COMIDA
09/04/2019 08:18 -03

Por que é tão difícil comer saudável o tempo todo?

Comer bem exige tempo e dedicação – e também ajuda saber os obstáculos que você vai encontrar pelo caminho.

sefa ozel via Getty Images
Escolha difícil (insira sarcasmo aqui).

Comer é delicioso, divertido, emocional, imperativo – e muito estressante. Para muita gente, tentar manter uma alimentação saudávele uma rotina de exercícios é uma montanha-russa constante de sucessos, fracassos, exageros, recomeços, culpa e confusão.

Por que, mesmo quando damos o nosso melhor, é tão difícil ser saudável o tempo todo?

Bom, para começo de conversa, veja acima. Comer é delicioso. A tentação está por toda parte, as embalagens mentem, e nosso corpo é um mistério. Quando você começa a comer aveia e para de tomar destilados por 3 dias para perder peso – e dá resultado ―, bem, é o suficiente para deixar qualquer um maluco (eu, no caso).

Lá no fundo, a gente sabe o que significa ser saudável. Não é seguir dietas da moda nem acreditar em soluções fáceis – mas sim escolher alimentos nutritivos e cuidar da mente e do corpo, ao mesmo tempo mantendo equilíbrio e nos permitindo comer o que gostamos, desde que com moderação.

Parece tão fácil, não? 

Mas tem muito mais coisas envolvidas. Quando você pensa nos elementos que estão contra nós, dá vontade de desistir. Ou comer um chocolate. Por que é tão difícil comer direito?

Porque junk food é cientificamente irresistível.

Nascemos com gosto por alimentos salgados e doces e, como demonstrou esta reportagem do HuffPost, em março, as marcas não demoram para capitalizar esse fato. “As empresas que fabricam junk food sabem muito bem dessa característica original de fábrica do nosso cérebro e descobriram como nos dar mais daquilo que nascemos querendo”, escreveu ela.

Porque os anúncios de fast food estão te enganando.

A publicidade de fast food tem impacto no seu cérebro não só por meio de anúncios, mas com merchandising e pela presença nas redes sociais – e você pode nem perceber.

O Food and Addiction Science and Treatment Lab, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, está realizado um estudo com 180 adolescentes para determinar o impacto da publicidade de fast food na área do cérebro responsável pelas recompensas. Os anúncios que eles assistiram provaram ser mais eficazes que outros tipos de publicidade. Os participantes que sentiram o maior impacto demonstraram maior propensão a ganhar mais peso. “É difícil se defender [desses anúncios] porque não é um processo consciente”, disse ao HuffPost Ashley Gerhardt, que está liderando o estudo.

Porque é caro, ué.

Uma fatia de pizza custa menos de 15 reais. Montar uma salada num restaurante mais bacana pode custar até 30 reais. Faça as contas.

Porque todo dia tem um novo regime da moda.

Ceto! Paleo! Whole30! Sopa de repolho! Parece que tem um novo regime da moda em todo canto, e sempre melhor que o anterior. É sufocante e impossível de provar que eles funcionam – ou que não funcionam. A dieta cetogênica, por exemplo, divide médicos e nutricionistas no que diz respeito à eficácia como forma de perder peso e às potenciais consequências negativas de longo prazo.

Porque até mesmo as escolhas saudáveis nem sempre são tão saudáveis.

Quando estamos falando de açúcar, refrigerantes e doces em geral são os primeiros culpados que vêm à mente. Mas o açúcar também se esconde em alternativas saudáveis – de sanduíches e smoothies a cafés mais elaborados. Então considere as pesquisas que indicam que o açúcar é mais viciante que a cocaína e o fato de que açúcar demais pode provocar problemas de saúde – não tem pra onde fugir.

Porque, sinceramente, algumas comidas saudáveis são nojentas.

Queijo cottage é uma das comidas mais saudáveis que você não está comendo ― pense na textura. Por sorte, existem várias outras opções boa para a saúde que você pode incorporar na sua alimentação.

Porque você está com medo das coisas erradas.

Já aprendemos muita coisa sobre dietas, mas há um certo tipo de alimento – a gordura – que ainda dá medo. Gorduras “do bem”, como abacate, óleo de coco e salmão, não só fazem bem, mas são parte essencial de uma alimentação balanceada.

Mas também não dá para exagerar no que faz bem.

Segundo um nutricionista, a quantidade ideal de abacate para comer por dia é meia fruta. Mais que isso é exagero.

Porque é difícil fazer tudo sozinho.

Manter uma alimentação saudável envolve planejamento, força de vontade, tempo e comprometimento. Fazer tudo sozinho pode parecer sufocante – e pode ser menos eficaz, de acordo com a ciência. Uma reportagem de 2013 do Washington Post apontou um estudo de 2013 realizado com pessoas obesas e que sofriam de diabetes tipo 2. Os participantes foram divididos em grupos que receberam aconselhamento especializado semanal ou então apenas 3 vezes por ano. Os resultados deixaram claro que quem recebeu apoio toda semana perdeu mais peso e reduziu os riscos de saúde, em comparação com quem teve menos sessões de aconselhamento.

Hora de ligar para aquele amigo.

Porque está no seu sangue.

Não podemos culpar nossos pais por tudo, mas estudos indicam que os genes podem influenciar a preferência por doces ou salgados. Esses receptores de sabor, além de fatores genéticos como metabolismo e índice de massa corporal, têm impacto nos nossos desejos de comida. Repita comigo: obrigado, mãe e pai.

No fim das contas, comer bem exige tempo e dedicação. E comer bem tem significado diferente dependendo da pessoa. A esperança é que, conhecendo os obstáculos no seu caminho, você seja um pouco mais gentil consigo mesmo.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.