COMPORTAMENTO
16/03/2019 01:00 -03

8 cuidados que você deve tomar com os pets em dias de calor

Altas temperaturas podem causar sérios problemas de saúde ao seu pet, diz especialista.

Bicho_raro via Getty Images

O verão é a estação do ano preferida de quem adora curtir uma praia, tomar uma cervejinha gelada ou simplesmente dar um belo mergulho na piscina. As altas temperaturas, no entanto, não são tão agradáveis assim para os animais de estimação.

O HuffPost Brasil conversou com Luiza Cervenka, bióloga e especialista em comportamento animal, para entender quais os principais cuidados que os cachorros, gatos e demais pets necessitam para encarar essa onda de calor com o maior conforto possível.

Uma das dicas mais importantes é em relação aos melhores horários para levar os cães para passear na rua ou em parques.  

Segundo Cervenka, em dias de calor muito intenso, há uma faixa do dia em que é extremamente prejudicial à saúde tirar os cachorros de casa.

“Existe um horário que deve ser evitado, que é das 10h da manhã às 4h da tarde (11h às 5h quando for horário de verão), por conta da temperatura do chão - mesmo quando for de grama, que não esquenta tanto. Temos a preocupação do piso, que pode torrar, fritar ou assar a patinha do cachorro, pois pode chegar a até 50º C”, diz a bióloga.

Jessica Peterson via Getty Images

Para evitar isso, uma forma é ficar com o dorso da nossa mão uns 10 segundos no chão. Se a gente aguentar, o cachorro pode passear. “Se a pessoa só pode passear nesses horários, o ideal é colocar um sapatinho adequado para o piso quente ou, então, buscar parques arborizados, que aí não dá tanto problema de hipertermia”, ensinou a especialista.

Cervenka alertou que os cuidados devem ser ainda maiores com os cães de focinho curto (braquicefálicos), como Pugs, Shih-Tzus ou Bulldogs. “Eles acabam tendo uma propensão maior a hiperaquecer, e essa hipertermia pode levá-los à morte rapidamente. Por isso é extremamente preocupante passear nesse horário, com o sol a pino”.

Confira abaixo outras 7 precauções que você deve tomar em dias de calor muito intenso para deixar seu pet sempre saudável e feliz.

 

Tosar para refrescar?

A profissional revelou que muitas pessoas pensam estar fazendo um bem para o cachorro ao raspar os pelos quando os termômetros começam a marcar altas temperaturas, mas a verdade é exatamente o oposto.

“A pior coisa que podemos fazer é tosar os cachorros de pelos longos. Isso porque o pelo não serve apenas para esquentar, mas também como isolante térmico. É ainda pior no caso de cães que têm subpelos também (Husky Siberiano, Samoeida, Golden Retriever, etc...). As pessoas querem refrescar o cachorro, tosam na pele e aí deixam o cão com uma tendência muito maior a ter problemas de pele e hiperaquecimento”, diz.

“O ideal é tosar a barriga, pois é uma parte que não tem contato direto com o sol. Aí se ele quiser colocar essa barriga em um local mais fresco ou na água, refrescará mais rápido.”

Darwin Brandis via Getty Images

Hidratação

O calor dá vontade constante de beber água, certo? E você não beberia uma água suja ou quente, não é verdade? Então é exatamente isso que você precisa fazer para que seu bichinho se mantenha sempre hidratado.

“A água deve estar sempre à disposição e bastante fresca. O ideal é ter um recipiente grande e efetuar trocas constantes. Aumentar a oferta pela casa. Pode até oferecer água de coco, caso eles gostem”, ensina Cervenka.

damedeeso via Getty Images

Posso dar gelo ou bebidas geladas para o meu cão?

Uma dica para aumentar o interesse de seu cão ou gato pelas bebidas é gelar a água ou até mesmo introduzir sorvetes na alimentação deles. Sim. Segundo Luiza Cervenka, há receitas de sorvetes que podem - e devem - ser oferecidos aos seus pets.

“Pode dar sorvete, desde que seja específico para o cachorro. O que não pode é dar o nosso sorvete, porque ele tem açúcar, gordura e um monte de coisas que fazem mal para o cachorro. Pode fazer sem problema nenhum, não dá choque térmico. A única coisa é não tirar do freezer e dar diretamente para ele, pois pode colar a língua”, explica.

Segundo a bióloga, as receitas podem levar suco de melancia e até ração com água. “Eles adoram. Está liberado o sorvete e brincar com água. Só precisa ficar atento se eles começarem a espirrar ou apresentar diarreia. É raro, mas, se acontecer, tem que levar imediatamente ao médico veterinário.”

Ar-condicionado e ventilador

Dormir com o ventilador ou com o ar-condicionado ligado é praticamente uma obrigação em dias de calor intenso. Se seu animalzinho de estimação está acostumado a dormir no seu quarto, no entanto, é bom ficar ligado para não prejudicar a saúde dele.

“Tem que ver exatamente o que nosso pet gosta e qual as reações dele nessas variações de temperatura. Quando um cachorro ou um gato fica muito tempo exposto a um ventilador ou um ar-condicionado, pode sim desenvolver patologias respiratórias ou ficar resfriado. Tem que ficar esperto. Se perceber que começou a espirrar, tossir, teve alteração de alimentação, tem que tirar. Não pode deixar.”

Kei Uesugi via Getty Images

Apesar de tudo, o sol não é um inimigo

A especialista fez questão de frisar, no entanto, que todos os cuidados citados acima não são sinônimos para privar completamente seu animalzinho dos banhos de sol.

“Apesar de estar bastante quente, os animais precisam tomar sol. Mesmo estando muito quente, praticamente um forno, é importante tomar sol para manutenção de pelos e de certas vitaminas que eles precisam”.

 

Após um banho de mangueira, deixo secar naturalmente?

A quantidade diária de sol - ou semanal - pode vir depois de um belo banho ou mesmo uma mangueirada para refrescar. Segundo Luiza Cervenka, não faz mal para os cachorros secar os pelos naturalmente, mas o uso do secador é o mais indicado após as 17h, quando as temperaturas costumam estar mais baixas - e o sol também.

Busybee-CR via Getty Images

Antipulga em dia é fundamental

A última dica da especialista é sobre o uso do antipulga. Se você tem o costume de não seguir à risca o uso do produto (de 30 em 30 dias), pode colocar seu amigão em risco, principalmente no verão.

“O forte calor e a umidade compõem o ambiente perfeito para a ação das pulgas e dos carrapatos em cães e gatos. Por conta disso, é essencial que o seu cão esteja com os medicamentos ou métodos de profilaxia (prevenção) em dia.”