7 sinais de que você mimou demais seus filhos (e o que fazer a respeito)

Especialistas afirmam que é possível “desmimar” os filhos, mas isso requer impor – e fazer cumprir – limites, mesmo que eles deem chilique.

Você está na fila do supermercado e seu filho pega um bicho de pelúcia de “Frozen 2”. “Mãe, me dá esse Olaf? Eu quero!”

Quando você diz não, ele grita: “Te odeio!”, e a loja inteira escuta. Aí começa o escândalo: gritaria, choradeira... Todo mundo olha para vocês, e você já sabe o que estão pensando: “Uau, que criança mimada”.

Se essa cena parece familiar, você não está sozinho. O problema das crianças mimadas parece estar aumentando: 59% dos pais acham que seus filhos são mais mimados do que eles mesmos quando tinham a mesma idade, segundo uma pesquisa de 2011 da Parenting and Today Moms.

Pedimos que especialistas apontassem os sinais de que você possa estar mimando seus filhos. Veja abaixo os conselhos deles e como inverter a situação.

O que é uma criança ‘mimada’, afinal?

<i>Nenhuma crian&ccedil;a nasce mimada.</i>
Nenhuma criança nasce mimada.

Uma criança mimada consegue tudo o que quer, quando quer, com algumas poucas exceções.

“Toda criança tem dias ruins – como os adultos ―, mas as mimadas ficam presas nesse modo ‘eu’”, diz Michele Borba, psicóloga e autora de “Unselfie: Why Empathetic Kids Succeed in Our All-About-Me-World” (Unselfie: Por que crianças empáticas têm sucesso em um mundo em que tudo gira em torno de nós mesmos, numa tradução livre). “Tudo gira em torno das suas necessidades, preocupações, sentimentos, desejos e vontades. Todo o resto vem em segundo lugar.”

A psicóloga Laura Markham não gosta muito dos termos “mimada” ou “malcriada”. Essas duas palavras podem ser um pouco injustas, já que os pais são os grandes responsáveis pelo problema.

“As crianças repetem o que as treinamos para fazer. Nós é que criamos as expectativas para elas”, diz Markham, fundadora do site Ah! Parenting. “Se nunca colocamos limites, elas não estarão preparadas para respeitá-los.”

Quando os pais mimam os filhos, em geral é com a melhor das intenções. Eles querem que as crianças tenham a melhor vida possível, com tudo o que o pai ou a mãe não tiveram quando cresceram. Alguns pais acham que dizer “não” vai magoar a criança, ou então prejudicar sua confiança. Em outras ocasiões, os pais estão simplesmente exaustos para cobrar o respeito aos limites – ou até mesmo para estabelecê-los.

“É fácil ceder quando você está cansado”, diz Borba. “Odiamos dizer ‘não’ quando passamos o dia todo no trabalho.”

Sinais de que seu filho possa ser mimado

<i>Crian&ccedil;as mimadas d&atilde;o chilique muito depois de passar da primeira inf&acirc;ncia.</i>
Crianças mimadas dão chilique muito depois de passar da primeira infância.

Não tem certeza se suas crianças são mimadas? Veja os sinais de alerta apontados pelos especialistas.

Quando você diz “não”, elas dão chilique até conseguirem o que querem

Toda criança vai expressar alguma decepção quando você diz que ela não pode fazer algo – como comer pizza no jantar dois dias seguidos, por exemplo. Mas crianças mimadas têm dificuldade especial em lidar com o “não”

Chiliques podem ser parte do desenvolvimento normal de uma criança pequena, que ainda não aprendeu a se expressar adequadamente, diz LeNaya Smith Crawford, terapeuta especializada em família. Mas se esses escândalos acontecem o tempo todo e não melhoram conforme a criança cresce, pode ser sinal de que ela é mimada.

“Como seu filho costuma responder à palavra ‘não’?”, pergunta Borba. “As crianças mimadas simplesmente não conseguem lidar com ela. Elas querem que suas vontades sejam feitas sempre – e isso costuma acontecer.”

Eles nunca estão satisfeitos com o que têm

Crianças mimadas podem ter todos os brinquedos e roupas do mundo, mas isso nunca é suficiente: elas querem mais e mais e mais.

“Elas tendem a não apreciar o que têm e podem ser um pouco gananciosas”, diz Borba.

Em vez de expressar gratidão pelo que já têm, elas focam na próxima coisa que vão ganhar.

“Elas podem começar a dizer menos ‘Obrigado’ e mais ‘Eu quero’”, diz Smith Crawford.

Elas acham que o mundo gira em torno delas

Crianças mimadas costumam ser muito autocentradas. Elas não ficam preocupadas quando incomodam os outros.

“Crianças mimadas se acham superiores aos outros”, diz Borba. “Elas acham que têm direito a tudo e esperam receber favores especiais.”

Elas querem tudo já

A paciência é um traço particularmente ausente nas crianças mimadas. Quando elas querem algo, querem .

