COMPORTAMENTO
02/06/2019 01:00 -03

As 8 piores coisas que você pode fazer numa discussão com seu companheiro

3. Tentar tomar uma decisão importante no meio de uma discussão.

Todos os casais têm brigas. Na verdade, a ausência de qualquer tipo de discussão pode ser sinal de um relacionamento infeliz, pouco sadio ou com pouca conexão real entre as duas pessoas. Quando nenhuma das duas partes tem a energia ou a vontade de resolver as diferenças, isso pode assinalar que elas já estão se distanciando do relacionamento.

Isto dito, existem maneiras produtivas e respeitosas de colocar as coisas em pratos limpos com seu companheiro. E há maneiras improdutivas ou tóxicas de lidar com essas diferenças. É desnecessário dizer que a violência, quer seja física ou emocional, nunca deve ser vista como normal. 

Perguntamos a alguns terapeutas quais são as piores coisas que os casais podem fazer durante uma discussão.

Agora você saberá o que evitar na próxima vez que tiver uma discussão com sua cara-metade.

 

1. Partir para golpes baixos

Xingar o outro ou chamar a atenção para as inseguranças ou vulnerabilidades dele durante uma discussão é um golpe baixo. Você pode estar com raiva, magoado ou frustrado no momento, mas isso não te dá o direito de ter esse tipo de comportamento.

“Se você já está há algum tempo com seu companheiro, deve ter uma ideia de certas coisas a seu respeito que o magoariam muito se fossem mencionadas durante uma discussão”, explicou ao HuffPost o terapeuta conjugal e familiar Gary Brown. “Por exemplo: se você sabe que seu parceiro sofre de ansiedade, seria desnecessariamente doloroso para ele você dizer algo como ‘você vive com medo, você é um fracote’.”

Para a psicóloga clínica Gina Delucca, o problema desse tipo de ataque é que pode ser especialmente difícil a outra pessoa superá-lo.

“Procure focar no problema específico do momento, não lançar ataques pessoais e dizer coisas sobre seu parceiro das quais você provavelmente vai se arrepender mais tarde”, ela aconselha. “Discussões podem ser difíceis, mas mesmo assim as duas partes precisam se tratar com respeito mútuo.”

 

2. Desligar-se no meio de uma discussão

Quando uma pessoa se fecha totalmente ou se desliga no meio de uma discussão, o parceiro sente que lhe puxaram o tapete. O conflito continua sem ser resolvido. O parceiro se sente isolado, confuso e ainda mais frustrado.

“Nos casais heterossexuais, quem se desliga dessa maneira geralmente é o homem, possivelmente por estar se sentindo fora de controle, por ter medo de sua própria raiva, ou talvez seja uma maneira passiva-agressiva de ele retaliar”, sugere a terapeuta conjugal e familiar Amy Begel. “Sejam quais forem as motivações inconscientes, essa manobra é injusta e covarde - é uma forma de bullying disfarçado. Isso reduz a outra parte do casal a uma pilha de escombros, emocionalmente falando.”

Se você está se sentindo sobrecarregado e precisa de um tempo na discussão, tudo bem. Mas é melhor verbalizar isso para seu parceiro, e não simplesmente se desligar da discussão.

A psicoterapeuta Carol A. Lambert propôe: “A pessoa que quer uma pausa pode dizer que precisa ouvir e entender mais, mas que neste momento precisa dar uma pausa na discussão. Pode identificar que está aflita demais, confusa, enraivecida ou seja o que for para continuar a ouvir e discutir. Pode pedir a seu companheiro que eles suspendam a discussão e marcar uma hora para ela ser retomada mais tarde.”

 

3. Tentar tomar uma decisão importante no meio de uma discussão

Quando você e seu companheiro estão no meio de uma discussão acalorada, não estão com a clareza de pensamento necessário para tomar decisões importantes. Espere até as coisas esfriarem antes de tentarem chegar a um acordo.

“A não ser que você esteja numa situação de risco para sua integridade física, como uma situação de violência doméstica, por exemplo, geralmente é recomendável evitar tomar decisões importantes no calor da discussão, quando as emoções estão fervendo e a capacidade de julgamento está enfraquecida”, diz Brown.

 

4. Relembrar erros passados ou questões não relacionadas ao tema da discussão, apenas para desviar ou distrair a atenção 

Ceneri via Getty Images
Apresentar sua lista completa de queixas não relacionadas no meio de uma discussão vai apenas deixar a disputa mais acirrada.

