Tamo Junto

Existem formas de cultivar a saúde mental e o bem-estar mesmo diante do isolamento social

Ficar em casa diante da pandemia de coronavírus pode ser o sonho para algumas pessoas, mas uma frustração para outras.

Milhões de pessoas ao redor do mundo estão sendo forçadas a ficar em casa por causa da pandemia do novo coronavírus.

No Reino Unido, o autoisolamento foi determinado pelo governo para tentar reduzir a disseminação da covid-19, que apresenta sérios riscos para os idosos e quem tem problemas de saúde crônicos.

Embora o autoisolamento possa parecer um sonho para quem é introvertido, duas semanas sem contato humano podem rapidamente virar uma fonte de frustração. Em alguns casos, pode haver mudanças de humor, afirma o NHS, serviço público de saúde britânico. Mas isso vale para todos os países.

Tristeza, preocupação e insônia são alguns dos possíveis sintomas. O que fazer a respeito?

Milhões de pessoas ao redor do mundo estão sendo forçadas a ficar em casa por causa da pandemia do novo coronavírus. 
Milhões de pessoas ao redor do mundo estão sendo forçadas a ficar em casa por causa da pandemia do novo coronavírus. 

1. Aproveite o tempo para fazer o que você estava enrolando

Ficar em casa duas semanas não é ideal, mas pode ser uma ótima oportunidade para resolver coisas que você estava enrolando havia tanto tempo (marcar uma consulta no dentista, por exemplo). Priorize seu bem-estar. Tome um banho demorado, faça as unhas, medite, pratique ioga. Tudo isso ajuda.

2. Use as redes sociais para o bem

As redes sociais nunca deveriam substituir as interações do mundo real, mas, temos de fazer concessões por causa do isolamento.

Em vez de ficar lendo sua timeline sem parar, aproveite para entrar em contato com amigos e parentes. Procure novas redes ou comunidades, promova causas do bem – como as que tentam ajudar as pessoas mais vulneráveis no período de crise – ou então entre em contato com quem estiver ansioso ou deprimido.

Use o FaceTime e o WhatsApp. Essas ferramentas podem melhorar nosso humor. Ou então faça como nos velhos tempos: telefone para um amigo (ou para a sua avó).

É bom ficar informado sobre as precauções quanto à saúde, mas também de nada adianta ficar lendo as notícias de maneira obsessiva. Isso só aumenta nossa ansiedade. Se estiver se sentindo sobrecarregado, esqueça os telejornais, desligue as notificações do celular e bloqueie certas palavras nas redes sociais.

Outra ideia: você pode definir alguns horários específicos ao longo do dia para checar as redes sociais.

3. Leia um livro (ou três)

A leitura pode ser muito terapêutica, então mergulhar de cabeça num bom livro (de preferência um bem edificante) pode fazer muito bem à alma. Por que não revisitar uma lista com algumas sugestões para as férias? Mal ou bem, todo mundo tem um pouco de tempo livre a mais nas mãos.

Ler ajuda a passar o tempo, e você entra num novo mundo – onde não existe o coronavírus. Um estudo do neuropsicólogo David Lewis indica que ler apenas seis minutos por dia pode reduzir o nível de estresse em 60%. A leitura tinha mais efeito na ansiedade que música, caminhadas e videogame.

4. Arrume a sua bagunça

Quando o apresentador de TV Jon Snow voltou ao Reino Unido depois de passar pelo Irã, ele teve de ficar duas semanas em isolamento. O que ele fez? Organizou suas gravatas, é claro.

Se você estiver preso em casa ou no seu quarto, tente focar no seu espaço imediato. Será que chegou a hora de fazer uma bela faxina? Dar um jeito nas cortinas e nos tapetes? Arrumar a gaveta da mesa de cabeceira. Uma bela sessão de Marie Kondo pode trazer muita alegria – e, além disso, calma.

5. Se puder, se dê um presente

É muito ruim ficar preso em casa, então talvez você mereça um presente (comprado pela internet, é claro). Flores, um novo jogo de lençóis, um novo hidratante... Obviamente, se você tem sintomas da doença, evite qualquer contato com o entregador.

6. Priorize o seu sono e coloque-o em dia (mas não tão em dia)

No tédio, a vontade pode ser de passar o dia inteiro dormindo. Mas tome cuidado: isso pode bagunçar completamente seu relógio biológico. Aproveite para colocar o sono em dia (de sete a oito horas diárias é o suficiente), mas evite tirar uma soneca de três horas toda tarde. O sono ajuda na saúde mental, mas dormir demais pode piorar as coisas.

7. Seja criativo (a)

Estudos sugerem que somos mais criativos quando estamos entediados; portanto, use esse tempo com sabedoria. Escreva, pinte, componha. Faça alguma coisa.

Ou então aproveite para aprender algo novo. O YouTube é um ótimo ponto de partida. Existem tutoriais de praticamente qualquer coisa – de desenhar e cozinhar a fazer tricô. Outra ideia: baixar um aplicativo para aprender um novo idioma.

8. E por que não dançar?

Você está confinado no seu quarto, entediado. É hora de dançar. Aumente a sua música (só vale música animada) e passe 20 minutos dançando – isso não só ajuda a melhorar o humor como também conta como atividade física.

9. Faça planos, foque no futuro

Lembre-se de que esta é uma situação temporária. Por que não concentrar sua mente nas coisas boas que vêm por aí? Os casamentos para os quais você foi convidado, as suas próximas férias, sua carreira, o reencontro com os amigos e assim por diante. Se focarmos no futuro, há menos chances de ficar imaginando catástrofes no presente.