POLÍTICA
07/02/2019 19:39 -02

Ciro Gomes na UNE: 'Eu sou limpo. Engole essa: o Lula tá preso, babaca'

Ciro repetiu a frase dita pelo irmão, Cid, durante a campanha; ex-ministro foi aplaudido e vaiado por estudantes.

Reprodução/ Twitter
Ciro discursa em bienal da UNE

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que terminou a disputa à Presidência em 2018 em terceiro lugar, anunciou pelas redes sociais na noite de quarta-feira (6) que participaria da 11ª Bienal da UNE (União Nacional dos Estudantes) em Salvador no dia seguinte.

O discurso de Ciro, que sempre é muito bem recebido pelo público jovem, no  entanto, terminou com um misto de aplausos e vaias. O motivo? As críticas ao PT.

Provocado por alguns apoiadores do ex-presidente que estavam na plateia, Ciro repetiu 3 vezes a frase dita pelo irmão, Cid Gomes, durante um evento de campanha no Ceará, antes do segundo turno: “O Lula está preso, babaca”.

“Tem coisa mais chata que jovem estar num bar defendendo corrupto? Imagina um jovem num bar agora obrigado a defender corrupção, ladroeira, aparelhamento do Estado, fisiologia, formação de quadrilha. Isso não é para vocês, vocês não têm nada a ver com isso”, disse Ciro, visivelmente irritado.

Segundo ele, “dói demais você ouvir as coisas quando elas são verdadeiras”.

“Eu estou solto, 38 anos de vida pública. Nunca respondi por nenhum mal feito. Eu sou limpo, eu sou limpo. Engole essa, engole essa: O Lula está preso, babaca”, bradou.

Na sequência, em meio a vaias e aplausos, uma parte do público começou a gritar “Lula Livre”.

Na véspera, o ex-presidente havia sido condenado a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro por outro caso - o do sítio de Atibaia.

Lula foi preso em abril, após condenação em segunda instância no caso envolvendo o tríplex no Guarujá. A pena foi de 12 anos e um mês de prisão.

A cúpula do PT e Fernando Haddad, candidato do partido ao Planalto derrotado por Jair Bolsonaro (PSL), não perdoam Ciro por ele não ter subido no palanque com Haddad logo após o primeiro turno. 

O pedetista, que se limitou a defender “Ele não”, em referência a Bolsonaro, não fez campanha pelo ex-adversário petista e viajou para a Europa antes do segundo turno. 

A decisão foi um troco ao que o PT fez com Ciro durante a campanha, negociando para que ele não conseguisse fechar uma aliança com o PSB, seguindo sozinho na disputa.

Após o evento na UNE, Ciro postou um vídeo no Twitter no qual volta a chamar a cúpula do PT de “organização criminosa”.