NOTÍCIAS
25/08/2019 03:00 -03

Deltan na PGR divide apoio de alas pró-Lava Jato e bolsonarista em manifestações

O protesto está previsto para acontecer em mais de 20 cidades.

Divulgação

Com pautas difusas, as manifestações marcadas para este domingo (25) dividem a ala bolsonarista e de apoio à Lava Jato frente à nomeação ou não do procurador DeltanDallagnol, coordenador da força tarefa em Curitiba, para assumir a Procuradoria Geral da República (PGR).

Além do futuro da PGR, o apoio ao impeachment do ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), e o veto por parte do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de lei de abuso de autoridade são algumas das bandeiras dos manifestantes.

O ato foi convocado pelo Movimento Avança Brasil, Ativistas Independentes e Direita São Paulo, que são representantes da ala bolsonarista, mas também ganhou adesão do movimento Vem Pra Rua, que defende a Operação Lava Jato.

Entre as cidades que devem ocorrer os protestos estão São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Vila Velha, Goiânia, Belo Horizonte, São Luís, Cuiabá, Belém, João Pessoa, Recife, Teresina, Curitiba, Natal, Porto Velho, Porto Alegre, Maceió, Manaus, Aracaju e Palmas. 

No Twitter, o Vem Pra Rua reforçou a campanha #DeltanNaPGR em defesa do trabalho do procurador no combate à corrupção. 

De acordo com o movimento, a maioria dos brasileiros “não está nem aí” se Dallangnol ”é de direita ou não”. O movimento defende que, com o procurador na PGR, será possível “passar o rodo nos corruptos.”

A posição, contudo, é refutada pelo Avança Brasil. De acordo com o movimento, a adesão do Vem Pra Rua faz parte de um “conluio” para pressionar Bolsonaro na nomeação de Dallagnol.

Segundo eles, a campanha retira a credibilidade do presidente como defensor do movimento contra corrupção caso Bolsonaro decida escolher outro nome que não o de Dallagnol.

“Não aceitaremos, e sempre denunciaremos esse tipo de conluio contra o primeiro presidente realmente conservador que temos ao longo dos últimos 90 anos”, diz o texto compartilhado no perfil oficial do movimento no Instagram.

View this post on Instagram

O ato deste domingo 25/08 foi convocado pelo Movimento Avança Brasil, Ativistas Independentes e Direita São Paulo, ao final da Manifestação do dia 30/06 em nosso trio-elétrico na Av. Paulista, com a única finalidade de pedir o IMPEACHMENT de Dias Tofolli e Gilmar Mendes. O Vem Pra Rua aderiu ao ato deste domingo apenas no dia 15/08 e a partir desta data, começou, em conluio com vários veículos de imprensa, colocar toda pressão em cima do Presidente Jair Bolsonaro, dando a entender que o Presidente estaria contra a Lava Jato e a favor da corrupção nos casos da Lei de Abuso de Autoridade e a indicação do nome do novo PGR. Em relação à Lei de Abuso de Autoridade, entendemos que com o ajuizamento do Mandado de Segurança por parlamentares do PSL, junto a outro Mandado de Segurança promovido por parlamentares do Novo, o prazo para a sanção presidencial fica suspenso e a responsabilidade por reconhecer se o processo legislativo foi legítimo, legal e constitucional pertence hoje à alçada do STF. Nesse sentido, esperamos que o Ministro Relator paute o tema o mais rápido possível para que ele retorne ao Plenário da Câmara e seja feita nova votação. Só e apenas após a manifestação do STF é que poderemos saber qual texto estará ou não sujeito à sanção ou veto presidencial. Até lá, cabe exclusivamente ao STF e não ao Presidente resolver esta pendência legislativa, salvo melhor juízo técnico. Em relação à escolha que será feita para ocupar o cargo de Procurador Geral da República, o MAB não tem preferência por nomes e a forçada de barra pelo nome de Deltan Dallagnol tem o único objetivo de constranger o Presidente em relação ao povo que sempre apoiou a Lava Jato. O MAB entende que o Presidente é atualmente a pessoa mais indicada para sacramentar essa escolha. Asseguramos que o nome que for escolhido por Bolsonaro contará com todo o apoio do MAB. Não aceitaremos, e sempre denunciaremos esse tipo de conluio contra o primeiro presidente realmente conservador que temos ao longo dos últimos 90 anos! #avancabrasil #bolsonaro #conservadorismo

A post shared by Movimento Avança Brasil (@mavancabrasil) on

No início de agosto a página do Facebook de Bolsonaro chegou a compartilhar um comentário em que afirmava que “Dallagnol é esquerdista estilo PSOL”.  

Em entrevista à Gazeta do Povo na última quinta (20), o coordenador da Lava Jato afirmou que a operação e outros mecanismos anticorrupção estão ameaçados por ações do Congresso, do STF e do governo Bolsonaro.

“A gente vê um movimento amplo [de enfraquecimento do combate à corrupção]. Não é um movimento restrito, não é uma pessoa ou duas. A gente vê um movimento que engloba o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”, disse o procurador.

Atualmente, Raquel Dodge comanda a PGR, mas o seu mandato termina em 17 de setembro. Até agora, o presidente ainda não anunciou quem deve indicar para substituí-la.