Se você quer uma briga justa, não pode relembrar os erros passados de seu companheiro apenas para tentar “sair ganhando” na discussão. Esses incidentes passados muitas vezes são irrelevantes para a discussão atual, contraproducentes e podem deixar o outro ainda mais na defensiva.

“Quando uma das pessoas é ultrassensível, muito ansiosa, cheia de sentimento de culpa ou simplesmente nunca admite estar errada, ela pode usar vários métodos que visam deixar o outro em posição defensiva”, disse Begel. “Um desses métodos é apresentar uma lista de todas as falhas e erros do companheiro, relembrar transgressões passadas ou simplesmente mudar de assunto para desviar a atenção do companheiro do tema real da discussão.”

Se o que está incomodando você é alguma coisa que aconteceu anos atrás, reserve uma hora separada para falar disso.  

 

5. Estar mais interessado em provar que você está “certo” ou em “ganhar” a discussão do que em realmente encontrar uma solução para a desavença

Mesmo quando vocês estão no auge de uma discussão, tente ter em mente que você e seu companheiro estão no mesmo time. Logo, provar que você está “certo” e ele está “errado” não vale a pena. Além disso, se você está mais interessado em mostrar que está certo do que em compreender o ponto de vista de seu companheiro, vocês dois não vão muito longe.

“Se o companheiro é importante para ela, a pessoa que pensa ‘eu estou com a razão’ precisa tirar tempo para ouvir e se deixar aberta ao que o companheiro tem a lhe dizer”, explica Lambert. “Encontrar um terreno intermediário no qual vocês dois podem concordar, ou então concordar que vocês vão discordar, ajuda o relacionamento a se fortalecer, e ao mesmo tempo as duas pessoas do casal sentem que merecem a consideração uma da outra.”

 

6. Tentar discutir através de mensagens de texto

Mensagens de texto são ótimas para enviar emoticons, desejar boa sorte a seu companheiro em sua entrevista de emprego ou decidir o que vocês vão fazer para o jantar. Não são igualmente boas quando vocês estão tentando resolver uma discussão, isso porque é muito fácil fazer uma interpretação equivocada de uma mensagem escrita.

“Você não está ouvindo o tom de voz de seu companheiro, não está lendo sua linguagem corporal, não está interpretando o que significam as expressões do rosto dele”, explica Brown. “Boa parte de nossa comunicação é não verbal. Quando você não está sentado diante da outra pessoa ou, no mínimo, falando com ela ao telefone, há muita margem para fazer uma interpretação equivocada do que ela quis dizer.”

 

7. Estar mais preocupado com você do que com o impacto que suas palavras ou atos terão 

Quando você apresenta seu ponto de vista numa discussão, pode sem querer dizer alguma coisa que magoa seu companheiro ou invalida os sentimentos dele. Mesmo que essa não tenha sido sua intenção, é importante reconhecer que ele ou ela pode ter sido afetado, às vezes de modo permanente, pelo que você disse.

“Pode não ter sido sua intenção fazer seu parceiro sofrer, mas o impacto de suas palavras ou seus comportamentos pode ter sido prejudicial”, diz o psicólogo Jamie Goldstein. “Quando ignoramos a possibilidade de magoar o outro em uma discussão, agravamos essa mágoa ao continuarmos fazendo pouco caso do que a pessoa está sentindo.”

 

8. Não ter consciência de sua linguagem corporal agressiva ou evasiva

Com frequência, durante uma discussão, estamos tão focados sobre o que estamos dizendo que deixamos de prestar atenção ao nosso comportamento não verbal.

“Os sentimentos que são comuns em momentos de conflito – como raiva, frustração e sofrimento emocional – tendem a ser carregados de energia”, explica a terapeuta conjugal e familiar Lynsie Seely.

“Podemos sem querer nos erguer e esticar para ficar mais altos, bater um punho sobre a mesa, fazer gestos grandes ou abruptos, invadir o espaço pessoal do outro ou gritar.”

“É muito importante ter consciência de sua postura corporal e de sinais não verbais, especialmente se seu companheiro tem uma história de relações traumáticas passadas.”

Seely recomenda que, em vez disso, as pessoas usem técnicas de respiração profunda ou mindfulness sensorial (esfregar um objeto macio, apertar uma bola de borracha, cheirar um óleo essencial) para se conservar calmas e presentes no momento, apesar das emoções difíceis que estão sentindo.

“Assuma uma postura corporal de abertura: volte-se em direção ao seu companheiro, relaxe os braços, faça contato olho a olho suave. Tudo isso pode ser uma ótima maneira de se conectar com ele no meio de uma discussão e transmite ao companheiro a mensagem de que vocês dois estão no mesmo time”, diz.

 

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.