O coronavírus pode causar problemas digestivos – tudo que você precisa saber

Evidências sugerem que casos mais leves de covid-19 podem causar sintomas gastrointestinais como diarreia.

A esta altura, a maioria das pessoas sabe identificar os principais sintomas respiratórios da covid-19 – febre, tosse frequente, falta de ar. Mas há um número cada vez maior de evidências de que a doença também pode provocar problemas digestivos.

Algumas pessoas falam em “coronavírus gastrointestinal” ou “covid-19 gastrointestinal”, mas não são expressões corretas. Não se trata de vírus ou doenças diferentes. Na realidade, os sintomas gastrointestinais são “causados” pelo coronavírus.

“Covid-19 é o nome dado à doença causada pelo vírus SARS-CoV-2”, diz ao HuffPost UK o professor Andrew Goddard, presidente do Royal College of Physicians. “O vírus causa sintomas respiratórios e outros, e o nome ‘covid-19’ cobre esses sintomas. Sintomas que não envolvem o peito são comuns. A maioria das pessoas diz que o cansaço, as dores nas articulações e a dor de cabeça podem ser piores que a tosse quando a doença se apresenta em suas formas mais leves.”

Quais são os sintomas digestivos?

Cientistas chineses descobriram evidências de que, embora a covid-19 se apresente com sintomas respiratórios, como tosse e falta de ar, a doença também pode apresentar sintomas não-respiratórios, principalmente no aparelho digestivo, como diarreia, redução do apetite e náusea.

Dos 206 pacientes com sintomas “leves” no Union Hospital, em Wuhan, 67 tiveram diarreia, segundo um estudo. Uma em cada 5 dessas pessoas (19,4%) apresentou diarreia como o primeiro sintoma da doença.

No total, 48 apresentaram somente sintomas digestivos, 69 apresentaram sintomas digestivos e respiratórios, e 89 apresentaram apenas sintomas respiratórios.

O estudo aponta que pacientes com sintomas digestivos tinham o vírus em seus corpos por mais tempo, em comparação com aqueles com sintomas respiratórios. Também havia maior probabilidade de detectar o vírus nas fezes. “Sabemos que pacientes com covid-19 podem ter náusea e diarreia, e as estimativas variaram de 4% a 57%, dependendo do estudos”, diz Goddard.

Nos casos mais leves, os problemas digestivos podem ser uma característica mais perceptível, mas as pessoas raramente são hospitalizadas por causa desses sintomas no Reino Unido ― a maioria das internações se deve a problemas respiratórios, diz ele. Portanto, não se ouve falar tanto dos sintomas digestivos.

A historiadora Fern Riddell descreveu sua experiência com o coronavírus, que causou problemas digestivos, mas não respiratórios. “Estou no dia 33 da covid-19 e nunca me senti tão doente na vida como nos últimos 26 [dias]”, escreveu Riddell no Twitter.

Nos primeiros 10 dias do vírus, os sintomas foram leves, diz Riddell, como um simples resfriado. No nono dia, ela começou a perder o olfato e, nos dias 10 e 11, tudo piorou “muito rápido”. Ela diz que a sensação foi a de ter sido envenenada. Ela teve tremores e dores no corpo inteiro, náusea, diarreia, fadiga extrema e desidratação. “Você se sente tão, tão doente. É aterrorizante. Não lembro muito dos 14 dias seguintes”, escreveu ela.

Como esses sintomas aparecem – e como evitá-los?

Brennan Spiegel, diretor de pesquisa de serviços de saúde do hospital Cedars-Sinai, de Los Angeles, disse ao site Today.com que o vírus pode ser engolido com a saliva, entrando no sistema digestivo.

Acredita-se que os sintomas digestivos ocorram porque o vírus entra nas células-alvo através de um receptor encontrado no trato gastrointestinal superior e inferior. Os receptores aos quais o vírus se conecta são expressos em níveis quase 100 vezes superiores nos órgãos gastrointestinais em comparação com os órgãos respiratórios.

Os cientistas disseram que, como os testes de covid-19 têm se concentrado basicamente em pacientes com sintomas respiratórios, é possível que haja um grande número de pacientes não-diagnosticados e que tenham tido uma versão menos grave da doença transmitindo o vírus sem saber.

Por enquanto, não se sabe o quão infeccioso é o vírus contido nas fezes, o que significa que a lavagem das mãos continua sendo muito importante.

“A conclusão é que lavar as mãos continua sendo a melhor defesa. Lavar as mãos não apenas impede a propagação por via respiratória, mas também a potencial rota fecal/oral.”

- Andrew Goddard, presidente do Royal College of Physicians

Embora reconheça a importância das máscaras, o professor Goddard disse que “sabemos que a lavagem das mãos funciona e funciona muito bem”.

O tratamento dos sintomas digestivos da covid-19

Se você acha que pode estar com problemas digestivos por causa do coronavírus, a mensagem é clara: mantenha-se hidratado. Você pode tentar soluções de reidratação oral compradas em farmácia, sugere Philip Smith, gastroenterologista consultor do Royal Liverpool University Hospital.

Certifique-se de lavar as mãos regularmente e de se isolar dos outros em sua casa. Se você acha que não consegue se manter hidratado e está se sentido cada vez mais doente, procure um médico.

Os cientistas ainda estão no processo de descobrir mais sobre o novo coronavírus. As informações contidas nesta reportagem são o que se sabia ou estava disponível quando o texto foi publicado, mas as orientações sobre a covid-19 podem mudar à medida que os cientistas vão sabendo mais sobre o vírus. Procure as recomendações mais atualizadas no site do Ministério da Saúde e acompanhe a cobertura do HuffPost Brasil para mais informações sobre a pandemia.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.