NOTÍCIAS
11/09/2020 17:16 -03

Cristiane Brasil se apresenta à polícia e acusa pedido de prisão de ser político

“Não tenho nem carro. Não sei cadê esse enriquecimento ilícito”, diz a ex-deputada que pretende se candidatar à Prefeitura do Rio de Janeiro.

Reproduçào/Twitter
“Tô de consciência tranquila de que a justiça será feita e os fatos serão esclarecidos ao meu favor", afirmou Cristiane Brasil.

A ex-deputada Cristiane Brasil (PTB) se apresentou nesta sexta-feira (11) à Polícia Civil do Rio de Janeiro após ter tido um mandado de prisão expedido contra ela por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção nas gestões Eduardo Paes e Marcelo Crivella. De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, o esquema pode ter desviado R$ 30 milhões dos cofres públicos entre 2013 e 2018.

Cristiane Brasil, que diz que pretende se candidatar à prefeitura, é investigada por suposto recebimento de propina. A denúncia afirma que a ex-deputada recebia dinheiro em espécie e usava “mulheres da mala” para intermediar o recebimento dos valores. Ela nega as acusações e afirma que a prisão é política, com intuito de interferir nas eleições municipais deste ano.

Nas redes sociais, a ex-deputada, que é filha do presidente do PTB, Roberto Jefferson, questionou as investigações. “Não tenho nem carro. Não sei cadê esse enriquecimento ilícito”, diz. Ela considerou a denúncia “um absurdo”. “Mandado de prisão preventiva contra mim faltando dias para eleição, contra mim e dois principais candidatos em um momento em que minha candidatura se fortalece, e nós sabemos que tem interesses políticos por trás desses atos todos”, disse.

“Tô de consciência tranquila de que a justiça será feita e os fatos serão esclarecidos ao meu favor. Em breve estarei em liberdade e pronta para competir e ser prefira do Rio de Janeiro. Devo banco, os empréstimo que tive que pagar para dois motoristas que não mereciam, devo cartão de crédito e agora estou devendo a faculdade da minha filha porque investi meu parco dinheiro na pré-campanha para poder concorrer a prefeita, devo a várias pessoa porque acredito na causa política, não tenho nem carro. Nao sei cadê esse enriquecimento ilícito. Quero saber como me beneficiei de um esquema de propina. Cadê os milhões?”