“Em geral é mais fácil ceder no mesmo momento do que tentar postergar”, diz Borba.

Elas não gostam de perder

Nenhuma criança gosta de perder – seja num jogo de tabuleiro ou numa partida de futebol ―, mas as mimadas têm mais dificuldade de lidar com a decepção da derrota.

“Se seu filho culpa os outros por sua má performance sempre espera colher elogios por tudo o que faz, grita com quem não segue suas ordens e não reconhece os esforços dos companheiros de equipe, é provável que seu filho seja mimado”, diz a terapeuta Virginia Williamson ao site Best Life.

“Lembre-se: nenhuma criança mimada é mimada por culpa da genética. São comportamentos aprendidos e que podem ser desaprendidos – quanto mais cedo, melhor.””

- Michele Borba, psicóloga

Elas não desistem até conseguir o que querem

Crianças mimadas podem usar técnicas de manipulação para conseguir o “sim” que tanto querem – de mentir a jogar o pai contra a mãe.

“Um exemplo clássico é dizer para o pai, por exemplo, que a mãe concordou com alguma coisa”, diz Smith Crawford.

Elas se recusam a executar tarefas simples a menos que você implore ou as suborne

É normal que crianças precisem de um empurrãozinho para escovar os dentes ou para guardar os brinquedos. Mas, quando os pais falam, elas têm de ouvir. Se seus filhos se recusam a fazer coisas básicas a menos que você implore ou ofereça algo em troca, pode estar se estabelecendo um precedente ruim.

“Se você depende de suborno para motivar seus filhos, da próxima vez que pedir ajuda para limpar a mesa do jantar, não fique surpreso se ele exigir algum pagamento”, escreveu a psicóloga Suzanne Gelb num blog para o HuffPost.

Conselhos para ‘desmimar’ uma criança

<i>&lsquo;Desmimar&rsquo; os filhos exige um comprometimento s&eacute;rio dos pais.</i>
‘Desmimar’ os filhos exige um comprometimento sério dos pais.

A boa notícia é que nenhuma criança nasce mimada, portanto é possível “desmimá-la”. Mas não demore para agir: quanto maior a criança, mais difícil será sua tarefa.

“Lembre-se: nenhuma criança mimada é mimada por culpa da genética”, diz Borba. “São comportamentos aprendidos e que podem ser desaprendidos – quanto mais cedo, melhor.”

Não será uma transição fácil para você ou para seu filho – esteja preparado.

Comprometa-se com a tarefa. Não vai ser fácil ser firme, e você deve esperar resistência da criança.

“Demonstre empatia, mas ao mesmo tempo tenha expectativas realistas em relação à resposta das crianças”, diz Markham. “Elas vão chorar e ficar bravas.”

Aprenda a dizer “não” sem culpa.

Uma vez estabelecidos, os limites têm de ser respeitados.

“O ‘não’ tem de ser parte do seu vocabulário. Use-o sem culpa”, diz Borba. “Aprenda a não ceder com facilidade.”

Na hora de definir os limites, demonstre empatia e compreensão, afirma Markham. Você não precisa ser um tirano para que esses métodos sejam eficazes.

“As crianças aceitam limites com mais facilidade se sentem conexão afetuosa com os pais”, diz ela.

Reforce que dar é melhor que receber

“E deixe claro que ‘quem você é’ é muito mais importante do que ‘as coisas que você tem’”, afirma Borba.

Pratique a gratidão com toda a família

À mesa do jantar ou antes de dormir, Smith Crawford recomenda passar alguns momentos agradecendo as coisas não materiais presentes em suas vidas.

“Uma ideia é que uma pessoa de cada vez diga as coisas intangíveis pelas quais é grata”, diz ela. “É uma maneira ótima de ensinar gratidão e celebrar as coisas boas que aconteceram naquele dia.”

Ensine as crianças a ter consideração pelos outros.

Quando tudo na vida do seu filho é “eu, eu e eu”, tente mudar o foco para nós.

“Procure ocasiões do cotidiano para fazer isso”, diz Borba. “Alguns exemplos: ‘Vamos perguntar para a Alice o que ela quer fazer’; ‘O que você acha que o papai está sentido?’; ‘Pergunte ao seu amigo do que ele quer brincar’.”

Lembre que as crianças respondem melhor ao incentivo que à punição.

“Se você quiser que seu filho corresponda às suas expectativas, pergunte-se primeiro que tipo de apoio você deve dar a ele”, afirma Markham.

Ajude-os a apreciar as pequenas coisas da vida.

Mostre para eles que os pequenos prazeres podem trazer muita alegria, como curtir a natureza ou os amigos e parentes.

“Separar um tempinho diário para brincar e se conectar com seus filhos é uma das melhores coisas que os pais podem fazer para evitar a maioria dos comportamentos indesejáveis”, diz Smith Crawford.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.