OPINIÃO
17/03/2020 03:00 -03 | Atualizado 17/03/2020 03:00 -03

'Ela pediu divórcio porque eu deixava louça suja na pia'

Não era um grande problema para mim. Mas era para ela.

Portland Press Herald via Getty Images
Não era um grande problema para mim quando eu era casado. Mas era um grande problema para ela.

Não parece nada razoável quando você coloca nesses termos: Minha esposa me abandonou porque às vezes eu deixava a louça suja na pia. Assim, parece que ela é uma pessoa fora de si e que eu sou vítima de uma injustiça.

Nós gostamos de colocar a culpa em outras coisas ou outras pessoas quando alguma coisa dá errado – como quando Biff Tannen bateu o carro de George McFly e derrubou cerveja nele, mas a culpa era toda de George, que não tinha avisado que o carro tinha um ponto cego.

Tal coisa ruim aconteceu por causa disso e daquilo. A culpa não foi minha!

Às vezes eu deixo copos sujos na pia, a uns poucos centímetros da lava-louça. Não é um grande problema pra mim hoje em dia. Não era um grande problema para mim quando eu era casado. Mas era um grande problema para ela. Toda vez que ela entrava na cozinha e via os copos na pia, o fim do nosso casamento ficava mais próximo. Só que eu ainda não sabia disso.

Toda vez que ela entrava na cozinha e via os copos na pia, o fim do nosso casamento ficava mais próximo. Só que eu ainda não sabia disso.

Mesmo que soubesse, meu medo é que eu não me esforçasse o bastante para mudar meus hábitos – talvez eu tentasse convencê-la de que eu estava certo.

Homens não são crianças – apesar de nos comportarmos como tal 

Sentir-se respeitado pelos outros é importante para os homens. Sentir-se respeitado por sua esposa é essencial para levar uma vida recompensadora e com propósito. Talvez eu achasse que minha esposa tinha de me respeitar só porque trocamos juras de amor na igreja. Não seria a primeira vez que eu estava agindo como um menino mimado. Tenho certeza que nunca liguei os pontos: colocar a louça suja na máquina e conquistar o respeito dela.

Ela dizia que estava cansada de repetir a mesma coisa. É por isso que a coisa mais sexy que um homem pode dizer para a mulher é “deixa comigo”. Sempre pensei: “Me diga o que você quer que eu faça, e eu faço com prazer”.

Mas ela não queria ser minha mãe.

Ela queria ser minha parceira, queria que eu usasse toda minha inteligência e capacidade de aprendizado à logística de manter a casa funcionando ao lado dela. Ela queria que eu descobrisse por conta própria o que eu tinha de fazer, que criasse um sistema meu para lidar com as tarefas domésticas. Queria conseguir lembrar por que tudo isso me parecia tão pouco razoável na época.

Os homens são capazes

Os homens inventaram máquinas pesadas que mesmo assim conseguem voar com segurança. Eles criaram o modelo heliocêntrico do sistema solar, estabelecendo que a Terra orbita o Sol. Homens projetam e constroem arranha-céus, tiram corações e outros órgãos de pessoas mortas e os transplantam em pacientes vivos. Isso é uma loucura. Os homens são capazes.

Ela queria que eu descobrisse por conta própria o que eu tinha de fazer, que criasse um sistema meu para lidar com as tarefas domésticas. Queria conseguir lembrar por que tudo isso me parecia tão pouco razoável na época.

Os homens são perfeitamente capazes de fazer as coisas das quais elas reclamam. Mas não somos capazes de ler mentes nem de prever como elas vão se sentir sobre as coisas, porque pode ser que respostas emocionais sobre essas questões venham completamente diferentes.

Ei, Matt, por que você deixou esse copo na pia em vez de colocar na lava-louça?

Por vários motivos.

1) Talvez o use de novo. 

2) Não me importo com copos na pia, a menos que esteja esperando visita.

3) Nunca vou me preocupar com isso. Jamais. É impossível. É como pedir que eu me interesse por crochê ou por jardinagem. Não quero fazer crochê. Não consigo imaginar uma situação em que trabalhar no jardim de casa seja mais interessante que qualquer outra atividade.

Existe um único motivo pelo qual não vou mais deixar copos sujos na pia. Uma lição que aprendi tarde demais: porque amo e respeito minha parceira, e isso é muito importante para uma vida em conjunto.

Entendo que, quando deixo o copo na pia, ela fica magoada – ela literalmente sofre ―, porque parece que estou dizendo: “Não respeito nem dou importância para o que você pensa. Os quatros segundos que eu economizo ao não colocar o copo na pia são mais valiosos para mim que para você.”

De repente, não se trata mais de uma coisa tão trivial e sem importância quanto um copo sujo. Agora estamos falando de um ato real de amor e sacrifício. Quatro segundos? Fala sério. Não parece nada demais para uma pessoa que faz sacrifícios diários por mim.

Não tenho de entender por que ela dá tanta importância ao maldito copo.

