OPINIÃO
12/05/2019 11:00 -03 | Atualizado 12/05/2019 11:00 -03

O bolo que nunca fiz aos domingos

Em breve me tornarei avó, e assim realizo o meu maior sonho. Nascerá a filha da minha filha, a atriz, comediante e apresentadora Tatá Werneck.

Arquivo Pessoal
Cláudia segura sua filha, a bebê Talita, que hoje é Tatá Werneck.

Explosões. A química deu certo! O fogo apagou... A água foi pouca. Tudo se perdeu. E então se renovou.

Quando Diego e Talita eram crianças, nossa casa funcionava como um laboratório, onde duas cobaias, uma de pai e outra de mãe, se experimentavam.

Diego nasceu quando eu tinha 24 anos. Logo desejei engravidar de novo. Veio Talita, menina! Meu marido também era muito jovem. Nós dois, em apaixonado êxtase pelos seres que havíamos concebido, várias vezes confundimos os verbos cuidar, amar e educar, que de comum só têm mesmo o final em “ar” — primeira conjugação.

Nunca fui mãe em tempo integral. Sempre adorei trabalhar, sem limites. Meu ansioso e dividido coração, porém, sentia culpa. Mas se acalmou quando passei a acreditar em mentiras. “O importante é a qualidade do tempo que a mãe dedica às crianças e não a quantidade dele”, essa era a fábula. Como foi exaustivo me libertar dela.  

Vamos lá, sem ilusões. O tempo afetivo que contempla e satisfaz emocionalmente cada criança em seu desenvolvimento é bastante variável.

Bebês têm desejos, fraquezas e fortalezas cumulativas distintas que exigem mais ou menos de cada mãe, que com apoio exercerão a parentalidade e a carreira profissional com relativa paz, planejando e se arriscando em arranjos de tempos possíveis, ou impossíveis, para atender às suas necessidades e as da prole, prole amada, amor sem fim, processo sem fim.

A maternidade e a maternagem me assustaram, me ressuscitaram e me encantaram. Com Diego e Talita fiz várias viagens siderais, sem sair de casa...

Arquivo Pessoal
Os irmãos Diego e Talita Werneck.

O trabalho me deu força. A família me abençoou. A vida fluiu. E se hoje me peço perdão, e me perdoo, é apenas pelo bolo que nunca fiz aos domingos.

Em breve me tornarei avó, e assim realizo o meu maior sonho. Nascerá a filha da minha filha, a atriz, comediante e apresentadora Tatá Werneck. Por ela, farei bolo aos domingos.

Já tenho paz. 

Arquivo Pessoal
Cláudia e Talita Werneck, mãe e filha.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.