NOTÍCIAS
27/02/2020 17:06 -03 | Atualizado 27/02/2020 17:27 -03

São Paulo tem 85 casos suspeitos de coronavírus

Primeiro caso confirmado do país foi em São Paulo; Segundo governo, pessoas estão bem e em quarentena domiciliar.

Victor Moriyama via Getty Images
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o governador de São Paulo, João Doria, em coletiva de imprensa sobre o coronavírus no Brasil.

O estado de São Paulo, onde foi confirmado o primeiro caso da doença covid-19, provocada pelo coronavírus, no Brasil, está monitorando outros 85 casos suspeitos. Ao todo, são 132 casos sob investigação em todo o País.

Dentre eles, três pessoas tiveram contato direto com o homem de 61 anos que veio da Itália e testou positivo para a doença na última terça (25). De acordo com o governo de São Paulo, os pacientes estão bem e sendo acompanhados em seus domicílios.

O médico David Uip, infectologista responsável pelo comitê de emergência, afirmou que os pacientes só devem procurar hospitais em caso de desconforto respiratório grave.  

De acordo com o Ministério da Saúde, o isolamento domiciliar é mais eficiente do que direcionar o paciente para um hospital, pois pode haver o risco de contaminação de outros pacientes com imunidade baixa. 

Por conta do surto do vírus, o ministro Luiz Henrique Mandetta afirmou que a campanha de vacinação nacional contra a gripe será antecipada em quase um mês, e passará a ser distribuída para a população em 23 de março. 

A ação contará com auxílio do Instituto Butantã, que vai doar 75 milhões de doses ao Ministério da Saúde. A vacina, no entanto, não previne a contaminação pelo coronavírus.

De acordo com o ministro Mandetta, a vacina é uma ferramenta importante porque previne outros tipos de gripes, como a influenza, e não estressa o sistema de saúde.

“Essa campanha também vai ajudar os profissionais da saúde, vai auxiliar no raciocínio do médico quando ele souber que a pessoa já passou por uma vacinação, para que sejam pensadas outros tipos de viroses”, afirmou o ministro.

A campanha de vacinação será efetuada por etapas. Primeiro, crianças e gestantes. Depois, idosos. Em seguida, doses de segurança em instituição de educação e os demais brasileiros. 

Coronavírus no Brasil

O Brasil apresentou o primeiro caso confirmado de coronavírus na última terça-feira (25). O paciente, um homem de 61 anos, procurou uma unidade de saúde após apresentar os sintomas da doença. Ele havia desembarcado no Brasil após uma viagem para a Itália, com escala em Paris. 

O paciente permanece em monitoramento e em isolamento domiciliar. 

Segundo o Ministério, o que define a internação hospitalar não é o coronavírus, mas a gravidade dos sintomas do paciente.

Existe cura para o coronavírus?

Não existe nenhum medicamento específico para a doença até agora. O que é realizado é a utilização de medicamentos para controle dos sintomas.

Os que são usados são os medicamentos suportes: paracetamol, dipirona, hidratação. É uma virose, ou seja, o próprio organismo ao entrar em contato com o vírus passa a produzir anticorpos.

A expectativa do Ministério da Saúde é de que, no final de março, ocorra uma nova campanha de vacinação contra a gripe no País, e que essa nova vacina possa cobrir o coronavírus. 

Como prevenir a infecção do coronavírus?

A prevenção é a mesma de qualquer outra gripe: manter-se hidratado e saudável, lavar bem as mãos com água e sabão, usar o álcool em gel quando necessário e, em caso de espirro ou tosse, cobrir o nariz e a boca.

Também recomenda-se não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, e evitar aglomerações ou o contato com os países com casos diagnosticados.