Só tenho de entender e respeitar esse fato.

E então, como gosto dela = colocar o copo na lava-louça.

Gosto dela = então não deixo mais as roupas sujas no chão.

Gosto dela = então limpo os pés para não sujar o chão que ela limpou.

Gosto dela = então cuido de coisas relacionadas às crianças para que ela possa relaxar um pouco.

Gosto dela = então digo “Quer que eu faça alguma coisa ou passe no supermercado no caminho de casa? 

Gosto dela = um milhão de coisinhas que dizem “eu te amo” mais do que qualquer palavra que possa sair da minha boca.

É simples assim

Um homem capaz desse tipo de mudança de comportamento – mesmo que ele não entenda ou concorde com o que a mulher está pensando – terá um ótimo relacionamento. Os homens querem brigar pelo direito de deixar o copo sujo na pia. Pode ser algo mais ou menos assim:

“Vai à merda”, pensamos, “Sacrifico tanta coisa e você vem me encher por causa de um copo? Essa merda de vidro que eu posso e vou colocar na lava-louça quando eu quiser? É tão importante para você? Você quer estragar uma noite de paz e brigar comigo por causa desse copo?”

Depois de tudo o que faço para tornar nossa vida possível ― coisas pelas quais um “obrigado” (nem peço) ―, você vai transformar um copo na pia em uma crise de casamento? Nem que eu tentasse conseguiria ser tão mesquinho. Isso pra mim é questão de honra. Se você realmente quer ver esse copo na lava-louça, faça você mesma e não precisa me contar. Do contrário, vou colocá-lo na máquina quando formos receber visita ou quando eu tiver terminado de usá-lo. Essa briga é muito injusta e não vou ceder.

O homem não quer se divorciar da mulher porque ela está enchendo o saco dele por algo que na opinião dele é totalmente irracional. Ele quer que ela concorde que um copo sujo na pia, em termos da vida, simplesmente não é nada demais. Ela deveria reconhecer sua mesquinhez. Ele continua esperando que ela concorde.

Mas ela nunca vai fazê-lo, porque, para ela, vai muito além do copo. Poderia ser qualquer outra situação na qual ela se sente desrespeitada pelo marido. A mulher não quer se divorciar do marido porque ele deixa copos sujos na pia.

Ela quer o divórcio porque parece que o marido não a respeita nem a aprecia, o que sugere que ele não a ama, e ela não pode contar com ele como parceiro seja para realizar as tarefas domésticas, seja para dividir outros âmbitos da vida. 

A mulher não quer se divorciar do marido porque ele deixa copos sujos na pia. Ela quer o divórcio porque parece que o marido não a respeita nem a aprecia...

Na teoria, o homem quer levar a briga adiante, porque ele acha que está certo (e eu tendo a concordar com ele): o copo sujo não é mais importante que a paz no casamento.

Infelizmente, a maioria dos caras não sabe que ela não está brigando única e exclusivamente por causa do copo. Ela está brigando por divisão de tarefas, por menos carga mental.

Se ele soubesse disso – se ele entendesse completamente esse segredo que ela nunca lhe explicou de maneira que não parecesse louca na opinião dele (o que o levava a descartar as opiniões dela como se fosse apenas mais um momento EMO), e que a situação do copo e todas as discussões parecidas acabariam por dar fim ao seu casamento, acredito que ele pensaria duas vezes antes de comprar brigas. Ele estaria mais disposto a fazer as coisas que agradassem e fizessem sua mulher sentir-se amada. 

Acho que, na maioria das vezes, as esposas não concordam comigo. Elas não acham ser possível que seus maridos não saibam como suas atitudes as atingem, afinal de contas elas já explicaram, às vezes com lágrimas nos olhos e um milhão de vezes, como isso as deixa chateadas e magoadas.

E isso é importante: dizer uma ou um milhão de vezes algo que para o homem não faz sentido não vai levá-lo a entender. Certo ou errado, ele jamais ficaria magoado se a situação fosse invertida, por extensão ele acredita que a mulher também não deveria se magoar. Isso não faz sentido na cabeça deles.

“Nunca fico chateado com você quando você faz algo que eu não gosto!”, raciocinam eles, como se as esposas estivessem intencionalmente escolhendo pela briga e reivindicando algo que é considerado absurdo por eles.

Quando você decide amar alguém, fazer as coisas que dão prazer ao outro são um prazer, não uma obrigação. Não é: “Caralho, preciso fazer essa porra para minha esposa, de novo”. É: “Sou grato por mais uma oportunidade de demonstrar para minha esposa que ela pode contar comigo.”

Quando alguém descobrir um jeito de fazer com que os homens entendam que a situação do copo (que não os afeta emocionalmente nem hoje nem nunca) magoa profundamente e traz uma carga mental absurda às mulheres e as torna responsável por absolutamente tudo o que diz respeito ao trabalho doméstico; quando os homens realmente compreenderem e aceitarem esse fato como verdade, mesmo que não faça sentido para eles, tudo vai mudar para sempre.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.