MULHERES
18/01/2019 18:17 -02 | Atualizado 18/01/2019 18:36 -02

Datena é acusado de assédio sexual por ex-repórter da Band

Bruna Drews, ex-repórter do "Brasil Urgente", afirma que apresentador disse que "'já bati muita punheta pra você".

Divulgação/Reprodução/TVBand
A partir da denúncia, o Ministério Público decidirá se abre uma investigação ou se abre processo contra o apresentador.

Bruna Drews, ex-repórter do Brasil Urgente (Band), de 35 anos, denunciou o apresentador José Luiz Datena, 61, por assédio sexual. O caso foi divulgado pelo site Notícias da TV na tarde desta sexta-feira (18). Em entrevista, Datena nega as acusações e afirma que são fruto de “delírio”. 

Segundo denúncia apresentada ao Ministério Público, Datena teria dito à repórter que ela era “muito gostosa e não precisava emagrecer” que “já bati muita punheta para você, você nem imagina o quanto” e que ”é um desperdício você namorar uma mulher, não deve ter conhecido o homem certo”.

Ao site Notícias da TV, o apresentador nega as acusações, acusa Drews de calúnia e alega que a profissional sofre de problemas psicológicos.

“Isso não é verdade, é falso. Eu disse para ela que ela era uma pessoa bonita. Dizia no ar, pra todo o Brasil ouvir, [que é] bonita e competente. Ela nunca reclamou, só me agradeceu por tratá-la bem”, afirmou. “Na comemoração, repeti a ela que ela era muito bonita e que não precisava emagrecer, porque ela já era competente. Tirando isso, todo o resto é mentira, calúnia e delírio.”

No documento entregue ao Ministério Público, a repórter afirma que o apresentador interrompia reportagens de forma constante para elogiar sua beleza e que, em certa ocasião, pediu para o cinegrafista mostrar o seu corpo em um link ao vivo. Ela afirma ter ganhado apelidos após este episódio como “lanchinho do Datena”.

A “comemoração” citada por Datena aconteceu em junho de 2018 após a produção finalizar as gravações do quadro “A Fuga”, do extinto programa dominical Agora É com Datena, em um bar na região central de São Paulo. Datena também citou a ocasião em sua defesa.

Na tarde desta sexta, Drews falou ao programa Fofocalizando, do SBT, e disse que se sentia muito constrangida com o comportamento do apresentador e que, após o episódio descrito acima, decidiu entrar na Justiça.

“Já me sentia muito constrangida com o assédio que sofria no ar. Era nítido meu constrangimento, sabe? Tinha que pagar coisas para os meus pais, tinha que sustentar uma casa. Mas quando aconteceu o assédio no restaurante, senti que deveria procurar a Justiça”, afirmou.

Bruna também está movendo ação trabalhista contra a Band. Ela acusa a emissora de ter sido conivente com o comportamento do apresentador.

A emissora disse, em nota, que “o processo trabalhista em questão tramita em segredo de Justiça, a pedido, inclusive, da própria autora. A Band está impedida de se manifestar sobre o assunto”.  

Bruna está de licença médica desde julho de 2018. Após a repercussão do caso, nas redes sociais, afirmou que está de “consciência limpa e tranquila” e que fez a denúncia por “todas as mulheres que são obrigadas a passar por isso diariamente.”

A partir da apresentação da denúncia contra Datena, o Ministério Público precisa decidir se abre uma investigação ou um processo contra o apresentador.

Não silencie!

“Foi só um empurrãozinho”, “Ele só estava irritado com alguma coisa do trabalho e descontou em mim”, “Já levei um tapa, mas faz parte do relacionamento”. Você já disse alguma dessas frases ou já ouviu alguma mulher dizer? Por medo ou vergonha, muitas mulheres que sofrem algum tipo de violência, seja física, sexual ou psicológica, continuam caladas.

 Desde 2005, a Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, funciona em todo o Brasil e auxilia mulheres em situação de violência 24 horas por dia, sete dias por semana. O próximo passo é procurar uma Delegacia da Mulher ou Delegacia de Defesa da Mulher. O Instituto Patrícia Galvão, referência na defesa da mulher, tem uma página completa com endereços no Brasil. Clique aqui.