NOTÍCIAS
27/03/2020 20:14 -03 | Atualizado 27/03/2020 20:23 -03

7 respostas a dúvidas de leitores sobre o coronavírus

Número de casos confirmados no Brasil chegou a 3.417 e 92 mortes, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta (27).

Pedimos para que os seguidores do HuffPost no Instagram enviassem perguntas sobre o novo coronavírus. Publicamos as primeiras respostas aqui. A seguir, listamos outras 7 dúvidas. Caso você tenha algum questionamento sobre a doença ainda não explicado em nossas reportagens, inclua nos comentários deste texto. Na próxima semana publicaremos novas repostas.

1. Sobre dificuldade de respirar: o que configura essa dificuldade exatamente? (Lucineide)

Cada indivíduo apresenta um sintoma da sua maneira. Geralmente, a dificuldade de respirar é apresentada por meio de tosse, cansaço na fala e falta de ar.  Em caso de dúvida sobre os sintomas, procure um médico. 

2. Minha filha de 4 anos tem asma. Quais os riscos se ela pegar coronavírus? (Zaira Z.)

Até agora, a OMS declarou como grupo de risco os pacientes acima de 60 anos ou com vulnerabilidade imunológica, ou seja, aqueles com doenças crônicas e dificuldades respiratórias. No entanto, por ser um vírus novo, não se pode generalizar o seu impacto na saúde de uma pessoa individualmente. Caso você tenha dúvidas específicas, consulte o seu médico de confiança.

3. Quanto tempo o coronavírus fica em uma superfície? (Daniela A.)

Ainda não se sabe ao certo quanto tempo o novo coronavírus, que causa a covil-9, sobrevive em superfícies ou no ar. Estudos avaliados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que ele parece se comportar igual aos outros tipos de coronavírus, podendo persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar e depende das condições do local, da temperatura e da humidade do ambiente.

4. Acho que estou infectada, mas tenho medo de ir ao hospital. (Laís T.)

Atualmente, os testes para coronavírus estão sendo indicados apenas para pacientes com sintomas graves. Pessoas com suspeita e sintomas leves devem permanecer em observação e isolamento. Caso precise ajuda médica, vá a uma unidade básica de saúde.

5. Suor transmite o vírus? (Luiz S.)

Não se transmite coronavírus pelo suor. A transmissão ocorre pelo ar ou por contato pessoal a partir das secreções contaminadas. É possível pegar por meio de tosse, catarro, saliva, toque ou aperto de mão e contato com superfícies e objetos contaminados.

6. Existe cura para o coronavírus? (Paula M.)

Não existe nenhum medicamento específico para combater a doença até agora. Na falta de um remédio específico, o tratamento do paciente inclui medicamentos para controle dos sintomas. São usados analgésicos e antitérmicos, como paracetamol e dipirona, além de hidratação e repouso. Trata-se de uma virose, ou seja, o próprio organismo ao entrar em contato com o vírus passa a produzir anticorpos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda automedicação.

7. Qual o risco para um bebê? (Luciana B.)

Mesmo infectadas, lactantes não devem deixar de amamentar. Até agora a recomendação é de não interromper a amamentação, muito pelo contrário. É nesse momento que o bebê está recebendo anticorpos. Uma dúvida recorrente é se o leite materno pode, eventualmente, estar infectado pelo vírus - já que é um fluido corporal. De acordo com especialistas, até o momento não há estudos que apontem relatos de transmissão pelo aleitamento. 

A pandemia do coronavírus no Brasil

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil chegou a 3.417, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (27). O número de mortes é de 92, em 9 estados: Amazonas (1), Ceará (3), Pernambuco (4), Rio de Janeiro (10), São Paulo (68), Goiás (1), Paraná (2), Santa Catarina (1), Rio Grande do Sul (2).

Nesta quinta-feira (26), eram 2.915 casos confirmados e 77 óbitos. A quantidade de diagnósticos positivos cresceu 17,2% de quinta para sexta e a de mortes, 19,4%. A taxa de letalidade nacional é de 2,7%. 

O maior número de casos está concentrado na região Sudeste — 1.952, o que corresponde a 57% dos diagnósticos. Só em São Paulo, são 1.223 infectados.

A região Nordeste tem 16% das infecções — 539 casos. Logo atrás, região Sul conta 14% — 463 diagnósticos positivos. O Centro-Oeste tem 318 casos e o Norte, 145. No total, foram 502 casos confirmados nas últimas 24 horas.

Quanto a internações, o Brasil tem hoje 116 pessoas internadas em enfermaria e 148 em UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) devido à covid-19.

Os dados estão disponíveis em um painel online do Ministério da Saúde com informações dos estados e municípios.