NOTÍCIAS
22/03/2019 10:11 -03 | Atualizado 22/03/2019 10:48 -03

Número 2 do MEC anuncia demissão pelo Twitter

Ex-diretora de um colégio religioso paulista, Iolene Lima havia sido indicada para o comando da Secretaria Executiva da pasta há apenas 8 dias.

Reprodução/Twitter/@iolenelima
Iolene Lima sucedeu Luiz Antônio Tozi no cargo. 

A ex-diretora de um colégio religioso de São Paulo Iolene Lima anunciou pelo Twitter que foi demitida do cargo de secretária-executiva do Ministério da Educação. O desligamento ocorre apenas 8 dias após ela ter sido indicada número 2 do ministro Ricardo Vélez.

No Twitter, ela afirmou que após uma semana de espera recebeu a informação de que não faz mais parte do grupo do ministério. Lima disse que aceitou o cargo “diante um quadro bastante confuso na pasta, mesmo sem convite prévio”. Disse ainda que se colocou à disposição para trabalhar em prol de melhorias para o setor.

“Não sei o que dizer, mas confio que Deus me guardará e guiará! Desejo ao governo Bolsonaro e ao ministro Ricardo Vélez, o melhor!”

Não sei o que dizer, mas confio que Deus me guardará e guiará!

A sucessora

Iolene sucedeu Luís Antônio Tozi no cargo. Ele foi demitido depois de queixas de Olavo de Carvalho. Tozi representaria um cargo “técnico” que se opunha ao grupo dos chamados “olavetes”.

Assim que Iolene assumiu a secretaria voltaram a circular na internet vídeos nos quais ela afirma que a “educação baseada em princípios é uma educação baseada na palavra de Deus”.

“Onde a geografia, a história, a matemática vai ser vista sob a ótica de Deus. Então o aluno vai aprender que o autor da história é Deus. O realizador da  geografia foi Deus. Deus fez as planícies, Deus fez os relevos, Deus fez o clima”, afirma em uma das gravações.