carreira", disse Novak Djokovic.

Em uma das grandes finais da história, o nº 1 do mundo, Novak Djokovic, precisou de 4 horas 55 minutos - superando dois match points contra - para derrotar Roger Federer por 3 sets a 2 (7/6, 1/6, 7/6, 4/6 e 13/12) e conquistar seu 5º título no torneio de Wimbledon.

Este é o 16º Grand Slam (os quatro principais torneio de tênis do calendário mundial) do tenista sérvio, que encosta um pouco mais no espanhol Rafael Nadal, que tem 18, e no próprio Federer, que tem 20.

A final deste domingo (14) foi a primeira da história em Wimbledon com a nova regra do tie-break no 5º set. Antes, para fechar um jogo empatado em 2 sets a 2, o tenista tinha de conquistar uma vantagem de dois games, não importa o quão longo fosse o jogo. Porém, a regra mudou em 2019. Se o 5º set ficasse empatado em 12 games a 12, o 13º seria no sistema de tie-break, com pontos seguidos até que um dos tenistas some 7 pontos. 

“Se essa não foi a maior, está entre as três maiores vitórias da minha carreira. E contra um dos maiores tenistas de todos os tempos”, disse Djokovic, que completou: “Esse sempre foi o torneio dos meus sonhos. Desde criança sonhava em vencer em Wimbledon.”

O veterano Federer, que tem 37 anos, celebrou o seu adversário e desmentiu boatos de que ele se aposentaria após essa partida.

“Estou muito satisfeito com minha performance hoje, mas tenho de dar os parabéns a Novack. Ele fez um jogo incrível. Mas ainda não acabou. Preciso de mais tempo para me recuperar fisicamente, mas ainda tenho a mesma vontade de sempre e espero estar aqui no ano que vem”, disse o tenista suíço, atual nº 3 do ranking mundial.