Como ganhar credibilidade e vender suas ideias no ambiente de trabalho

"O poder é invisível. O maior poder é aquele que não precisa ser gritado."
O filósofo coreano Byung-chul Han tem uma frase maravilhosa: “Quanto mais poderoso for o poder, mais silenciosamente ele atuará. Onde ele precisa dar mostra de si, é porque já está enfraquecido.”
O filósofo coreano Byung-chul Han tem uma frase maravilhosa: “Quanto mais poderoso for o poder, mais silenciosamente ele atuará. Onde ele precisa dar mostra de si, é porque já está enfraquecido.”

Um dos maiores desafios de qualquer profissional em uma empresa é exercer voz ativa e protagonismo nas decisões corporativas. Persuadir é influenciar, e aquele que exerce influência em seu microcosmo pode colocar suas ideias e seus projetos em destaque.

O livro Persuasão - Guia Prático de Retórica e Comunicação Persuasiva para sua Vida Pessoal e Profissional menciona como persuasão, influência e poder andam de mãos dadas. E, dentro de uma dinâmica profissional, por mais horizontal que seja a cultura organizacional de uma empresa, as decisões finais são tomadas por aqueles que melhor sabem vender seus projetos e ideias, conseguindo assim aumentar seu poder de influência.

As habilidades comportamentais, conhecidas como soft skills, são requisitos fundamentais em processos seletivos e planos de desenvolvimento de equipes de qualquer companhia. Isso porque, com a reinvenção das estruturas das empresas, os gestores perceberam que se preocupar apenas com as aptidões técnicas não era suficiente. As mudanças comportamentais dos indivíduos, impactados por uma sociedade e um mercado em acelerada transformação, tornaram o ambiente organizacional mais complexo, exigindo habilidades interpessoais mais dinâmicas.

Uma das competências comportamentais mais importantes é a comunicação, a capacidade de entender o outro e se fazer entendido. Embora pareça simples – afinal, qualquer relação humana passa pela comunicação – nem sempre os profissionais percebem o impacto que ela tem em suas carreiras. O resultado são profissionais brilhantes, que desenvolvem projetos promissores, mas que não conseguem tirá-los do papel pela falta de habilidade para apresentar sua visão e vender suas ideias. Falta clareza e empatia para convencer o outro.

Os profissionais precisam saber contar a história de suas propostas e envolver seus interlocutores. E para persuadir alguém, o primeiro passo é saber ouvir e compreender as necessidades da audiência. Adaptar o discurso ao jeito da pessoa que vai ouvir a mensagem. Pela análise do discurso é possível perceber como um indivíduo pensa, quais são os elementos ou informações que vão chamar sua atenção. Aquele que interpreta bem o outro torna-se menos suscetível à manipulação porque percebe intenções não reveladas e reconhece, com racionalidade, como as relações de poder se estabelecem entre as pessoas.

O poder rege as relações das nossas vidas. O filósofo coreano Byung-chul Han tem uma frase maravilhosa: “Quanto mais poderoso for o poder, mais silenciosamente ele atuará. Onde ele precisa dar mostra de si, é porque já está enfraquecido.” O poder é invisível. O maior poder é aquele que não precisa ser gritado. E isso só se alcança pela persuasão, pela capacidade de convencer o outro usando argumentos sólidos e bem estruturados. Mas como desenvolver essa habilidade de persuasão?

  1. Conheça seu interlocutor: você está apresentando um projeto para o RH ou para o departamento financeiro? O head da área veio da área comercial ou de negócios? Qual o background biopsicossocial do seu interlocutor/grupo? Áreas financeiras são guardiãs do retorno sobre o investimento da companhia. Áreas de inovação tendem a ser mais progressistas e disruptivas, menos focadas no core-business da empresa. Ao entender o ethos do seu interlocutor, você consegue adequar melhor o seu discurso. Por exemplo, se estiver falando com a área financeira, é importante ter um discurso mais Logos (razão) com dados e contas que demonstrem o crescimento/taxa de retorno do projeto. Se for com o departamento criativo, apresentações que destaquem o design esteticamente conceitual têm chances de ser melhor recebidas.
  2. Tenha mentores: todo mundo que já chegou lá foi alguém que começou do zero um dia. Seus mentores podem ser aliados para te ajudar a conhecer melhor a cultura organizacional da empresa e darem dicas de carreira e crescimento. Também podem ser pessoas de outras empresas do mesmo segmento.
  3. Releia os e-mails que você escreve: tente perceber se a sua mensagem está sendo passada com clareza. Você precisa de alguma ação da pessoa que está lendo? Peça. Deixe clara qual a sua mensagem e qual a ação de que você precisa da pessoa que vai ler. Isso evita ruídos de comunicação e te ajuda a navegar melhor entre os departamentos.

Acima de tudo, lembre-se: seja ético e respeite seus colegas de trabalho, sejam eles pares ou líderes. Persuadir e influenciar com responsabilidade é preciso!

Este artigo é de autoria de articulista do HuffPost e não representa necessariamente ideias ou opiniões do veículo. Assine nossa newsletter e acompanhe por e-mail os melhores conteúdos de nosso site.